Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Parceria entre times de futebol e bancos digitais: entenda

Por Camila SilveiraPublicado em

Após a saída da Caixa Econômica Federal de vários clubes, as parcerias entre times de futebol e bancos digitais têm se mostrado cada vez mais presentes. O dinamismo da economia brasileira, até mesmo em momentos de crise, atrelado ao futebol, que é capaz de gerar bons retornos, têm sido alvo de oportunidades.

Em 2016, o Banco Inter iniciou sua parceria com o São Paulo, mas agora o BMG e o Digi+ são os que mais marcam presença nesse universo de patrocínios. Ou seja, o futebol tem potencial para tornar diversas marcas conhecidas, e parcerias de longo prazo trazem credibilidade para ambas as partes. 

O BMG, por exemplo, firmou uma parceira com o Corinthians, Atlético Mineiro com o Vasco e o Digi+ com o Cruzeiro. Esses contratos possibilitaram uma condição de divisão de lucros conhecida no mercado corporativo e financeiro como "profit sharing".

Profit Sharing

Esse termo quer dizer "divisão de lucros", ou seja, os times de futebol e bancos são sócios no negócio. É como se nascesse um novo banco no qual um acionista entra com dinheiro e conhecimento de mercado (banco) e o outro com a marca para atrair clientes (times). No final de cada dia, apuram o lucro da nova instituição e dividem 50% para cada um. 

Como os bancos funcionam?

O banco funciona oferecendo serviços, como empréstimos, aplicação de dinheiro, entre outros e, para isso, há sempre a cobrança de uma tarifa. O BMG e o Banco Inter não cobram nenhuma tarifa de abertura e manutenção de conta, mas o Digi+ sim, e essa é a primeira receita de alguns.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Portanto, em casos como o Digi+/Cruzeiro, basta o torcedor abrir uma conta corrente para começar a gerar dinheiro. Porém, no caso do BMG, essa abertura não quer dizer absolutamente nada. Deu para compreender?

Sendo assim, esse banco (BMG) faz dinheiro de outra forma: com empréstimos, aplicações, oferecendo cartão de crédito e cobrando tarifa por isso. De modo geral, todos esses juros, valores cobrados das empresas que aceitam o seu cartão e a taxa de administração de fundos, compõe grande parte da receita de um banco digital.

Portanto, é nesse momento que entra o torcedor fiel: usando os serviços de um banco comum e trocando o seu atual pela instituição financeira que agora possui o seu time de coração como sócio!

Gostou do conteúdo?

Esperamos que sim. Ficou alguma dúvida sobre parceira entre times de futebol e bancos? Deixe a sua pergunta que ajudaremos você. Até breve! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Como cadastrar cartões no PayPal?

Ter vários cartões de crédito pode impactar no score de crédito?

Segurança: saiba como proteger os aplicativos de bancos no celular

Samsung Pay e Google Pay: qual a diferença entre as carteiras digitais?

Plataforma de crédito em cloud: o que é e como funciona?

6 dicas para identificar se o boleto bancário é falso

Minhas Finanças: entenda como organizar a vida financeira no aplicativo

É possível pagar multas com cartão de crédito?