Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Pós-pandemia: especialista dá dicas sobre o mercado de trabalho

Por Camila SilveiraPublicado em

Os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus geraram um debate entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), no dia 26 de maio com o tema sobre a formação para o Mercado 4.0 e Educação à Distância (EAD). A conversa foi transmitida ao vivo da Secretaria Nacional da Juventude.

A secretária Jayana Nicaretta começou respondendo perguntas realizadas por jovens que acompanhavam o debate pela plataforma e explicou que o Mercado 4.0 é uma consequência da quarta Revolução Industrial.

De acordo com ela, essa é uma revolução digital, pois as novas tecnologias oferecem um mercado de trabalho diferente, que afeta os empregos tradicionais. Ou seja, ela quis dizer que algumas ocupações deixarão de existir, enquanto outras novas profissões poderão surgir devido ao avanço tecnológico.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

A conversa também teve participação do Felipe Morgado, gerente executivo da unidade de Educação Profissional e Tecnológica de Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Ele diz no bate papo que a pandemia da Covid-19 tem apresentado o impacto da tecnologia na vida das pessoas.

Segundo ele, as tecnologias estão sendo inseridas nas empresas industriais brasileiras de maneira muito rápida e decisiva, de forma com que possam afetar todas as profissões. No entanto, afirma que os jovens, que são adeptos ao universo digital, podem tirar proveito dessa situação.

Felipe também esclarece que a juventude precisará investir em habilidades essenciais para o mercado de trabalho, devido às mudanças que estão sendo cada vez mais visíveis. "Existem algumas competências que ganham relevância para as empresas na hora da contratação, como pensamento crítico, resolução de problemas complexos, aprendizagem ativa, liderança, influência social, habilidades socioemocionais", esclareceu.

Porém, embora os jovens tenham facilidade para lidar com o universo digital e com a maioria desses conhecimentos e competências, esse é um desafio que deve ser enfrentado.

Segundo o gerente do Senai, o profissional moderno precisa possuir inteligência e estabilidade emocional e resiliência, o que são fatores mais difíceis para a juventude. No entanto, é algo que pode ser superado com facilidade, desde que a pessoa tenha interesse e busque por crescimento pessoal.

Sobre as iniciativas feitas pelo Senai durante a pandemia da Covid-19, Felipe Morgado apresentou os cursos de tecnologia da indústria 4.0, que já estão disponíveis na plataforma de serviços criada para os interessados.

"O jovem pode entrar, fazer o cadastro e realizar uma análise de suas habilidades, conhecer as empresas e as novas profissões. A plataforma também oferece um serviço de ‘match profissional’, que usa inteligência artificial para unir os profissionais às empresas, de acordo com as suas competências socioemocionais e técnicas", finalizou.

Descomplicamos?

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Qualquer dúvida sobre mercado de trabalho no mundo pós-pandemia, deixe um comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Trabalhador que recusar tomar vacina pode ser demitido por justa causa

PF deflagra operações contra fraudes no Auxílio Emergencial

Fase emergencial da quarentena no estado de SP: o que muda?

3 coisas que as empresas estão fazendo para superar a crise do Covid-19

5 princípios que devemos aprender em momentos de crise

O Auxílio Emergencial vai voltar em 2021?

Conheça o ‘Auxílio Emergencial’ para moradores da cidade de Belém

O que é necessário para receber a vacina contra o coronavírus?