Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Fim do Auxílio Emergencial causou impactos na economia

Por Camila SilveiraPublicado em

O Auxílio Emergencial, oferecido pelo Governo Federal em 2020, sustentou a atividade econômica do Brasil durante a fase mais difícil da pandemia. Por mês, o benefício fez circular aproximadamente R$ 50 bilhões na economia brasileira e concedeu o poder de compra para muitas famílias pertencentes às classes C, D e E.

Hoje, no entanto, com o pagamento do benefício suspenso pelo Governo Federal, muitos empresários temem queda no volume de vendas, e famílias, anteriormente beneficiadas pelos recursos, solicitam o retorno do auxílio ou compensação em programas sociais, como o Bolsa Família.

Mas, afinal, quais foram os impactos causados pelo fim do Auxílio Emergencial?

Até o momento em que o auxílio estava no valor de R$ 600, ele representava R$ 50 bilhões mensais para o cofre público. Com a redução das parcelas para R$ 300, o montante mensal passou para R$ 21 bilhões. O fim do benefício representou, portanto, todo esse valor a menos circulando na economia.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como resultado, as famílias, anteriormente beneficiadas, perderam o poder de compra, e as empresas sofreram quedas nas vendas. A Unilever, por exemplo, foi uma das empresas que tiveram o resultado do 4º trimestre afetado por um reflexo direto da redução do Auxílio Emergencial. 

Além disso, as famílias das classes D e E foram as mais afetadas pela combinação do fim do benefício com o desemprego. Afinal, o Brasil enfrenta uma fase de baixa na oferta de emprego e, por isso, essas pessoas ficarão sem renda até encontrarem uma nova oportunidade.

O desemprego atinge, hoje em dia, mais de 14 milhões de pessoas no Brasil, e no últimos três meses de 2020, mais de 1 milhão de pessoas perderam o emprego. Até que a empregabilidade volte a crescer no país, muitas famílias ficarão em situação crítica com o fim do auxílio.

A principal esperança está na chegada vacina, pois com ela teremos a reabertura em horário integral de lojas, restaurantes e empresas de um modo geral e as contratações públicas proporcionarão mais empregos.

Enquanto isso, o recomendado é que essas famílias procurem ouras fontes de renda, sem depender da decisão do Governo Federal. 

O Auxílio Emergencial vai voltar em 2021?

Apesar do pagamento ter sido finalizado, o Governo Federal ainda está estudando a possibilidade de voltar a conceder o auxílio. De acordo com o presidente Jair Bolsonaro, ele não pretende estender o benefício por muito tempo, pois isso pode quebrar o país.

Gostou do conteúdo?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

C6 Bank lança conta global para investimentos no exterior: conheça

Saiba como contestar o Auxílio Emergencial negado

iFood oferece 120 bolsas integrais para curso online Programação do Zero

Uber Eats reduz taxas em até 70% para ajudar restaurantes

Vira-Lata Finance perde mais de 80% do seu valor: entenda

Nubank lança função para parcelar compras pagas à vista

Visa permite o uso de criptomoedas em sua rede de pagamentos

20 filmes indicados ao Oscar 2021 para ver em plataformas de streaming

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Notícias sobre economia e finanças