Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Principais motivos de desistência da corretagem de seguros

Por Genebra SegurosPublicado em

O mercado de corretagem de seguros está se popularizando cada vez mais. O que muitos não compreendem é que a alta do mercado não isenta o profissional de promover as devidas medidas para o desenvolvimento de seu empreendimento, assim, em pouco tempo, muitos desistem da atividade e migram para outro setor.

Considerando a frequência em que um corretor desiste do mercado ou se extingue uma corretora de seguros, buscamos, através do presente artigo, expor os motivos mais comuns que levam a esta decisão e suas possíveis soluções.

Mas o que desencadeia, de fato, a saída de diversos profissionais do mercado de seguros? Inúmeros são os fatores que podem levar a desistência. Uns muitos simples, como, a falta de motivação, outros mais gravosos, por exemplo, dívidas. Entretanto, ainda que haja diversos motivos, é possível destacar que os indivíduos que resolvem deixar o mercado, não buscam constantes capacitações, não possuem planejamento e estratégias e, por fim, passam por dificuldades nas vendas.

  1. Capacitações

As capacitações são primordiais para qualquer negócio. Pode-se afirmar que anualmente, diversos profissionais ingressam no mercado. Assim, considerando a existência de um pouco mais de 63 mil de corretores, o que confere sucesso no setor, é o aparato técnico.

Por meio deste, é possível apresentar diferenciais ao cliente e potencializar o fechamento de contratos, vez que, quando as pessoas buscam adquirir um produto ou serviços, geralmente, procuram por qualidade e segurança, não é mesmo?

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Assim, o profissional precisa está em constante atualização, buscando mecanismos que chamem atenção de seus potenciais clientes, possuir capacidade para atendê-los da melhor maneira possível. Do contrário, não conseguirá acompanhar o mercado.

Além disso, vale salientar que as capacitações mencionadas, não dizem respeito, exclusivamente, ao setor de seguros, mas em todas as áreas necessárias, tais como, o marketing.

Isso porque o que move o mercado de corretagem de seguros, são os consumidores. Ademais, considerando que o comportamento de consumidor vem mudando drasticamente, o profissional precisa acompanhar o comportamento de sua clientela e implementar estratégias para se conectar a eles e neste ponto, precisa estar amparado por um planejamento.

  1. Planejamento e estratégia

O ponto essencial que precisa de atenção é o planejamento. Através dele se estrutura todo o negócio. O profissional precisa traçar metas basilares para o empreendimento e definir estratégias para suportar potenciais imprevistos, trabalhar com indicadores e fazer projeções para, pelo menos, o primeiro ano do negócio.

Assim, a falta de planejamento faz com que o profissional não possua uma visão clara de crescimento. Deste modo, quando o corretor não há uma projeção para o futuro, a tendência é que a falta de percepção traga desmotivação.

Em se tratando de estratégia, também é importante salientar que através dela, o profissional determina onde atuará, como e quem deseja alcançar. Um erro grave nesta fase, é dispensá-la e tentar aprender com as eventuais falhas. Assim, ao se deparar com uma, o profissional tão logo, desiste de empreender e migra para outro setor.

Um corretor de seguros precisa entender quem são os tipos de clientes que estão na sua base, e como deve abordar seu potencial cliente. Para isto, existem a chamadas estratégias, porque o grande segredo do mercado é a conexão no momento correto, conduzindo o consumidor, a tomada de decisões que beneficiem a todos os envolvidos e resultem no fechamento do contrato.

Então, levando em consideração a forma da qual um indivíduo consome, é preciso investir constantemente nos potenciais meios de concentração, ou seja, onde se situa o consumidor. Como dito em outras oportunidades, a área tecnológica, por exemplo, atualmente, é o meio principal de consumo.

Portanto, o profissional precisa entender, planejar e implementar estratégias, podendo se aperfeiçoar cada vez mais e, consequentemente, vender novos produtos para os seus próprios clientes, vez que, compreendendo sua base de clientes, é possível determinar quais outros produtos que podem interessá-los e como ofertá-los.

Ainda se tratando de planejamento e estratégia, pode-se afirmar que a insistência é um fator negativo. Ela é um dos principais motivos que fazem com que os corretores de seguros desistam da profissão, pois, o profissional, muitas das vezes não dão o tempo que o cliente precisa para ponderar e analisar a compra. Assim, a insistência sem estratégia e planejamento causa no cliente uma pressão que confere a perda do interesse no produto ou serviço.

Deste modo, o papel do corretor é apresentar o produto e seus efeitos na vida do consumidor. Isso porque, ao se interessar por um produto, o cliente já possui todas as informações necessárias, e muitas das vezes, até mesmo o seu preço. Ocorre que, a pressão, tende a desmotivá-lo.

Outro motivo que merece atenção, diz respeito as mudanças. Profissionais que não estão preparados para enfrentar o mercado e os novos modelos de consumo, dificilmente, sobrevivem ao desconforto causado pela falta de preparo.

  1. Vendas

Muitos profissionais consideram, apenas, a parte prática do negócio, o que no caso em questão, são as vendas. Pode-se afirmar que um impacto negativo neste aspecto é o suficiente para desanimar o profissional e levá-lo a desistir.

O que poucos sabem é que o sucesso nas vendas, é resultado de um bom aparato técnico do empreendedor e aplicação de estratégias criadas a partir do planejamento. Assim, se suas vendas não estão como gostaria, experimente analisar os pontos supramencionados. Eles são mais importantes do que a prática, propriamente dita.

Por fim, numa simples análise ao exposto no decorrer do presente artigo, o tempo empenhado em conseguir realizar as primeiras vendas, levam o corretor a se abster de realizado um bom planejamento estratégico, deixando, inclusive, a ampliação de seu conhecimento técnico em segundo, terceiro, último plano, pois, muitos corretores acreditam que a venda se aplica, apenas, na prática e na intuição, enquanto para conquistá-las, é indispensável a capacitação em todas as esferas cabíveis.

Portanto, se você está desmotivado, pensando em trocar de mercado e, simplesmente, desperdiçar a trajetória do empreendimento, recalcule a rota, busque diagnosticar quais pontos essenciais você deixou de dar atenção e repare-os. Garantimos que observando estas dicas, é possível mudar o futuro dos seus negócios.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Genebra Seguros

A Genebra é uma corretora de seguros que oferece a conveniência do acesso a seguros através de canais digitais aliada à segurança e ao atendimento humano que apenas uma corretora de seguros tradicional pode oferecer.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Os 5 principais erros na gestão financeira empresarial

Pagamentos digitais: quais os mais utilizados pelo e-commerce

Pagamento de dívidas: descubra com esses 5 livros qual a melhor forma de começar

5 alternativas para fugir dos juros altos

Imposto de Renda: o que acontece se eu não declarar?

Perfis financeiros: saiba quem é você na hora de lidar com dinheiro

Dicionário financeiro: 20 expressões sobre dinheiro que todo brasileiro deve conhecer

3 investimentos para iniciantes com pouco dinheiro