financas-para-casal-10-dicas

Sem dúvidas o dinheiro ajuda muito nossa vida. Imagine então na vida a dois? As finanças para casal pode ser algo difícil de falar, mas necessário para o bom andamento da relação.

A maioria dos casais sabem o quanto é difícil esse tema. Queira ou não, as finanças envolvem um certo orgulho e sensação de que um gasta melhor que o outro.

Aí mora o perigo da relação. Não conversar sobre dinheiro, pode criar uma sensação de infidelidade e desrespeito com o outro. Muitas pessoas já se separaram por problemas financeiros.

Com o desejo te ajudar você e seu cônjuge, separamos 10 dicas especiais, Confira:

Finanças para o casal: mantenha a boa relação em 10 dicas

finanças para casal

1Conversar sobre as finanças

Esqueça a vergonha, orgulho ou o que for. Uma vida a dois necessita de conversas. Assim dentre os diversos assuntos que um casal deve tratar, a vida financeira deve estar em pauta.

Convide o seu cônjuge para uma boa conversa, e procure estipular uma data para que isso sempre aconteça, como no começo ou fim de mês. Os dois precisam saber como andam as despesas da casa e da família.

Um precisa saber o quanto o outro ganha. Esconder pode gerar desconfiança e acabar em conflitos. Por isso, sempre que conversarem, deixem claro os ganhos e despesas.

Durante esse tempo que vocês conversam sobre as finanças, deixem estabelecido um teto de gastos. Se ultrapassar esse valor, é hora de sentarem de novo e restabelecer os limites.

Uma dica legal e que pode funcionar para vocês, é definir uma responsabilidade para cada um. Como por exemplo, sempre a mesma pessoa para fazer supermercado e a outra para quitar os boletos de água, luz, cartão, etc.

Assim, vocês não se perdem na hora de organizar o mês e já sabem de quem é a responsabilidade para determinados compromissos.

2Responsabilidade com os gastos

Cuidado ao perceber que vocês são um casal materialista. Normalmente, duas pessoas que gastam sem ter um propósito ou com presentes caros somente para agradar ao outro, podem criar conflitos.

Por isso é tão importante conversar sobre finanças para casal e deixar tudo às claras. Um gasto desnecessário pode complicar as finanças no final do mês.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Brigham Young, casais que se importavam mais com o dinheiro, admitiam que esse era o maior motivo de conflito. Já os casais que falavam que o dinheiro não era o mais importante em uma relação, conseguiam ter uma convivência melhor.

Ou seja, o dinheiro não deve ser o centro da relação, as finanças sim!

3Analise que tipo de casal vocês são

Casar-se com uma pessoa controlada financeiramente pode ser mais fácil quando se trata de dinheiro. Agora, quando um casal é formado por consumidores irresponsáveis, o assunto se torna um caos, desestabilizando a relação.

Se você acha que seu casamento se encaixa mais com a segunda opção, ainda há chances de evitar momentos ruins, por isso é bom tentar um acordo para manter as finanças em dia.

Conversem sempre, mesmo que no começo pareça difícil, isso a longo prazo se torna rotineiro e saudável. As finanças para casal não devem ser um tabu!

4Qual é a melhor conta para o casal

Vocês podem escolher a conta corrente conjunta ou manter cada um com a sua particular. A primeira opção é melhor para os casais que entram em acordo com os gastos e estão cientes de tudo o que acontece com as finanças.

A conta corrente particular pode ser uma escolha para aqueles que não se dão bem com divisões ou se estressam fácil com gastos com gastos que julgam desnecessários um do outro.

O lado bom de escolher uma conta conjunta é a transparência. Os dois sabem exatamente o que entra e sai de dinheiro, além de organizar as finanças.

5As dívidas fazem parte

É, ninguém vive sem contas. Mas, para que isso não vire um estresse, a dica 5 é de que vocês paguem as dívidas juntos. Saibam o que ganham e o que devem pagar.

E tentar abaixar o valor das contas pode ser um desafio que o casal pode fazer e se conquistarem uma meta, podem “se dar” um presente, que claro, não seja caro!

6Não esconda as dívidas

Isso é um problema no assunto finanças para casal. Às vezes surge um desejo de comprar algo, mas para que o parceiro(a) não se sinta chateado pelo gasto, prefere esconder as compras.

Cuidado! Muitas pessoas acreditam que infidelidade financeira é tão grave quanto uma traição. Procure ser honesto com o outro, quando desejar comprar ou ter um gasto a mais, tente convencê-lo ou pelo menos não esconder as dívidas.

7Pedir empréstimo

Nessa dica, não falamos daquele empréstimo feito em bancos, mas sim aos familiares. Em alguns casos, o erro das pessoas casadas é pedir dinheiro emprestado para os sogros do cônjuge ou aos próprios pais.

O problema acontece na hora de pagar o que foi emprestado. Se a dívida se arrasta por um tempo, pode gerar conflitos em família. Isso acaba desgastando as relações.

Quando o empréstimo é feito pelos próprios pais, isso pode gerar um desconforto no seu parceiro(a).

Ou seja, sempre que precisarem de dinheiro, conversem qual a melhor alternativa, e se escolherem pedir a um familiar, façam um documento em que tudo esteja de acordo, até as datas para pagamento.

8Divida as responsabilidades

Não deixe que uma pessoa seja responsável pelas finanças. Procure fazer com que o casal participe de tudo o que acontece. Cheguem em um acordo sobre o ponto forte de cada um. Os dois devem ter tarefas financeiras!

9Dinheiro envolve emocional

O assunto de finanças para casal é delicado. O simples fato de envolver dinheiro, faz com que hábitos, sentimentos e comportamentos sejam moldados. A vida a dois requer isso!

