Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Greve dos Correios: paralisação afeta entrega de encomendas e faturas

Por Janaína TavaresPublicado em

Com a greve dos Correios que começou no dia 17 de agosto, os consumidores precisam prestar atenção no prazo de entrega das suas correspondências, encomendas e faturas.

Por isso, neste artigo, você vai conhecer quais são os seus direitos e entender como deve agir em meio a essa paralisação.

Qual foi o motivo da greve dos Correios?

De acordo com o que foi divulgado pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT), os grevistas são contra a privatização da estatal.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Além disso, os envolvidos pedem que os seus direitos trabalhistas sejam garantidos durante a pandemia do novo coronavírus. Ainda conforme as informações cedidas pela entidade, não há um prazo para o fim da paralisação dos Correios.

Greve dos Correios: atraso de contas

Se a sua fatura vencer antes de ter recebido a cobrança pelo produto ou serviço, o melhor caminho é se organizar financeiramente para não arcar com as multas pelo atraso no pagamento.

Sendo assim, se a data de vencimento estiver próxima, entre em contato com Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da empresa responsável pela emissão da conta. Assim, você vai conseguir solicitar uma outra forma de pagamento como, por exemplo:

  • Segunda via do boleto;
  • Entrega da cobrança por e-mail;
  • Depósito bancário ou código de barra para pagamento em caixa eletrônico.

Entrou em contato com a empresa e não foi possível encontrar outra forma de pagamento? Portanto, lembre-se que a sua dívida não poderá ser cobrada com acréscimo de juros e multa.

Importante: você não ficará isento de efetuar o pagamento do produto ou serviço, mesmo que ainda não tiver recebido a sua fatura ou boleto bancário.

Greve dos Correios: atraso de encomendas

Precisa enviar alguma encomenda ou correspondência mesmo com a greve dos Correios? Se sim, o ideal é buscar por outros serviços de entrega disponíveis no momento.

Neste contexto, peça para que o prazo de entrega seja registrado por escrito. Dessa maneira, fica mais fácil de fazer alguma reclamação se a sua encomenda atrasar.

É importante dizer também que você tem direito a ressarcimento ou abatimento do valor pago, quando contratou algum serviço dos Correios, mas ele não foi prestado. Exemplos: entrega de encomendas e documentos.

Já as empresas que fazem as entregas pelos Correios, devem disponibilizar outras maneiras para que os produtos ou serviços cheguem para você dentro do prazo de entrega.

É o que também vai acontecer com as empresas que enviam cobranças por correspondência postal, já que elas precisam oferecer outras formas de pagamento para o consumidor enquanto durar a greve dos Correios.

Conteúdos que você precisa conhecer

Ante de ir, que tal ficar por dentro de outros artigos que preparamos para você? Veja as nossas indicações de leitura:

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com o nosso conteúdo. Qualquer dúvida ou sugestão, envie seu cometário para que possamos responder assim que possível. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Privatização dos Correios: estatal investe R$ 1,1 bilhão para atrair investidores

Banco Central pretende lançar moeda digital até 2022

Rodízio SP: dúvidas frequentes

Rodízio SP: qual é o valor da multa e como funciona?

Caixa Tem pretende lançar empréstimos de pequenos valores no App: veja como vai funcionar

Rodízio de carros em SP das 20h às 05h continua até 9 de maio

Nubank está entre as 100 empresas mais influentes do mundo

Mais da metade de contribuintes ainda não declararam o Imposto de Renda 2021