Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Professores da rede pública terão capacitação para ensinar educação financeira

Por Sabrina VansellaPublicado em

Foi firmada uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e a Comissão de Valores Imobiliários (CVM), que qualificará aproximadamente 500 mil professores inicialmente da rede pública em educação financeira. De acordo com o MEC, os cursos terão início em julho e farão parte do currículo de formação de professores da rede básica de escolas públicas e particulares.

"Os cursos abordarão as seguintes temáticas: formação de poupança, consumo consciente, orientação a investimentos, proteção contra fraudes financeiras, desenvolvimento de hábitos e atitudes que contribuam para o bem-estar financeiro", diz Renato Brito, diretor de formação de docentes e valorização dos profissionais da educação do Ministério da Educação.

Além disso, a formação terá duração de 40 horas-aula e será feita na plataforma de ensino a distância (EaD). O objetivo é auxiliar educadores a promover o incentivo das práticas de saúde financeira e empreendedorismo jovem.

De acordo com dados do Ministério da Educação, atualmente, o Brasil tem cerca de 2,3 milhões de professores no ensino básico e fundamental. A meta do ministério é atingir no mínimo 25% desses profissionais.

Todos os conhecimentos sobre educação financeira não farão parte de uma nova disciplina, mas serão incorporados à grade curricular, complementando o ensino das matérias já existentes.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Segundo a nota publicada pela CVM, a responsabilidade da infraestrutura de aprendizagem do curso ficará totalmente por conta da entidade, que desenvolverá a plataforma digital de ensino. O Ministério da Educação deverá engajar os professores e divulgar a plataforma, além de articular a inclusão do conhecimento nas escolas.

Caberá às escolas divulgar e oferecer os cursos aos seus professores, e o MEC terá o papel de divulgar a plataforma junto às escolas e secretarias e realizar a articulação com as redes e sistemas de ensino para a implementação dos cursos", complementa Brito.

Informamos?

Se gostou do nosso conteúdo, não esqueça de clicar no "like". Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, faça um comentário. Até breve!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

O que é pró-rata e como calculá-lo?

5 dicas para viver com um salário mínimo

5 dicas de como ganhar dinheiro sendo estudante

Cheque: entenda o que é e conheça suas variações

Lei do Superendividamento: saiba como renegociar suas dívidas sem extrapolar seu orçamento

Como se organizar para comprar sua casa própria em 2022

Conta bancária: conheça os principais tipos

Transferência bancária: como funciona a operação?