Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Governo vai lançar programa para capacitar jovens com auxílio de R$ 600

Por Camila SilveiraPublicado em

De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o Governo Federal lançará, em breve, um novo programa de incentivo à qualificação da mão de obra. O programa tem como propósito preparar os jovens para o mercado de trabalho, oferecendo um auxílio de R$ 600, para que eles se capacitem e conquistem uma profissão formal.

"Estamos lançando um olhar justamente para evitar o que, no mercado de trabalho, se chama de Efeito Cicatriz", explicou o ministro. Esse termo usado pelos especialistas explica os prejuízos à evolução profissional que costumam afetar as pessoas sem muita capacitação, que estão em busca do primeiro emprego.

Como o programa vai funcionar?

O Ministério da Economia pretende firmar parcerias com empresas interessadas em investir no programa. Sendo assim, metade do auxílio de R$ 600 será pago pelo governo e a outra metade pelos empregadores, que também terão que oferecer meios para capacitar a mão de obra dos futuros colaboradores.

"A ideia básica é que o governo pague R$ 300 e as empresas mais R$ 300. Ou seja, as empresas pagarão para treinar [os jovens], que serão qualificadas para desempenhar o que, depois, serão seus empregos", explicou Guedes.

"Temos os recursos para este ano, mas queremos que seja um contrato de [trabalho de] pelo menos um ano. Então, em vez de lançar um contrato de seis meses [só até o fim deste ano], estamos tentando obter fontes [de recursos financeiros] para que o jovem fique coberto por este programa de treinamento no trabalho por pelo menos um ano", disse Guedes.

[lead-unbounce ]

Essas medidas a fim de ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social têm sido divulgadas há alguns meses, porém sem muitos detalhamentos. 

No começo de maio, Guedes afirmou que o Bônus de Inclusão Produtiva (PIB) e o Bônus de Incentivo à Qualificação da Mão de Obra (BIQ) protegerão as pessoas "invisíveis", que não são asseguradas nem pelo programa Bolsa Família e nem pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC).

"Protegemos os ‘invisíveis’ com o auxílio emergencial. Agora, com nossas políticas de emprego, precisamos cuidar dos milhões de brasileiros que não conseguiram [ingressar] no mercado formal de trabalho", acrescentou o ministro.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Bandeira verde deixará a conta de luz mais barata?

PicPay Card: anuncia fim da promoção de cashback de 5%

Conheça a nova função de consulta ao score de crédito do PicPay

Falha de sistema no C6 Bank resulta em desvio de R$ 23 milhões

Nova margem consignável para empréstimos em 2022 será de até 40% do benefício

Conheça as 8 mulheres mais ricas do Brasil em 2022

4 dos 10 bancos mais rentáveis do mundo são brasileiros

Saque extraordinário do FGTS: nascidos em fevereiro poderão sacar R$ 1 mil a partir do dia 30