Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Liquidez diária nem sempre é a melhor para seus investimentos. Entenda

Por Thais SouzaPublicado em

Você já deve ter ouvido falar que liquidez diária para investimentos de Renda Fixa é o modelo ideal para não perder o seu rendimento, caso o valor tenha que ser resgatado antes do prazo. No entanto, nem sempre ela é uma boa opção para quem deseja garantir bons retornos com suas aplicações. Neste artigo vamos explicar com mais detalhes para você.

Liquidez diária: o que é? 

A liquidez de um investimento diz respeito a sua capacidade de se transformar em dinheiro, ou seja, em lucros. Ela pode ser diária, no vencimento, alta ou baixa. 

No caso da liquidez diária, como o nome já diz, o dinheiro rende todos os dias, a partir do primeiro dia que você investiu. Portanto, ela permite que o valor possa ser resgatado a qualquer momento, inclusive antes do prazo do investimento, sem que o investidor perca o que já rendeu.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Por que a liquidez diária nem sempre é melhor? 

A liquidez diária nem sempre é uma boa alternativa porque a rentabilidade dos investimentos em Renda Fixa depende diretamente do seu prazo de vencimento. Ou seja, quanto mais tempo você deixar o dinheiro aplicado, mais ele vai render.

Mesmo com a vantagem de resgate imediato, quando utilizamos a liquidez diária, o rendimento desses investimentos é menor.

No entanto, isso não se aplica se você estiver investindo em uma reserva de emergência. Nesse caso, a liquidez diária é obrigatória, já que um imprevisto pode acontecer a qualquer momento, fazendo com que seja necessário o resgate do investimento antes do prazo. 

Como lucrar mais com Renda Fixa?

Para que seus investimentos sejam mais rentáveis, o ideal é traçar as suas metas antes de aplicar seu dinheiro e diversificar sua carteira. Mas como isso funciona na prática?

Você deve investir em pelo menos dois tipos de ativos financeiros diferentes. Isso pode te proporcionar mais flexibilidade e rentabilidade. Por exemplo, é possível aplicar parte do seu dinheiro em uma reserva de emergência com liquidez diária e a outra parte em um ativo de liquidez no vencimento. 

Essa divisão deve estar atrelada aos seus objetivos. Se você tem R$ 10 mil para investir, pode separar esse valor conforme suas necessidades. Uma boa divisão seria a seguinte: 50% para resgate imediato; 30% para resgate em 180 dias e 20% para resgate em dois anos. Assim, você terá três opções de investimentos, uma para cada meta da sua vida: curto, médio e longo prazo. 

Descomplicamos?

Agora que você já conferiu o que é liquidez diária e como usá-la a seu favor, que tal começar a sua reserva de emergência para estar preparado para possíveis imprevistos financeiros? Abaixo separamos um artigo completo para você entender melhor sobre esse tipo de investimento: 

Boa leitura e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Ativos reais: o que são e quais os riscos?

O que avaliar antes de escolher uma corretora de investimentos

O código é lei: entenda as plataformas de contratos inteligentes

Tecnologia: vale a pena investir no setor?

Confira 4 investimentos que te protegem da inflação

O que é e como funciona o crédito privado?

Diferença entre data de vencimento e carência em investimentos de Renda Fixa

O que são investimentos alternativos e quais as vantagens na diversificação do seu portfólio?