Foregon.comConteúdos

Itaú anuncia que não vai cobrar juros sobre limite do cheque especial

Por Thais SouzaPublicado em
Compartilhe

Uma medida do CMN que permite que as instituições financeiras cobrem juros de até 0,25% sobre o limite do cheque especial vem causando muita polêmica. Por sua vez, muitos bancos se manifestaram informando que não vão cobrar essa tarifa de seus clientes e o Itaú Unibanco é um deles.

Entenda a medida do CMN

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma medida, em novembro de 2019, que introduz mudanças para baratear o cheque especial.

A medida estabelece um limite de 8% para a cobrança de juros no cheque especial, mas determina também que as instituições financeiras poderão cobrar 0,25% ao mês para quem tem limite de crédito, nessa modalidade, superior a R$ 500.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

E é aí que entra a polêmica: a cobrança do juros de 0,25% ao mês para quem exceder o limite de R$ 500 do cheque especial será feita até nos meses em que o cliente não utilizá-lo. Ou seja, os bancos poderão cobrar por um serviço que muitos clientes não pedem e não utilizam.

Com essa medida, clientes que possuem um limite de R$ 20 mil, por exemplo, terão que pagar R$ 50 por mês ao banco, apenas por ter limite no cheque especial.

Apesar da cobrança ser permitida, ela não é obrigatória. Portanto, fica a critério de cada banco decidir se vai cobrar ou não.

Itaú anuncia isenção de juros do limite de cheque especial

O Itaú Unibanco foi uma das instituições financeiras que não aceitaram a cobrança. O banco anunciou no fim de janeiro a isenção da tarifa de 0,25% sobre o valor limite do cheque especial, tanto para novos clientes, quanto para os antigos.

"A decisão beneficiará todos que possuem o produto contratado em sua conta Pessoa Física ou microempreendedor individual", diz o Itaú, em nota.

E os outros bancos?

A maioria dos grandes bancos estão se posicionando da mesma forma que o Itaú, como: a Caixa e o Banco do Brasil, por exemplo – que também anunciaram a isenção da taxa.

Já o Santander e o Bradesco, por pressão dos clientes, disseram que por enquanto não vão cobrar a taxa, mas que vão avaliar a decisão futuramente.

Cliente pode reduzir limite ou negociar

Mesmo que a maioria não esteja cobrando a tarifa, se o seu banco anunciar que vai cobrá-la, você pode pedir a retirada do limite do cheque especial ou somente a redução para um valor abaixo de R$ 500, já que nesses casos, a taxa de juros de 0,25% não pode ser cobrada.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário que a gente descomplica para você. Até a próxima! 🙂

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Thais Souza

Estudante de Publicidade e Propaganda, é Redatora na Foregon. Gosta de escrever textos sobre dicas de viagens e destinos. Nas horas livres gosta de ler e cozinhar.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Qual o prazo para sacar o FGTS após demissão?

  • Dicas financeiras

    Como parcelar boleto com cartão de crédito?

  • Dicas financeiras

    O que é a Click Conta Bradesco?

  • Dicas financeiras

    Faturamento MEI 2020: descubra

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras