Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

O frio intenso pode aumentar o preço dos alimentos?

Por Sabrina VansellaPublicado em

As geadas e frentes frias que estão atingindo o Brasil vem preocupando muitas pessoas, principalmente em relação ao preço dos alimentos. Algumas culturas agrícolas no Sul, Sudeste e Centro-Oeste sofreram consequências com a queda brusca nas temperaturas. Plantações de alimentos, como milho, café e cana-de-açúcar foram as mais afetadas.

Para entender se os preços destes produtos podem subir, continue a leitura.

Como a temperatura pode impactar a agricultura?

Cada tipo de plantação exige condições climáticas específicas para um melhor desenvolvimento. Variáveis como a temperatura, quantidade de água, horas de sol e outros fatores são importantes para as plantações. Mesmo que apenas uma dessas variáveis não saia como o esperado, os riscos da plantação não ter um crescimento tão saudável ou até mesmo morrer, aumentam.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Por este motivo que o frio acaba preocupando muitos profissionais agrícolas, mesmo que não perca a colheita por completo, a quantidade de produto total diminui. 

Segundo a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAPESP), em São Paulo, os números mostraram que cerca de 20% da área de plantação de café foi afetada pelas temperaturas mais baixas de julho.

Os preços dos alimentos vão subir?

Ainda não é possível ter certeza qual será o aumento de preços dos alimentos, no entanto, já é esperado que o consumidor sinta os impactos trazidos pelo frio.

Afinal, é só entender que mesmo com falta de produtos a procura se mantém, ainda mais com produtos tão presentes no cardápio brasileiro como o café, milho e açúcar. Contudo, o milho também faz parte da alimentação de bovinos, suínos e aves, fazendo com que os produtos aumentem o valor final da carne.

Além disso, a cana-de-açúcar também é usada para produzir etanol. Ou seja, o preço do combustível e do transporte também pode aumentar, o que impacta o valor de frente e faz com que os itens transportados fiquem mais caros.

Principais itens que devem ficar mais caros

Os itens que devem ficar mais caros nos próximos meses são:

  • Milho;
  • Cana-de-açúcar;
  • Café;
  • Etanol;
  • Carne;
  • Soja;
  • Trigo.

Como se adaptar a alta dos preços?

Infelizmente, não há muitas saídas diante o aumento de preços dos alimentos, o que você pode fazer é procurar estabelecimentos que tenham valores mais baixos ou até mesmo buscar alternativas para substituir o produto.

Caso não tenha como substituir o produto, fique de olho no seu orçamento para que não perca o controle das contas e, quem sabe, faça alguns ajustes.

Informamos?

Esperamos que essas informações tenham sido úteis, se sim, não esqueça de curtir. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, faça um comentário. Até mais!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Conheça os 10 carros mais econômicos do Brasil

Reconhecimento facial: o que é e como funciona

Anywhere office: conheça o novo modelo de trabalho flexível

Pix: da facilidade nas transações ao crescimento nos golpes e mudança nas regras

Hotmart realmente dá dinheiro? Descubra agora mesmo

Iti Itaú: como ganhar dinheiro com a carteira digital

5 práticas de gestão financeira para empresas de sucesso

Saiba como remover os dados do cartão de crédito no Google Chrome