Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Ministro da Economia quer ampliar faixa de isenção do IR das pessoas físicas e reduzir tributação sobre empresas

Por Sabrina VansellaPublicado em

Paulo Guedes, o ministro da Economia, afirmou na quarta-feira (23) que o ministério da economia gostaria de ampliar a faixa de isenção do Imposto de Renda Pessoa Física, que atualmente está em R$ 1.903,98. Caso a proposta seja aprovada, a mudança permitirá que menos pessoas paguem o imposto e também reduzirá o valor de quem ainda tem que pagar o tributo.

"Na pessoa física, vamos pegar os impostos – seja esse aumento de arrecadação, seja o imposto sobre dividendos –, vamos pegar isso e transformar em desoneração lá em baixo, em aumento da faixa de isenção. Uma pessoa que ganha R$ 1.900, R$ 2.000, R$ 2.100, R$ 2.300 de salário, tem de estar isento", declarou o ministro, em videoconferência com empresários.

A medida tem como foco atender um desejo que foi mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018, que comentou sobre isentar o IR de quem ganha até cinco salários mínimos (R$5.500 atualmente).

No entanto, no ano passado, foi feita uma avaliação pelo Tesouro Nacional sobre a ampliação da faixa da isenção que beneficiaria quem ganha mais de R$ 1.951 por mês.

Segundo Guedes, a ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física seria compensada com o retorno da tributação sobre a distribuição de lucros e dividendos das empresas a pessoas físicas, que vigorou até 1996.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

O ministro também acrescentou que essa medida pode quase duplicar a faixa de pessoas que são beneficiadas com isenção do Imposto de Renda. Além disso, foi informado que o governo também quer reduzir a tributação sobre a renda das empresas, que está acima de 30% no país.

A meta é conseguir reduzir a tributação sobre renda das Pessoas Jurídicas para cerca de 25%, já que, atualmente, a alíquota está superior a 30%. "Achamos que o imposto de pessoa jurídica tem de ser, no máximo, de 25%, pois a média mundial hoje está em torno de 22%", afirmou o ministro.

"Em compensação, a gente começa a tributar mais a pessoa física um pouco mais rica. Aumentando o ritmo de crescimento, vamos tentar criar uma classe média mais robusta", acrescentou.

Faixas do Imposto de Renda atualmente

  • Faixa 1 – Até R$ 1.903,98: isento;
  • Faixa 2 – De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65: 7,5%;
  • Faixa 3 – De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05: 15%;
  • Faixa 4 – De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68: 22,5%;
  • Faixa 5 – Acima de R$ 4.664,68: 27,5%.

Informamos?

Esperamos ter ajudado com essas informações, não esqueça de clicar no "like". Se tiver alguma dúvida ou sugestão, faça um comentário. Até breve!

 

    Gostou? Deixe seu curtir
    Compartilhe
    Sabrina Vansella

    Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

    Ver todos os posts

    Deixe seu comentário

    Leia também

    Bandeira verde deixará a conta de luz mais barata?

    PicPay Card: anuncia fim da promoção de cashback de 5%

    Conheça a nova função de consulta ao score de crédito do PicPay

    Falha de sistema no C6 Bank resulta em desvio de R$ 23 milhões

    Nova margem consignável para empréstimos em 2022 será de até 40% do benefício

    Conheça as 8 mulheres mais ricas do Brasil em 2022

    4 dos 10 bancos mais rentáveis do mundo são brasileiros

    Saque extraordinário do FGTS: nascidos em fevereiro poderão sacar R$ 1 mil a partir do dia 30