Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Marco legal das startups foi aprovado e traz mais segurança

Por Sabrina VansellaPublicado em

Foi sancionado pelo Governo o marco legal das startups. O regulamento visa estruturar juridicamente as inovações e novas formas de negócio. Após a mudança, o cenário melhorou para os investidores que tinham receios de aplicar seus ativos em empresas mais novas.

Continue a leitura e conheça as principais mudanças motivadas por esse novo regulamento que estabelece o ambiente do empreendedorismo inovador.

O que é o marco legal das startups?

O marco legal das startups é uma lei que visa estabelecer a maneira que essas empresas funcionam e incentivam o ambiente empresarial.

O principal motivo da implementação surgiu após a necessidade de estabelecer normas que apresentem soluções para este modelo de empresa.

Principais mudanças nas startups após o marco legal

A partir da nova lei, podem ser classificadas como startups apenas empresas e sociedades cooperativas atuantes na inovação de produtos, serviços ou modelos de negócios que chegaram a ter receita bruta de até R$ 16 milhões no ano anterior de 2020, com dez anos de inscrição de CNPJ.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Além disso, a lei também apontou a criação de ambiente regulatório experimental, que é um regime que entrega a permissão para empresas lançarem produtos com menos burocracia. Dessa forma, empresas como a Anvisa ou Anatel, podem privilegiar e suspender temporariamente para as startups algumas normas exigidas das empresas atuantes no setor.

Mais segurança ao investidor

Após a lei ter sido sancionada, as startups poderão contar com investidores sem que eles participem do capital social, da direção e do poder decisório da empresa.

Com isso, os investidores podem optar pela compra de ações de diferentes startups, assim como resgatar títulos emitidos, por exemplo.

Informamos?

Esperamos que você tenha entendido um pouco mais sobre as principais mudanças promovidas pelo marco legal das startups. Caso tenha restado alguma dúvida, faça um comentário. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Saiba como gerar boleto bancário: para depósito em conta e empresas

Conta inativa do FGTS: o que é, como consultar e sacar?

Bradesco: renegociação de dívidas, como fazer?

Portabilidade de salário: tudo o que você precisa saber

O que é INSS? Guia completo sobre o Instituto Nacional do Seguro Social

App Itaucard: como baixar o aplicativo do banco no seu celular

Sabesp: contas atrasadas, como resolver?

O que é código SWIFT?