Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Entenda o que é IPCA e IGP-M e saiba quais as diferenças entre eles

Por Nara LimaPublicado em

Você já ouviu falar em IPCA e IGP-M? A primeira vista, essas siglas podem causar um certo estranhamento, mas saiba elas fazem parte do nosso dia a dia. Resumidamente, podemos dizer que o  IPCA e IGP-M são índices que medem a inflação e mostram como anda o custo de vida dos brasileiros diante as variações dos preços de produtos e serviços.

No entanto, apesar de servirem de parâmetros para inflação, não ache que esses índices são a mesma coisa, certo? Para você entender um pouco melhor, confira esse exemplo de variação: em junho de 2021, o acumulado de 12 meses do IPCA foi de 8,35%, enquanto o do IGP-M de 35,75%.

No artigo de hoje, vamos te explicar o que é IPCA e IGP-M e citar as principais diferenças entre ambos. Aproveite a leitura!

O que são IPCA e IGP-M?

Nos já sabemos que eles são indicadores que calculam e indicam a variação de preços, mas o que será que significa cada um deles? Vamos esclarecer suas dúvidas a seguir:

  • IPCA: o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e é considerado o índice oficial de inflação no país, já que mede a variação de preços de produtos e serviços para o comprador final;
  • IGP-M: o Índice Geral de Preços-Mercado é calculado e divulgado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE) e é utilizado como uma medida que abrange não somente os preços que chegam na ponta final de venda, como também os do meio do processo.

Basicamente, enquanto o IPCA considera a variação de preços de produtos e serviços para o consumidor final, o IGP-M leva em conta a oscilação de preços em todos os estágios de produção.

Homem desconfiado com a mão no queixo
Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!
Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Como o IPCA é calculado?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mede a variação de preços de uma cesta de produtos e serviços consumidos pela população, como alimentos, roupas e artigos de residência.

Mensalmente, o IBGE pesquisa o que as famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos consomem e mede o quanto do rendimento das pessoas tem sido usado para esse consumo.

Nesse cálculo, são levados em conta, além da região geográfica, o peso que cada produto tem de acordo com sua presença na cesta de consumo média da população. Ou seja, produtos essenciais têm um peso maior, enquanto produtos menos consumidos pesam menos.

Como o IGP-M é calculado?

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) é composto por três indicadores que possuem pesos diferentes no cálculo. Confira quais são eles:

  • Índice de Preços ao Produtor Amplo do Mercado (IPA-M ): são os preços de produtos industriais e agrícolas no setor de atacado;
  • Índice de Preços ao Consumidor-Mercado (IPC-M): são os preços de bens e serviços que compõem as despesas comuns de famílias;
  • Índice Nacional do Custo da Construção-Mercado (INCC-M): são os preços dos custos de construções de imóveis.

Normalmente, o IGP-M é usado no reajuste de contratos de aluguéis de imóveis e de algumas tarifas públicas, como a conta de luz. Isso significa que ele cresce muito em relação à inflação oficial do país (IPCA), por isso eles não apresentam os mesmos números.

Descomplicamos?

Esperamos que esse conteúdo seja útil para sua vida financeira, afinal, descomplicar as suas finanças é o nosso principal objetivo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe seu comentário aqui embaixo.

Nos vemos em breve!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Nara Lima

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, gosta de escrever sobre educação financeira. Preza pela facilidade da leitura e pela checagem das informações, buscando produzir um conteúdo de leitura simplificada e que sane as dúvidas do leitor.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Bitcoin: Descubra aqui quais são suas vantagens e suas limitações

Inflação: imprimir dinheiro é prejudicial para a economia?

Não é preciso muito dinheiro para investir em cripto

Qual é o futuro da mineração de criptomoedas?

Você soube do hard fork da Ethereum?

Dividendos: o que é e como funciona o investimento em renda passiva?

Quem pode ganhar adicional de 25% na aposentadoria?

Corretoras de Criptomoeda: Como evitar ciladas? Veja algumas dicas