Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Open finance deve aumentar o potencial do mercado de seguros

Por Sabrina VansellaPublicado em

O Sistema Financeiro Aberto ou Open finance, permite o compartilhamento de dados sobre produtos, informações financeiras e serviços fornecidos pelos bancos. Por conta do acesso geral a esse conhecimento, existe um potencial de inclusão financeira no mercado de seguros, segundo especialistas da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Open finance para o mercado de seguros

Em resumo, o Open Banking traz aberturas para o sistema financeiro, assim como ao mercado de seguros, o que permite que seguradoras consigam ter acesso ao maior uso de dados e, dessa forma, diminuam a margem de riscos.

"Quando tem uma quantidade maior de dados, essa margem pode diminuir porque é um fator relacionado à incerteza. E essa queda é mais forte para pessoas de baixa renda" acrescentou o diretor da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Eduardo Fraga.

Por conta disso, inovações como essas e a do Pix são de grande proveito para a ampliação dos mercados de seguros do Brasil, que são pequenos quando comparados aos de outros países.

Afinal, com mais informações, mesmo que a concorrência maior leve a uma queda de preços nos produtos, o aumento do público consumidor mais do que compensará esse impacto.

Banco Central em relação ao Open finance

A busca por dados tem sido o principal objetivo de muitas empresas, pois a partir disso, é possível alinhar estratégias condizentes com o que o cliente deseja ou precisa.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Segundo Otávio Damaso, diretor de Normas e Regulação do Banco Central, "o Open banking surgiu como uma forma de quebrar a assimetria em relação ao uso das informações, que, até um passado recente, ficavam paradas dentro das instituições financeiras".

Agora, quem detém o instrumento de pagamento tem como saber quanto e quando o cliente gasta. Além disso, outros dados serão fornecidos com consentimento do usuário, como: interesses, hobbies, hábitos de comportamento e posicionamentos.

Informamos?

No blog da Foregon você tem acesso a mais informações sobre diversos tipos de seguros. Se você gostou do artigo, deixe a sua curtida ou o seu comentário para nós. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Alt.bank lança cartão de crédito para negativados e pessoas com score baixo

Motivar seus colaboradores por meio de suas próprias conquistas é a estratégia de gamificação utilizada pela Foregon em tempos de home office

Foregon – Fintech prudentina abre 10 novas vagas de emprego

C6 Bank lança o primeiro cartão biodegradável do Brasil

Tesouro Direto vai lançar título próprio para aposentadoria

Setor imobiliário: pagamentos à vista cresceram por falta de crédito bancário

Santander autoriza biometria facial para transações

Impacto da inflação dos EUA na economia brasileira