Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Pesquisa aponta que número de jovens que se tornaram MEIs na pandemia aumentou

Por Nara LimaPublicado em

O banco digital Nubank realizou uma pesquisa que indicou o aumento do número de jovens que se tornaram Microempreendedor Individual (MEI) durante o último ano. A 4ª edição do Data Nubank apontou, ainda, que esse é um cenário recorrente em períodos de crise, como a que estamos vivendo atualmente.

Jovens empreendedores 

Em fevereiro de 2020, pouco antes do início da pandemia, o fluxo dos mais jovens como MEIs era de 27%, mas chegou a 30% em agosto do mesmo ano.

Uma hipótese levantada para esse fenômeno foi a necessidade de encontrar uma fonte de renda, visto que, em momentos de crise, os jovens, por possuírem menos experiência, tendem a ser desligados das empresas. Ou seja, após perder um emprego formal e não conseguir se recolocar no mercado de trabalho, o MEI se torna uma alternativa de renda.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

O Nubank informou também que adultos entre 25 e 40 anos de idade possuem maior representatividade entre os microempreendedores individuais do banco digital.

Instabilidade financeira entre os mais novos

Com o agravamento da crise e do desemprego em consequência da pandemia do Coronavírus, muitos brasileiros recorreram ao empreendedorismo como uma forma de se manter financeiramente estáveis, segundo a 4ª edição do Data Nubank.

Outros pontos levantados foram sobre as categorias de comércio varejista e de alimentação, que  cresceram durante a pandemia. O número de novos MEIs no comércio varejista cresceu oito pontos entre os meses de março e junho de 2020. Já os voltados para alimentação representaram 17% do total em maio.

No entanto, apesar desse aumento em alguns setores, o número de novos microempreendedores individuais que exercem atividades de serviços domésticos, armazenamento e transporte caiu durante a pandemia.

O que é MEI?

Criado pela Lei Complementar nº 128, o MEI foi elaborado com o objetivo de formalizar os trabalhadores que desempenhavam atividades sem nenhum amparo legal. Essa formalização fez com que eles ganhassem segurança jurídica e acesso a benefícios previdenciários como aposentadoria por idade e invalidez, auxílio-doença e salário-maternidade.

Resumidamente, podemos dizer que o MEI é uma modalidade de abertura de empresa simplificada para quem trabalha como autônomo. 

Descomplicamos?

No blog da Foregon você encontra todas as notícias e informações a respeito do mundo das finanças. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe seu comentário aqui embaixo! 

Até mais!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Nara Lima

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, gosta de escrever sobre educação financeira. Preza pela facilidade da leitura e pela checagem das informações, buscando produzir um conteúdo de leitura simplificada e que sane as dúvidas do leitor.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

85% das pessoas que instalam apps dos bancos digitais não viram clientes, diz pesquisa

Consumidor busca banco digital pela baixa burocracia, diz pesquisa

Conheça 15 aplicativos que vão te ajudar a economizar

Mais brasileiros montaram reserva de emergência durante a pandemia

Comparativo: Nubank Ultravioleta ou C6 Carbon?

Pesquisa aponta que número de jovens que se tornaram MEIs na pandemia aumentou

Gig economy: conheça o novo modelo de trabalho

Como o aumento do dólar pode impactar sua vida em 2021?