Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Investimentos de médio prazo: guia completo

Por Sabrina VansellaPublicado em

Já definiu os seus objetivos financeiros como investidor? Se não, chegou o momento de buscar os principais investimentos de médio prazo para compor a sua carteira e te ajudar a alcançá-los.

Para contribuir nessa escolha, escrevemos esse artigo completo com os principais ativos considerados ideais para o médio prazo. Continue a leitura!

Prazo de investimento: o que significa?

O prazo de investimento nada mais é do que o tempo que você estipula para alcançar um objetivo financeiro. Esse pensamento é válido para qualquer tipo de investimento, seja ele de Renda Fixa ou de Renda Variável. 

Além disso, o prazo também pode ser utilizado como data limite para a concretização de um objetivo ou para reavaliar os resultados dos investimentos e implementar novas ações.

Com organização, você não toma atitudes precipitadas e ainda consegue manter um planejamento para a realização dos seus objetivos financeiros.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Diferenças de investimentos de curto, médio e longo prazo

Toda meta bem organizada considera o prazo um ponto essencial a ser definido. Por isso, quando você começar a investir é necessário determinar se o investimento será de curto, médio ou longo prazo. Veja a diferença:

  • Investimentos de curto prazo: devem ser realizados em até um ano;
  • Investimentos de médio prazo: devem ser realizados em dois ou até cinco anos;
  • Investimentos de longo prazo: objetivo realizados acima de cinco anos.

Após definir o prazo dos seus investimentos, fica mais fácil escolher o ativo a ser investido, já que a partir dele é possível organizar suas prioridades como investidor.

O que são investimentos de médio prazo?

Nos investimentos de curto prazo, os investidores costumam escolher a Renda Fixa para atingir os seus objetivos de forma rápida e segura. Mas não se engane, também é possível priorizar a Renda Variável no curto prazo, tudo isso vai depender do perfil de investidor

Para investimentos de longo prazo, é comum ter o foco no acúmulo patrimonial. Por exemplo: aposentadoria, faculdade dos filhos e outros objetivos.

Investimentos de médio prazo estão localizados no meio termo entre o de curto e o de longo prazo. O que significa que as metas visam algo próximo, mas que exigem um maior planejamento, como: viagens, compra de imóvel, casamento, entre outros.

5 opções de investimentos de médio prazo

Agora que você já sabe como funcionam os investimentos de médio prazo, fica mais simples buscar ativos alinhados com o seu objetivo. Para te ajudar, selecionamos cinco possibilidades!

Títulos públicos do Tesouro Direto

Os títulos públicos são ativos emitidos pelo próprio governo federal e negociados através do Tesouro Direto. Nessa modalidade, você "empresta" dinheiro para o governo financiar as próprias atividades.

Na plataforma do Tesouro Direto é possível ter acesso a diversos títulos e seus tipos de rentabilidade, que podem ser: prefixado, pós-fixada ou híbrida. Conheça a diferença:

  • Títulos prefixados: aqueles que têm taxas de juros menores e fixas, mas trazem uma previsibilidade do valor que será recebido na data de vencimento dos títulos;
  • Títulos pós-fixados: o Tesouro Selic é a opção de ativo pós-fixado. Nesse caso, a rentabilidade pode variar já que está atrelada à taxa Selic;
  • Títulos híbridos: o Tesouro IPCA apresenta uma rentabilidade atrelada à junção de uma taxa prefixada com uma variável, que no caso é a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

O mais indicado para o médio prazo são os títulos híbridos e os prefixados. Mas é preciso ter atenção ao investir nesses ativos, pois o resgate antes do vencimento de qualquer um deles pode acarretar em perdas. Também é importante ressaltar que você deve estar preparado para a cobrança do Imposto de Renda.

CDB

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) são investimentos de Renda Fixa emitidos por bancos e instituições financeiras. Nesse caso, você "empresta" dinheiro para essas instituições e depois recebe o valor com juros.

A rentabilidade também pode variar como as dos títulos públicos e no caso da pós-fixada a taxa de juros acompanha o CDI ao invés da taxa Selic, mas as duas taxas são próximas. Também é necessário ter atenção com a cobrança do Imposto de Renda sobre os lucros.

Nessa modalidade você conta com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) que mesmo no caso de falência da instituição, te protege em investimentos de até R$ 250 mil.

Observação importante: cada instituição financeira emissoras de CDBs podem estipular suas próprias regras, como: prazo e liquidez. Recomendamos que você busque corretoras de valores que apresentam mais rentabilidade do que alguns bancos tradicionais.

LCI e LCA

Existem outros títulos de Renda Fixa emitidos por bancos e instituições financeiras, são eles: as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA). Os dois tipos de investimentos funcionam de forma semelhante, mas atuam em duas áreas diferentes.

Nesse caso, você tem a oportunidade de investir diretamente no setor imobiliário ou no agronegócio, tudo depende do que você deseja e acha mais vantajoso. O diferencial nesses  investimentos está na isenção do Imposto de Renda sobre os lucros para Pessoas Físicas.

