Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Governo reduz proposta de salário mínimo para 2021

Por Janaína TavaresPublicado em

O governo encaminhou para aprovação do Congresso Nacional uma nova proposta de salário mínimo para 2021. Conforme a projeção que faz parte do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), o mínimo será de R$ 1.067.

Esse valor representa uma redução de R$ 12, se levar em conta os R$ 1.079 propostos em abril deste ano para 2021. Caso queira entender melhor essa decisão do governo, continue a leitura do artigo e saiba mais.

Por que o governo reduziu o salário mínimo?

A proposta, que foi divulgada no dia 31 de agosto, estabelece uma correção com base na inflação de 2020.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Dito isto, é interessante ressaltar que como a previsão para a inflação deste ano recuou, o mínimo também sofrerá com essa diminuição.

Vale destacar ainda que mesmo se aprovada essa nova proposta, ela ainda significa um aumento de R$ 22 se comparada com o salário mínimo atual que é de R$ 1.045.

Contudo, a projeção anunciada pelo governo federal será capaz apenas de repor a inflação projetada para 2020, que está em 2,09% desde julho desse ano.

Com isso, o salário mínimo ficará sem um aumento real pelo segundo ano consecutivo. Porém, dependendo do comportamento da inflação até o final do ano, o mínimo para 2021 ainda pode ter novas alterações.

Entenda a proposta que reduz o salário mínimo

Em 15 de abril, o governo enviou a proposta ao Congresso de R$ 1.079 para 2021, época que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) estava com uma projeção de 3,29%.

Conforme as diretrizes da Constituição, o salário precisa ser corrigido pelo menos pela variação do INPC do ano anterior. No entanto, esse índice caiu para 2,09%.

Porém, entre 2007 a 2019, o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) permitia que o aumento do piso salarial fosse acima da inflação e com um crescimento real.

Mas, como essa lei não está mais valendo, o atual governo optou por reajustar o mínimo somente pela inflação, como determina a Constituição brasileira.

Importante: o salário mínimo é usado como um fator de referência para 49 milhões de trabalhadores no Brasil, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Qual o impacto da redução do salário mínimo?

A expectativa do governo é que com essa proposta aprovada pelo Congresso, ele terá menos gastos.

Na prática, isso significa que ao oferecer um reajuste menor do que o previsto anteriormente, o governo pode economizar R$ 4,26 bilhões em despesas.

Isso porque, de acordo com os cálculos desenvolvidos pelo governo, a cada R$ 1 de aumento do salário mínimo, as despesas em 2020 sobem para, aproximadamente, R$ 355 milhões.

Conteúdos úteis para você

Fique com a gente e conheça outros artigos da Foregon que vão fazer a diferença para você nesse momento:

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com o nosso conteúdo. Em casos de dúvidas ou sugestões, basta enviar seu comentário para que possamos responder. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Auxílio Emergencial: governo decidirá se vai estender o benefício nesta semana

Uber cobrará mais caro para quem quer ser atendido com prioridade; entenda

INSS garante direitos para motoristas de aplicativo

Méliuz: novo cartão deve ser lançado em janeiro 2022

Vivo oferece vagas de emprego presencial e home office; confira

Banco BV oferece novas funcionalidades através do teclado do celular: entenda

Nubank permitirá compra e venda de ações direto no aplicativo: saiba mais

PIS/Pasep 2022: veja quais são os valores previstos