Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Investir em seguro residencial pode ajudar a reduzir outras despesas da casa

Por Genebra SegurosPublicado em

Um dos ramos que ganhou destaque em 2021 foi o do seguro residencial. Tradicionalmente, o consumidor não vê – ou não via – o seguro residencial como algo acessível porque relacionava o valor do seguro diretamente com o valor do bem; e não é isso o que acontece.

No Brasil, as pessoas, historicamente, associavam, de forma equivocada, o preço da apólice residencial ao valor do seguro de automóvel, imaginando que seria necessário o pagamento de uma quantia elevada para ter proteção da sua casa. O momento da pandemia fez muitas pessoas ficarem mais atentas quanto às vantagens e possibilidades dos seguros residenciais disponíveis no mercado.

Dados da Susep (Superintendência de Seguros Privados) apontam que apenas 15,8% dos lares brasileiros contam com uma apólice de seguro residencial.

A modalidade oferece proteção contra danos em razão de incêndio, explosão ou implosão, fumaça ou queda de aeronave. Além das coberturas básicas, o cliente pode adicionar diversas outras coberturas e deixar o seguro mais completo de acordo com suas necessidades, existindo opções como: cobertura para danos elétricos, alagamentos, danos em reformas, vidros quebrados em caso de roubo ou furto, danos a terceiros, auxílio funeral e até para danos em placa solar.

O consumidor brasileiro costuma ver a contratação de seguro como um gasto a mais, porém é preciso mudar essa mentalidade já que o seguro residencial pode ser uma ferramenta de amparo nas situações de imprevisto com a casa, que em geral nos fazem ter gastos extras.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

A apólice de seguro pode ajudar o segurado economizar em caso de sinistro uma vez que o produto garante, por meio de um preço fixo, a cobertura para grandes e pequenos danos no imóvel.

Para manter o crescimento do setor, é preciso adaptar não somente os produtos, mas também os serviços e processos, oferecendo cada vez mais comodidade e agilidade para os consumidores. Isso tem sido feito por muitas companhias que apostam na oferta de serviços para conquistar mais clientes. Esse comportamento ficou bastante claro durante a pandemia quando, pelo fato de ficarem mais em casa, as pessoas passaram a ter uma maior preocupação com a residência.

Esse tipo de mudança de comportamento é uma oportunidade para inovar, por isso, as seguradoras têm buscado ficar atentas às necessidades dos clientes e do mercado como um todo, deixando o portfólio que possa ser adaptado conforme o perfil do cliente. Isso faz com que os segurados possam perceber o valor agregado do produto. Dessa forma, ao perceber o valor, a venda tem mais chance de acontecer. 

A Superintendência de Seguros Privados (Susep), que é a autarquia que fiscaliza o setor, flexibilizou as regras para criação de produtos, permitindo que as seguradoras possam criar novos produtos que atendam às diversas necessidades de proteção.

Dados da Susep apontam que, até novembro de 2021, o segmento residencial cresceu 16,5% no Brasil em comparação com o mesmo período de 2020.

Durante a pandemia, as pessoas passaram a ficar mais tempo em casa porque muitas empresas precisaram adotar o modelo home office. Esse tempo em casa fez com que as famílias fizessem mais uso dos equipamentos domésticos e, por conseguinte, estes acabaram precisando de manutenção.

Além de proteger o bem, o seguro residencial permite que o segurado tenha acesso também a serviços de assistência, que podem gerar economia ao serem utilizados. E, nesse sentido, o segurado pode, além de proteger o patrimônio contra acidentes maiores, como possíveis incêndios, descargas elétricas, alagamentos ou roubos, ter acesso a um recurso que facilita a resolução de seus outros problemas. Afinal, dependendo do plano de seguro contratado, diversos tipos de assistência poderão ser agregados ao plano e serem executados de forma gratuita.

Quando a pessoa faz um seguro residencial simples ela automaticamente tem acesso à assistência de reparo nas linhas branca (geladeira, fogão, freezer), marrom (aparelhos eletrônicos de uso doméstico como TVs, equipamentos de áudio e vídeo) e de ar condicionado. Se ela tiver um ar condicionado em casa, pode solicitar que seja feita a limpeza do aparelho de graça, por exemplo.

Além desse tipo de serviço de reparo, há diversos outros serviços disponíveis, como assistência hidráulica e elétrica, desentupimento, cobertura provisória de telhados e até funeral pet. Claro que proteções e assistências variam de seguradora para seguradora, mas, no final, o cliente pode escolher qual é o tipo de proteção mais interessante para ele. Assistência bike, por exemplo? Por que não?

Economia em reparos

Um estudo feito pela BB Seguros mostra que o seguro residencial evita gastos extras com a manutenção da casa. Na média, o uso de três serviços de manutenção ou reparo no lar durante um ano supera o valor do prêmio do seguro.

A lógica é aplicável para diversos tipos de residências. Em uma casa, por exemplo, ao contratar serviços de limpeza de calhas, ralos, sifões e caixas de gordura, além da limpeza dos filtros de um ar-condicionado, o morador gasta, em média, R$1.050,00.

Gastos com chaveiro, encanador e eletricista, por exemplo, quando somados, têm custo médio de R$750,00, o que também tornaria o seguro residencial mais atraente. Em outro cenário, o conserto de uma televisão e de um aparelho de ar-condicionado, somados à instalação ou conversão de um fogão ou cooktop, custam, em média, R$900,00, quantia que supera o valor anual do seguro.

Os preços médios apresentados nesses dados tiveram como base os preços praticados em São Paulo (SP).

Mitos sobre o seguro residencial

O preço da proteção residencial é proporcionalmente igual ao valor do seguro de automóvel?

Mito. O valor do seguro residencial é inversamente proporcional ao do seguro de automóvel. A composição do preço do seguro residencial leva em consideração uma série de fatores como coberturas e limites das indenizações contratadas, características do imóvel, entre outros. O custo médio de um plano básico de seguro residencial pode ser inferior a R$350.

A franquia precisa ser paga sempre que o cliente aciona o seguro?

Verdade. Normalmente, quando o cliente aciona uma cobertura indenizável da sua apólice, nas principais coberturas dos seguros patrimoniais, existe uma quantia referente à franquia que será paga pelo cliente.

Seguro residencial possui serviços emergenciais?

Verdade. As proteções residenciais, de carro e também empresariais contam com uma série de assistências incluídas nas apólices que podem ser acionadas pelos clientes para soluções de problemas rotineiros que, em muitos casos, demandam a contratação de um prestador de serviço para serem solucionados.

Além disso, o seguro residencial possui uma série de garantias que envolvem incêndios, alagamentos, entre outros eventos imprevistos, como a cobertura médica, na qual os gastos com tratamentos, cirurgias, internações e medicamentos estão inclusos no pacote. São aportes que trazem segurança tanto no pós-acidente quanto na prevenção.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Genebra Seguros

A Genebra é uma corretora de seguros que oferece a conveniência do acesso a seguros através de canais digitais aliada à segurança e ao atendimento humano que apenas uma corretora de seguros tradicional pode oferecer.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

O que é portabilidade? Conheça todas as modalidades

Emissão cartão CNPJ: entenda o que é e como fazer

Saiba como gerar boleto bancário: para depósito em conta e empresas

Conta inativa do FGTS: o que é, como consultar e sacar?

Bradesco: renegociação de dívidas, como fazer?

Portabilidade de salário: tudo o que você precisa saber

O que é INSS? Guia completo sobre o Instituto Nacional do Seguro Social

App Itaucard: como baixar o aplicativo do banco no seu celular