No entanto, é necessário que você avalie a rentabilidade desses tipos de ativos, pois mesmo que aconteça a isenção do Imposto de Renda sobre os lucros, isso não significa que o produto apresenta maior potencial de ganhos.

Assim como os outros ativos, os LCIs e LCAs também podem ser prefixados, pós fixados e híbridos. Além disso, os dois contam com a cobertura do FGC para investimentos de até R$ 250 mil.

Fundos de investimentos

Os fundos de investimentos reúnem vários investidores com objetivos semelhantes. A partir dessa união, o grupo contará com alguma empresa ou profissionais especializados para realizar movimentações.

Normalmente, esses fundos se dividem em diferentes categorias. As principais são: os fundos de ações (FIAs), fundos imobiliários (FIIs), fundos de Renda Fixa e fundos multimercados. 

Nesse caso, você consegue acompanhar as estratégias realizadas e não tem poder de decisão. Por isso, é muito importante que você tenha confiança no gestor do fundo e esteja de acordo com as estratégias propostas por ele. Por conta disso, essa opção pode ser vista como mais arriscada.

Ações

Investir em empresas de capital aberto também pode ser uma boa opção para investimentos de médio prazo. No entanto, é essencial que você apenas considere investir em ações com maior volatilidade em períodos curtos e médios.

Para não sair no prejuízo é preciso entender como começar a investir em ações, já que essa modalidade apresenta mais riscos do que as citadas anteriormente.

Incidência do Imposto de Renda

Tanto os títulos públicos quanto os CDBs são tributáveis. A incidência do Imposto de Renda acontece sobre os lucros e segue as alíquotas da tabela regressiva. Confira:

Aplicação de até  Alíquota (%)
180 dias 22,5%
181 a 360 dias 20%
361 a 720 17,5%
Acima de 720 dias 15%

Como os investimentos de médio prazo podem chegar a até cinco anos, que corresponde a 1825 dias, você poderá ficar na menor faixa de 15% de incidência do Imposto de Renda sobre os lucros.

Qual a melhor opção de investimento de médio prazo para mim?

Nesse artigo, apresentamos cinco opções de bons investimentos de médio prazo. Mas é importante relembrar: qualquer decisão que diz respeito a sua carteira de investimentos deve estar de acordo com o seu perfil de investidor e objetivos financeiros.

Por isso, tenha consciência de qual é a sua tolerância com os riscos antes de investir em uma opção que aparenta ser vantajosa por apresentar mais rendimentos. Em cada tipo de perfil, é de se esperar determinadas atitudes. Conheça:

  • Perfil conservador: não está disposto a arriscar e prefere a garantia de segurança e previsibilidade, tem a Renda Fixa como opção confortável;
  • Perfil moderado: estão dispostos a assumir alguns riscos, por isso, costuma diversificar sua carteira em Renda Fixa e Variável;
  • Perfil arrojado: apresentam foco em ganho de capital e têm maior tolerância aos riscos, geralmente preferem a Renda Fixa.

Após ter alinhado o seu perfil de investidor, também é importante entender quais são os seus objetivos financeiros em até cinco anos para escolher o ativo ideal. Para isso, tenha uma meta estabelecida e faça o alinhamento com cada opção dos investimentos de médio prazo. 

Por fim, faça a união do conceito do perfil de investidor e o seu objetivo financeiro de médio prazo para chegar na resposta do ativo ideal para você.

Consulte seu CPF grátis e receba as melhores ofertas!

Mais de 300 opções entre cartões de crédito, contas e empréstimos.

Consultar CPF grátis
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Perguntas frequentes (FAQ)

Qual o melhor ativo para investir a médio prazo?

Essa resposta pode variar de acordo com o seu perfil de investidor. No entanto, é importante estar atento à liquidez e ao vencimento do ativo, para que essas duas características estejam alinhadas com o objetivo de médio prazo.

Quanto tempo é um investimento de médio prazo?

Objetivos considerados de médio prazo são aqueles que devem ser realizados em, no máximo, cinco anos.

Quais são os principais objetivos de médio prazo?

Os principais objetivos de médio prazo, são: viagens, compra de imóvel, compra de automóvel e casamento.

Descomplicamos?

Esperamos que você tenha tirado as suas dúvidas sobre investimento de médio prazo. Caso tenha restado alguma, faça um comentário que nós descomplicamos para você. A Foregon descomplica a sua vida financeira!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Descubra quais bancos oferecem CDB a 110% do CDI com liquidez de 3 meses

Fundos imobiliários: saiba como investir pelo Nubank

Tag along: saiba o que é esse mecanismo do mercado de ações

O que é CDB com liquidez diária? Descubra agora mesmo

NFT: como comprar o token não fungível?

O que é Ethereum (ETH) e como funciona?

Limite de até R$ 25 mil: conheça o CDB Cartão de Crédito do C6 Bank

Saiba quanto rende R$ 10 mil por mês no PicPay