Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Governo pode bloquear R$ 17,5 bilhões do orçamento 2021 para cumprir teto

Por Thais SouzaPublicado em

No final de março o Ministério da Economia anunciou que o governo pode ter a necessidade de bloquear 17,5 bilhões do orçamento de 2021 em despesas não obrigatórias dos ministérios. O objetivo é cumprir a regra do teto de gastos. Continue a leitura para entender todos os detalhes.

O que você procura?

Governo pode bloquear R$ 17,5 bilhões do orçamento 2021

Anunciado no dia 22 de março, um possível bloqueio de bilhões no orçamente focará nos gastos não obrigatórios dos ministérios, ou seja aqueles dos quais o governo tem poder de decisão, como: despesas em saúde, educação, investimentos federais e gastos de custeio, como contas de água e luz. Confira abaixo:

  • Ações de defesa agropecuária;
  • Concessão de bolsas de estudo (Capes);
  • Pronatec;
  • Emissão de passaportes;
  • Programa Farmácia Popular;
  • Fiscalização ambiental (Ibama);
  • Bolsas para atletas;
  • Aquisição e distribuição de alimentos para agricultura familiar;
  • Despesas administrativas do governo;
  • Investimentos públicos em infraestrutura.

Essas despesas representam uma pequena parcela dos gastos dos ministérios, cerca de 5%. Os 95% restantes são obrigatórios e envolvem custos previdenciários, gastos com salários de servidores e com benefícios sociais, entre outros.

A necessidade do governo cortar gastos vem de uma norma promulgada pelo Congresso no ano de 2016, que prevê que o aumento do gasto público não pode superar a inflação do ano anterior, com o objetivo de equilibrar as contas federais.

Caso o bloqueio dos R$ 17,5 bilhões realmente aconteça, ele será feito ao longo do ano. Com isso, as despesas não obrigatórias cairiam para R$ 94,778 bilhões em 2021, o menor valor desde 2008.

Para alguns especialistas em economia, a medida pode ter alguns riscos, podendo afetar principalmente os serviços públicos e investimentos em infraestrutura do governo federal.

"Em uma hora como essas em que estamos vivendo [com a pandemia], o gasto público em investimento é fundamental para reacender a economia, para sair do buraco em que estamos metidos. Em geral, essa regra do teto é um erro e, no momento atual, é mais errada ainda". Raul Velloso, especialista em contas públicas em entrevista para o portal G1.

De acordo com o Ministério da Economia, o relatório divulgado no fim de março tem fins apenas informacionais e de transparência pública. As ações só serão iniciadas caso o orçamento 2021 seja aprovado.

Leia também

No blog da Foregon você fica por dentro desses e outros assuntos relacionados ao universo financeiro, notícias e muito mais. Aproveite e leia também:

Esperamos que tenha gostado do artigo. Caso tenha ficado com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo que entraremos em contato. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Foregon participa da 9ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo

Foregon Marca Presença na 6ª Edição do CX Summit

Foregon está no TOP 10 Fintech – Distrito Awards 2022

Foregon está entre as Melhores Empresas para Trabalhar GPTW – Tecnologia da Informação 2022.

Nubank Ultravioleta: nova Regra para Isenção de Anuidade

Consignado do Auxílio Brasil: Caixa já liberou R$ 1,8 bilhão

Nucoin: conheça a moeda digital que será lançada em 2023

Feirão Serasa Limpa Nome: até 99% de Desconto nas Dívidas