Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Estudo prevê aumento de até 14,5% na conta de energia em 2021

Por Thais SouzaPublicado em

Segundo um estudo TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada ao setor elétrico, a conta de energia deve ter um aumento médio de 14,5% em 2021. A previsão foi feita com base no Serviço para Estimativa de Tarifas de Energia (Sete), que leva em conta números das 53 distribuidoras e sete permissionárias do país.

De acordo com os dados coletados, as regiões que serão mais afetadas serão a Norte e Centro-Oeste, com expectativa de 19,4% de aumento nas contas de luz. No Nordeste, o aumento será de 17,6%, o Sudeste terá aumento de 13,1% e, por fim, na região Sul, com 12,2%.

Motivos do aumento na conta de energia

A maioria das distribuidoras de energia do país vinculam suas receitas ao IGP-M e ao IPCA, repassando ao consumidor final o reajuste desses indicadores.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Portanto, o motivo para o aumento nas contas de luz em todo o Brasil são as variações obtidas em 2020 pelo Índice Geral de Preços (IGP-M), acumulado em 23,14%, além do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com 4,52%. 

Segundo o diretor de Regulação da TR Soluções, Helder Sousa, "A inflação está entre os principais fatores que vão pressionar as tarifas de energia elétrica neste ano, em particular no caso das distribuidoras cujas receitas são reajustadas pelo IGP-M".

Conta-Covid teve influência no preço da conta de energia

Outro fator que vai influenciar no aumento do preço das contas de energia no país é o programa Conta-Covid, criado pelo governo federal e regulamentado pela Agência Nacional de Energia e Eletricidade (Aneel).

Na prática funciona da seguinte maneira: na pandemia do Covid-19, o isolamento social gerou uma diminuição drástica do consumo de energia pelos setores de comércio, serviço e indústria. Isso fez com que as companhias que fornecem energia elétrica às residências fossem impactadas.

Para não faltar energia para ninguém, as distribuidoras compram o produto com antecedência, com base na quantidade de energia que a população normalmente consome. Porém, a pandemia causou uma queda inesperada nesse consumo e as distribuidoras deixaram de entregar toda a energia contratada.

Contudo, elas ainda tinham que pagar as companhias geradoras e, para que as distribuidoras não falissem foi criado o programa Conta-Covid, que oferecia empréstimos para as distribuidoras em 2020 conseguirem pagar a energia contratada junto às geradoras.

Dessa forma, a dívida será remetida aos consumidores em forma de aumento no valor das contas de energia. Porém, se não fosse a Conta-Covid, o reajuste tarifário seria muito maior. O objetivo foi reduzir o impacto para os consumidores, em vez de se cobrar tudo de uma só vez.

Leia também

Ficou com alguma dúvida sobre o aumento na conta de energia em 2021? Deixe seu comentário abaixo que entraremos em contato com você. Aproveite e leia também: 

Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida de pessoas que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

A Nextel agora é ‘Claro nxt’: entenda o que mudou

IBGE abre concurso para 204 mil vagas temporárias do Censo 2021

Entenda porque o preço do gás de cozinha aumentou

Conheça os 9 projetos que visam prorrogar o Auxílio Emergencial

MT lança o seguro-desemprego pela internet: confira

Programa de fidelidade da Americanas será gratuito para todos os clientes

Governo edita Medida Provisória que facilitará o acesso a empréstimos

Banco Inter faz parceria com Vítreo para oferecer fundos de criptomoedas

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Notícias sobre economia e finanças