Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Estagflação: entenda o que é e quais os seus impactos

Por VoittoPublicado em

A Estagflação está relacionada a um desaquecimento da economia. Quando ela surge, o desemprego aumenta e os preços nos mercados vão às alturas, ela é considerada mais grave que a própria Inflação.

Você provavelmente já deve ter ouvido falar na televisão, na época da escola ou por outros meios sobre a inflação, não é mesmo? Ela é muito comum, mas além dela existe a Estagflação, um outro fenômeno econômico que afeta a sua vida muito mais do que você imagina.

Antes do Plano Real, que entrou em funcionamento em 1994, o Brasil viveu um momento crítico em que os preços variavam diariamente e, às vezes, em poucas horas, essa é a conhecida inflação.

É possível perceber que esse fenômeno pode acontecer quando ocorrem demissões em massa em diversas empresas, devido a uma necessidade de diminuir a produção. Como a causa envolve políticas monetárias mal aplicadas, é papel do governo resolver a situação quando ela acontece.

Vamos lá?

O que você procura?

O que é Estagflação?

O termo Estagflação une duas outras palavras: estagnação e inflação e inspira-se na palavra de origem inglesa, stagflation. Essa expressão foi usada pela primeira vez em 1970 por Iain Macleod, um político britânico.

Para a população, os sinais de que uma Estagflação está acontecendo é a falta de empregos, já que nessa situação a economia fica estacionada, mas ao mesmo tempo o custo de vida aumenta, deixando os itens essenciais com preços elevados.

Esse é um momento delicado em que as medidas adotadas pelo governo precisam ser muito bem pensadas para que não ocorram consequências ainda piores para o país.

O que causa Estagflação?

As causas da estagflação podem estar ligadas tanto a problemas e acontecimentos dentro do país, como também  questões externas como pandemias, por exemplo.

Esse fenômeno econômico é difícil de prever e quando conectado a eventos externos pode atingir diversos países diferentes. Uma das maneiras de entender esse acontecimento é estudando indicadores econômicos como a Curva de Phillips:

Curva de Phillips

Imagem: Blog Voitto

Alguns exemplos de causas da estagflação podem ser: concessão de créditos muito altos, políticas monetárias expansionistas mal planejadas, política de câmbio fraca ou ineficaz. 

O Brasil se encontra em Estagflação?

No mês de setembro de 2022, o Banco Mundial publicou um alerta sobre estagflação tendo em vista a situação econômica global. Por conta da Pandemia da COVID-19, muitos países passaram por momentos críticos com alta inflação e baixo crescimento econômico.

Apesar disso, atualmente o Brasil não se encontra em Estagflação. Vivemos uma instabilidade econômica e é preciso ter atenção em 2023, pois em 2022 a taxa básica de juros Selic encontra-se alta, em 13,75% ao ano.

Os recentes acontecimentos mundiais e do nosso país, junto com uma crise política, coloca o Brasil em uma situação econômica delicada, mas o cenário não é de estagflação.

Como se proteger da Estagflação?

Para se proteger da Estagflação é preciso conhecer os indicadores financeiros, estudar como funciona a economia e tomar atitudes inteligentes com relação ao seu orçamento.

Elencamos abaixo as principais ações que você pode tomar para evitar que a alta dos preços e a estagnação econômica te peguem desprevenido. Use esses pontos como um guia para cuidar do seu dinheiro.

Invista em ativos ligados à inflação

Se você trabalha com investimentos, é importante se atentar a onde vale a pena aplicar seu dinheiro em momentos como o de estagflação. Conheça todas as opções e seja mais cauteloso nesse momento.

Uma boa opção nessa fase é investir em renda fixa que estejam ligadas ao IPCA, pois variam de acordo com a inflação, e se ela está em alta, então os seus rendimentos também estarão.

Caso você ainda não invista, comece já a pesquisar sobre o assunto, ter essa renda extra e não depender apenas do salário pode te ajudar se você for afetado por demissões em massa.

Evite gastos desnecessários

Em um momento de crise, a cautela é fundamental. É nessa hora que você precisa colocar o pé no freio e poupar o que puder do seu orçamento, por isso cuidado e atenção ao que você vai comprar, então procure gastar apenas com o que for necessário.

Uma boa opção é fazer uma lista ou planilha com aquilo que é essencial e precisa ser consumido sempre e o que pode ser cortado ou então diminuir a frequência de compra.

É claro, não precisa deixar de ter momentos de diversão e relaxamento, eles também são importantes, mas opte por opções mais baratas ou até mesmo gratuitas como um passeio no parque e um sorvete.

Tenha uma reserva de emergência

É possível se proteger antes que a Estagflação aconteça, comece desde já a montar a sua reserva de emergência, organizando o seu orçamento para poupar de 6 a 12 meses de salário.

O valor do dinheiro se altera ao longo do tempo, deixar dinheiro parado não é o ideal, nada de guardar dinheiro debaixo do colchão, ok? Estude as opções para ter uma reserva de emergência segura, algumas das principais opções são:

  • Tesouro Selic;
  • Certificados de Depósito Bancários (CDB);
  • Fundos de investimento em Renda Fixa.

Com esses cuidados que podem ser tomados antes que a crise aconteça, o período será menos desafiador e seu padrão de vida não será tão alterado como nos casos de quem não tem essa reserva.

Como a Estagflação afeta investimentos?

Pelo que já vimos até aqui sobre a Estagflação, talvez você esteja se perguntando como ficam os investimentos em um cenário econômico como esse, não é mesmo? A estagflação afeta sim os investimentos, mas fique tranquilo que vamos te explicar tudo aqui.

Com o desemprego e a alta dos preços, as pessoas têm seu poder de compra reduzido e diminuem os gastos, dessa forma, impactando também a economia com a diminuição da demanda e o excesso da oferta, isso também balança o mercado financeiro.

O crescimento das empresas, principalmente varejistas, é afetado, prejudicando aqueles que investem em ações. Também o PIB (Produto Interno Bruto) fica em queda, e muitas organizações precisam fechar as portas, o que exige cuidado dos investidores ao escolher suas aplicações.

Caso você seja um investidor iniciante, estude muito para entender se esse é o melhor momento para entrar nesse universo e como fazer isso de forma inteligente. Porém, seguindo as dicas que demos neste artigo, você passará tranquilamente por esse cenário.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Voitto

Somos uma escola online de negócios que ensina habilidades que todo profissional, independentemente da sua área de atuação, deveria dominar para melhorar seus resultados e acelerar sua carreira.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

O que é Concordata? Descubra de forma descomplicada!

Estagflação: entenda o que é e quais os seus impactos

FGTS e seguro desemprego são a mesma coisa?

FGTS e seguro desemprego são a mesma coisa?

Bitcoin: Descubra aqui quais são suas vantagens e suas limitações

Dividendos: o que é e como funciona o investimento em renda passiva?

5 dicas para viver com um salário mínimo

Cheque: entenda o que é e conheça suas variações