Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Novo gasto com Auxílio Emergencial pode gerar alta na Taxa Selic

Por Thais SouzaPublicado em

O Governo estuda oferecer um novo Auxílio Emergencial de até R$ 250 para a população durante a pandemia do Covid-19. Porém, o Banco Central teme que esse estímulo, sem uma compensação com um corte de gastos ou alta de tributos, pode resultar em alta da Taxa Selic, atualmente na mínima histórica de 2% ao ano.

Novo gasto com Auxílio Emergencial pode gerar alta na Taxa Selic

Segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, uma nova rodada do Auxílio Emergencial em 2021 sem uma contraparte pode fazer com que a taxa básica de juros do país tenha uma alta. 

Quando uma verba emergencial é retirada dos cofres públicos, geralmente é feita uma compensação através de políticas de corte de gastos ou alta de tributos. 

Pago em 2020 para os mais afetados pela pandemia, o Auxílio Emergencial levou a um aumento de 17,9% na dívida pública federal, o total da dívida chegou a mais de R$ 5 trilhões.

Novo Auxílio Emergencial

Para que o novo Auxílio Emergencial entre em vigor em março, terá que ser aprovada uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de orçamento de guerra, semelhante à aprovada em 2020. Esse tipo de orçamento permite que o governo amplie os gastos no combate à pandemia livre das regras fiscais. 

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

O texto da versão quase final da PEC constitucional que pode aprovar o novo Auxílio Emergencial em 2021 ressalta que não haverá cortes obrigatórios, redução de salários ou corte de benefícios sociais afim de compensar o teto de gastos do auxílio. 

Se confirmado, o novo Auxílio Emergencial sem nenhuma compensação de gastos, pode fazer com que a dívida do governo cresça ainda mais e, com isso, gerar dúvidas entre investidores sobre a capacidade do governo de honrar seus pagamentos.

"A mensagem que será passada é que a trajetória da dívida vai continuar a subir e o prêmio de risco que os investidores vão pedir para manter a dívida brasileira pode ter um efeito, uma implicação de qual tipo de política que o Banco Central pode adotar", disse o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, durante videoconferência direcionada a investidores internacionais.

A PEC de guerra do novo Auxílio Emergencial pode ser aprovada em breve pelo Congresso. Confira como vai funcionar a nova distribuição do beneficio: 

Gostou da notícia?

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre a notícia, deixe seu comentário abaixo que entraremos em contato. Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Bandeira verde deixará a conta de luz mais barata?

PicPay Card: anuncia fim da promoção de cashback de 5%

Conheça a nova função de consulta ao score de crédito do PicPay

Falha de sistema no C6 Bank resulta em desvio de R$ 23 milhões

Nova margem consignável para empréstimos em 2022 será de até 40% do benefício

Conheça as 8 mulheres mais ricas do Brasil em 2022

4 dos 10 bancos mais rentáveis do mundo são brasileiros

Saque extraordinário do FGTS: nascidos em fevereiro poderão sacar R$ 1 mil a partir do dia 30