Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Governo autoriza emissão de cartões para amenizar os efeitos do coronavírus

Por Camila SilveiraPublicado em

O Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciou a medida que autoriza a emissão de cartões pelas empresas de crédito no mês de março de 2020. Essa ação foi criada com a finalidade de amenizar os efeitos do novo coronavírus e está sendo válida apenas para as fintechs que fazem operações com recursos próprios. 

Fintechs são empresas que atuam no mercado financeiro e que usam de forma intensiva os serviços de tecnologia. As instituições que não possuem captação do público e são autorizadas a operar como Sociedade de Crédito Direto (SDC) fazem parte dessa medida criada pelo Banco Central (BC).

Segundo o Banco, todas as fintechs possuem capacidade de atingir clientes, até mesmo aqueles que não têm acesso aos serviços financeiros. Elas também podem atender segmentos com histórico de crédito reduzido no país, como micro e pequenos empresários e, por isso, são capazes de contribuir no atual momento da crise da Covid-19

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Melhor dizendo, o BC pretende facilitar o acesso ao crédito e, dessa forma, reduzir os efeitos na economia brasileira.

Desde o começo da crise, o Banco Central e o CMN anunciaram medidas que aumentavam a liquidez somente dos bancos tradicionais, deixando de lado todas as fintechs. Até então, elas eram consideradas pelo BC peças importantes para aumentar a concorrência e reduzir o custo do crédito. 

Entenda o objetivo do Banco Central

O objetivo do BC é permitir que as Sociedades de Crédito Direto (SDC) possam atuar como agentes repassadores de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). Isso quer dizer que, quando uma empresa procurar por um empréstimo, a fintech terá recursos do banco de fomento para emprestar e, não apenas o próprio capital.

Essa ação deve elevar a possibilidade de captação de recursos dessas empresas para conceder crédito. Isso porque as fintechs possuíram um aumento de demanda por empréstimo de pequenas e médias empresas, após a crise do coronavírus, mas tinham pouco capital para atender à demanda.

Sendo assim, o propósito dessa medida é facilitar às instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional manter a oferta de crédito ao setor real e, como resultado, minimizar os possíveis impactos negativos do novo coronavírus na economia brasileira

Gostou do conteúdo?

Qualquer dúvida, deixe um comentário para nós que ajudaremos você. Esperamos que tenha gostado. Até breve! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Trabalhador que recusar tomar vacina pode ser demitido por justa causa

PF deflagra operações contra fraudes no Auxílio Emergencial

Fase emergencial da quarentena no estado de SP: o que muda?

3 coisas que as empresas estão fazendo para superar a crise do Covid-19

5 princípios que devemos aprender em momentos de crise

O Auxílio Emergencial vai voltar em 2021?

Conheça o ‘Auxílio Emergencial’ para moradores da cidade de Belém

O que é necessário para receber a vacina contra o coronavírus?