Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Pix terá limite de R$ 1 mil para transferências feitas à noite

Por Sabrina VansellaPublicado em

O Banco Central anunciou que, após pedidos das instituições financeiras do país, o sistema de pagamentos instantâneos Pix, passará por uma série de mudanças nas regras dos pagamentos e transferências eletrônicas. O principal objetivo é aumentar a segurança e reduzir as ações criminosas no sistema.

As novas regras ainda não foram aplicadas, mas foi estabelecido que as mudanças começarão a partir das próximas semanas.

"Anunciamos antes para dar tempo para as instituições se adequarem" afirmou João Manoel Pinho de Mello Organização, diretor do Sistema Financeiro e Resolução em entrevista para a Folha de S. Paulo.

Principais mudanças no Pix

O levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que desde o lançamento do Pix, em novembro de 2020, houve um aumento de fraudes utilizando o sistema. No estado de São Paulo, nos primeiros quatros meses de vigência do sistema registraram 51 boletins em todo o estado, no entanto, de abril a julho de 2021, foram registrados 151 casos. Por conta disso, a autoridade monetária decidiu adotar novas medidas que promovam a segurança do sistema de pagamentos instantâneos.

Dentre elas, foi determinado que para operações em canais como Pix, TED (Transferências Eletrônica Disponível) e DOC (Documento de Ordem de Crédito), o limite de envio é de R$ 1 mil entre Pessoas Físicas e microempreendedores individuais entre o horário das 20h às 6h, inclusive para transações entre contas do mesmo banco. Essa medida também valerá para cartão de débito utilizado em transferências, como no WhatsApp Pay, por exemplo.

Apesar de trazer benefícios, essas mudanças causam certa inconveniência ao usuário, por isso, o diretor do BC afirmou que essas medidas não devem desincentivar o uso de meios de pagamentos digitais.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

"Por que não fizemos em fevereiro? A gente não sabia quais seriam os padrões de uso e os comportamentos. As medidas impõem alguns custos, mas os benefícios são maiores", ressaltou Mello.

O que muda?

De acordo com o Banco Central, o limite de transações via TED, DOC e Pix poderá ser modificado pelo cliente, mas como procedimento padrão, todos que abrirem conta em uma instituição financeira terão o valor de R$ 1 mil estabelecido para operações noturnas. Caso o cliente deseje aumentar o limite, será determinado pelo BC um prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 horas para a efetivação do pedido do usuário.

Outra mudança importante que acontecerá, está na possibilidade dos clientes cadastrarem previamente contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos, e mantenham os limites mais baixos para outras contas. Essa opção evita que um novo cadastro seja feito durante um sequestro ou roubo, já que é necessário um prazo de 24 horas para efetuar um novo registro.

"Em conjunto, essas medidas, bem como a possibilidade de os clientes colocarem os limites de suas transações em zero, aumentam a proteção dos usuários e contribuem para reduzir o incentivo ao cometimento de crimes contra a pessoa utilizando meios de pagamento, visto que os baixos valores a serem eventualmente obtidos em tais ações tendem a não compensar os riscos", disse o BC em nota.

Como o Pix era

  • Limites: era igual ao da TED em qualquer horário;
  • Operações suspeitas: o banco não tinha poder para reter nenhuma operação;
  • Pedido de aumento de limite: cada banco adotava uma política;
  • Cadastro de contas: não existia.

Como o Pix fica

  • Limites: limite de R$ 1 mil entre transações das 20h às 6h, que podem ser alteradas pelo cliente;
  • Operações suspeitas: o banco tem o poder de reter uma operação suspeita para análise no Pix. 30 minutos durante o dia ou uma hora durante à noite;
  • Pedido de aumento de limite: o pedido deve ser atendido entre 24 horas e 48 horas após a solicitação;
  • Cadastro de contas: o cliente tem poder de cadastrar contas que podem fazer transações acima do limite, no entanto, este registro deve ser feito 24 horas antes de utilizá-lo.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado com essas informações. Se gostou, não esqueça de clicar no "curtir". Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, faça um comentário. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Pix Recorrente no Nubank: conheça o novo recurso

Como funciona o Pix? Saiba como cadastrar, transferir, pagar e mais!

Horário Pix: existem restrições para fazer a operação?

Pix não chegou? Veja o que fazer

Como receber pelo Pix: 4 formas para incluir no seu negócio

Já é possível usar o Pix internacional?

Recarga TIM com Pix, entenda

Pix com cartão de crédito: entenda como funciona