Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Muitos brasileiros estão endividados em 2021, segundo a CNC

Por Sabrina VansellaPublicado em

Foi informado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que na quinta-feira (5), o número de brasileiros que estão endividados foi o maior registrado desde 2010. O recorde histórico mostra que no mês de julho, 71,4% do total de consumidores tinham alguma dívida, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC).

As informações foram adquiridas via sondagens que acontecem mensalmente. No mês de julho teve uma alta de 1,7 ponto percentual em relação a junho. Já em comparação com o ano passado, o índice apresentou um aumento de 4 pontos percentuais.

A crise econômica

A entidade afirma que os altos índices são um reflexo da crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19. Os números indicam as consequências da inflação elevada, a falta de estímulos sociais e os altos níveis de desemprego no país. A junção desses fatores acabam diminuindo o poder de compra da população e os orçamentos domésticos.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

"A renda dos consumidores está afetada pelas fragilidades do mercado de trabalho formal e informal, com o Auxílio Emergencial deste ano sendo pago com um valor menor", afirma o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

Mais pessoas estão endividadas

A pesquisa foi dividida pela CNC em duas faixas de renda: menor e maior que 10 salários mínimos. As famílias que recebem menos, em julho de 2020, mostraram um percentual de endividamento de 69%, já em junho de 2020 o número foi para 70,7% e para 72,6% em julho.

Para as famílias que recebem mais do que 10 salários mínimos, a proporção também subiu de 65,5% para 66,3% em julho e no ano passado os números eram de 59,1%.

Nível de endividamento (% em relação ao total de famílias) 

Categoria Julho de 2020 Junho de 2021 Julho de 2021
Muito endividado 15,5% 14,7% 14,6%
Maios ou menos endividado 25,0% 24,6% 25,6%
Pouco endividado 27,0% 30,4% 31,2%
Não tem dívidas desse tipo 32,4% 30,3% 28,5%
Não sabe 0,1% 0,0% 0,0%
Não respondeu 0,1% 0,0% 0,0%

A CNC complementa que a parcela média da renda comprometida com débitos chegou a 30,5% da renda mensal, o resultado mais alto desde novembro de 2017.

O mau uso do cartão de crédito

Com os gastos por conta das variáveis do período, muitas famílias endividadas apostaram em adquirir ou aumentar o uso do cartão de crédito. No entanto, é preciso ter cuidado com os juros rotativos, pois a pesquisa mostrou que 82,7% das famílias que apresentaram dívidas utilizavam o cartão de crédito.

"A modalidade é a mais difundida pelas facilidades do meio de pagamento, porém a que oferece o maior custo ao usuário, quando se torna crédito rotativo", diz a CNC.

Os números trazem uma preocupação, pois mostram o aumento do endividamento que pode significar também um crescimento da inadimplência. A CNC mostra que o tempo médio de atraso na quitação de dívidas cresceu pela segunda vez, chegando a 61,9 dias em julho.

"Nos dois últimos meses, diminuiu o percentual de famílias com atrasos até 30 dias, porém aumentaram os atrasos entre 30 e 90 dias e os acima de 90 dias, indicando que as famílias inadimplentes estão precisando de mais prazo para quitarem seus compromissos em aberto", complementa a CNC.

Informamos?

Esperamos que essas informações tenham sido úteis, se gostou, não esqueça de clicar no "like". Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, faça um comentário. Até mais!

 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Uber cobrará mais caro para quem quer ser atendido com prioridade; entenda

INSS garante direitos para motoristas de aplicativo

Méliuz: novo cartão deve ser lançado em janeiro 2022

Vivo oferece vagas de emprego presencial e home office; confira

Banco BV oferece novas funcionalidades através do teclado do celular: entenda

Nubank permitirá compra e venda de ações direto no aplicativo: saiba mais

PIS/Pasep 2022: veja quais são os valores previstos

Vale-gás: o valor pode cair somente R$ 1,36 para beneficiados