Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Inflação faz até os alimentos mais baratos ficarem fora do alcance da população baixa renda

Por Thais SouzaPublicado em

Com a alta nos preços da carne desde o final de 2020, a alternativa dos consumidores de baixa renda foi optar por alimentos como ovo e frango para substituí-la. Porém, a inflação vem sofrendo grandes avanços nos últimos meses, fazendo com que até esses alimentos fiquem fora do alcance da população. 

Inflação faz até os alimentos mais baratos ficarem fora de alcance 

De acordo com dados do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em abril, os preços de produtos que serviam de alternativa para a carne também vem subindo em todo o estado de São Paulo desde o começo do ano. 

O preço médio do ovo subiu 5,21% , no acumulado dos últimos 12 meses. Já o frango, que pode substituir a carne vermelha, teve um aumento de preço de 3,42% desde janeiro. Quem escolher os peixes também terá que desembolsar um valor a mais, o preço para essa categoria subiu cerca de 6,76% no mesmo período.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Desde janeiro deste ano, o valor das carnes bovinas, de acordo com o  IPC-Fipe, acumulando uma média de 36,63 de alta no último ano. Para se ter uma ideia, somente em abril, o valor das carnes vermelhas saltou em 3,23%, deixando o consumidor de baixa renda sem alternativas. 

Verduras também sofreram com a alta

As verduras também sofreram aumentos em todo o estado de São Paulo por conta da inflação acelerada no país. A salsa, alface e couve tiveram aumento acima de 20% desde janeiro deste ano.

A cebola, um dos alimentos mais consumidos pelas famílias brasileiras, teve uma alta de 29,11% desde o início deste ano. Somente no mês de abril cresceu 3,79%, indo para 25,85% no acumulado dos últimos 12 meses.

BC eleva a Taxa Selic para conter inflação 

Na última reunião do Copom, o Banco Central decidiu elevar a Taxa Selic, taxa básica de juros da economia brasileira, para 3,75, com o intuito de conter a inflação no país.

Com uma inflação controlada, o preço dos alimentos pode voltar a baixar, mas em contrapartida, a Selic aumentando também traz consequências negativas para a economia. 

Deixe seu comentário caso tenha ficado com alguma dúvida e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Imposto de renda: saiba como sair da malha fina

Aumento da energia: saiba quais são os vilões da conta de luz

Aneel aciona bandeira vermelha em patamar 2 e impacta economia brasileira

Organizze: veja o passo a passo de como usar o aplicativo para controlar suas finanças

A melhor forma de utilizar o dinheiro da restituição do IR 2021

Cashback: guia completo

Dia dos namorados: como economizar?

5 dicas para você cuidar do seu dinheiro e gastar sem culpa