O dinheiro envolve emocional, ainda mais quando compartilhado em casal. Então lembre-se de manter o respeito nas finanças com o outro. Na maioria das vezes um ganha mais que o outro, mas isso não quer dizer que ele tenha mais poder ou o outro deva se sentir reprimido por isso.

O importante é manter o diálogo e resolver os problemas sempre juntos.

10Dividam os gastos

A colaboração financeira é muito importante em um casamento. Às vezes os gastos ficam sempre com a mesma pessoa. Se os dois trabalham e dispõe de um salário, procurem gastar em harmonia.

Como por exemplo em uma ida ao cinema, se um paga as entradas, o outro pode pagar o estacionamento, a pipoca das crianças e assim por diante.

Quando um agrada ao outro, a relação pode se tornar mais leve, já que ambos se esforçam para que tudo ande bem e não haja egoísmo.

Dica bônus

Além dessas 10 dicas de finanças para casal, a nossa dica bônus é sobre o dinheiro particular.

É interessante que cada um possa guardar um dinheiro para si, quem sabe de 5% a 10% do seu salário. Esse valor pode ser gasto da maneira que você preferir, um dia no salão, um almoço com os amigos do trabalho, enfim, ele será seu e não deve ser interferido na relação.

E lembrando, para que essa dica seja bem aproveitada é importante sempre conversar, não esconder e chegar a um acordo.

Planejamento financeiro familiar

Quando estamos em família, naturalmente, os ganhos tem um destino: casa e filhos. Então, é muito importante que as finanças para casal tenha planejamento financeiro. isso serve para conhecer muito bem sobre as finanças um do outro. E que, quando as coisas não vão bem, não é culpa de um só. Culpar o outro só atrapalha a organização e confiança.

Para começar: você deve saber quais os gastos fixos e variáveis da família e acompanhar tudo por uma planilha.

Se ainda não tem uma planilha, separamos uma para você baixar clicando aqui.

Organize suas despesas

Depois de conhecer quais são os gastos da família, é hora de colocá-los em uma planilha, só assim vocês terão noção dos valores, e se é possível economizar ou cortar despesas.

Defina os objetivos

Somente sabendo o destino da viagem é que colocamos o carro na pista. Assim também funciona com as suas finanças. Definir objetivos, é saber onde a sua família pretende chegar ou conquistar.

Divida-os por curto, médio ou longo prazo.

  • Objetivo a curto prazo: realizado em até 1 ano (se livrar de dívidas, comprar um carro, viagem com a família);
  • Objetivo a médio prazo: realizado em até 5 anos (festa de casamento, formatura, reforma da casa);
  • Objetivo a longo prazo: realizado em mais de 6 anos (construir ou comprar uma casa, investimento no estudo dos filhos, planos para aposentadoria).

Coloque metas para a família

Para o bom andamento das finanças para casal, o planejamento financeiro familiar serve para chegar aos objetivos de uma maneira mais fácil e visível. Mas, para que isso ocorra, é importante a criação de metas. Só assim você sabe se está indo bem ou deve fazer reajustes.

As metas estão atreladas ao seu objetivo. Se o casal pretende pagar as dívidas, as metas podem ser definidas a partir da economia de gastos. Ou seja, a cada mês, o alvo é economizar R$ 100. Até chegar no objetivo de juntar R$ 1.000 e quitá-las, por exemplo.

Se o sonho do casal é trocar de carro ou mesmo fazer uma viagem, a economia e corte de gastos, também pode ser uma meta para vocês.

Disciplina

Para que tudo dê certo e você tenha certeza de que está valendo a pena o esforço, é necessário ter disciplina. Essa é a base para seguir o planejamento financeiro familiar.

Você verá, lá na frente, que deu certo amarrar as contas e segurar as dívidas. Sua vida financeira e sua família estarão vivendo bem e o melhor: sabendo planejar sem passar por apuros.

Separe a renda da família

Com a Regra do 50-15-35 você consegue entender para onde o seu dinheiro vai, e assim, conseguir controlar os gastos desnecessários.

Coloque o seu dinheiro no lugar e com o tempo não passar mais sufoco, já que tudo estará sob seu controle. Veja como funciona:

  • 50% de sua renda deve ir para os gastos essenciais

A metade se deus ganhos devem ser destinados para seus principais gastos, aqueles que não podem ser cortados do orçamento. Assim como, moradia, educação, transporte, alimentação, saúde, enfim, tudo aquilo necessário para viver bem no dia a dia.

  • Prioridade financeira: 15%

Esse percentual de sua renda líquida deve ser separado para os gastos com dívidas. Se suas dívidas somarem mais do que 15%, você pode aumentar o valor até pagá-las e voltar ao plano futuramente.

Se no momento você não tem dívidas, pode aplicar o valor e seu dinheiro render ou mesmo criar um fundo de emergência, que pode ser usado por exemplo com o conserto do carro, uma conta inesperada, etc.

  • Separe 35% de sua renda para o estilo de vida

Esses gastos compreendem: hobbies, lazer, diversão, restaurantes, academia, salão de beleza, etc. Ou seja, 35% do que você tem pode ser destinado ao que você gosta de fazer e a suas atividades.

Esses gastos devem vir por último e, se necessário, pode ser usado para somar a prioridade financeira em casos de dívidas.

Finanças para casal – pronto para começar?

Se você gostou das dicas e está pronto para começar a se planejar financeiramente com seu parceiro(a), conte para nós aqui embaixo nos comentários!

Leonardo Jacomini da Foregon.

Este conteúdo foi útil para voce? 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 voto(s), média: 5,00)
Loading...