Pensão alimentícia: dicas e cuidados para evitar transtornos

Um filho é uma responsabilidade muito recompensante, por isso, é importante levar a pensão alimentícia bastante a sério. É normal que surjam algumas dúvidas sobre o assunto, mas não se preocupe. Nós iremos falar sobre as principais características para que você não se perca no assunto.

Pensão alimentícia: o que é?

Antes de tudo, você precisa saber que mesmo que ela seja mais solicitada pelo filho, também existe a possibilidade da cônjuge pedir o benefício. O direito é garantido para quem provar a necessidade de receber uma renda com a possibilidade de a outra pessoa pagar um valor determinado.

Tudo isso serve para explicar que o valor varia de acordo com a carência do beneficiário e também, do pagador de conseguir assumir a dívida.

Por conta disso, grande parte dos benefícios é direcionado para as crianças, oferecendo à elas um padrão de vida melhor. A pensão alimentícia é reservada para a pessoa que possui a guarda do filho, independentemente de ser pai ou mãe. Vale lembrar que não existe um valor mínimo ou máximo para o cálculo.

Como fazer a entrada da pensão alimentícia?

O primeiro passo é encontrar um advogado de confiança acompanhado dos documentos necessários. Com isso em mãos, você pode fazer a sua solicitação para que o juiz avalie e estipule o valor que deverá ser pago.

Em relação ao cálculo, a princípio, o valor deve ser estipulado pelo casal. No entanto, caso isso não seja possível, o juiz deverá entrar com uma intervenção. Diante disso, algumas provas deverão ser analisadas para que o cálculo seja feito. O valor geralmente gira em torno de 30% do salário.

Caso o pai não conte com um salário fixo, o cálculo será feito a partir do padrão de vida do casal durante a união. Vale lembrar que o desemprego não tira a obrigação de pagamento da pensão alimentícia.

Em casos onde o valor não é correspondente, é possível solicitar uma revisão. Você pode fazer isso à qualquer momento por uma ordem judicial.

Existe uma idade limite para receber a pensão alimentícia?

A pensão alimentícia deve ser paga até a criança atingir a maioridade, ou seja, 18 anos de idade. No entanto, esta regra pode variar dependendo da situação:

  • Em casos de doenças;
  • Quando o filho está na escola ou faculdade;
  • Em casos onde o filho têm alguma incapacidade.

É importante lembrarmos que todo prolongamento precisa ser analisado pelo juiz.

Perguntas frequentes sobre pensão alimentícia

  • A pensão não tem nenhuma relação com o direito de visita;
  • É verdade! Caso não haja o pagamento da pensão, o responsável pode ficar preso de 30 a 90 dias. Após a soltura, a dívida poderá ser quitada através de penhora.
  • Caso a mãe se case, o pai deverá continuar pagando a pensão;
  • Quando os pais não possuem condição para arcar com a dívida, os avós se tornam responsáveis pelo débito;
  • Filhos adotivos também possuem o mesmo direito de receber pensão;
  • Mães também podem pagar pensão alimentícia caso a guarda fique para o pai.

Ainda ficou alguma dúvida? Caso a sua resposta seja sim, manda ela para a gente!

Este conteúdo foi útil para voce? 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
Loading...