Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Rating de crédito: como funciona a classificação de risco?

Por Sabrina VansellaPublicado em

Ouviu o termo rating de crédito em algum noticiário, mas não entendeu o que significa? Basicamente, essa é uma classificação de risco de crédito muito útil aos investidores e empresas.

O termo rating é usado no mundo dos investimentos para descrever a classificação de uma instituição, evidenciando tanto o risco que ela representa para o mercado quanto a capacidade de conseguir lidar com as dívidas. Ou seja, é uma informação muito útil que indica o nível de risco nesse mercado.

Quer entender mais sobre o rating de crédito? Continue a leitura.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

O que é um rating de crédito?

O rating de crédito pode ser comparado ao score de crédito, mas, neste caso, é avaliado o risco de crédito de uma instituição ou até mesmo país. São levados em consideração a capacidade de honrar com compromissos assumidos pela instituição e outros fatores que vamos abordar. Resumidamente, quanto melhor foi o rating, mais confiável o devedor é por apresentar capacidade de pagamento das dívidas.

Seu principal objetivo é informar a credores e devedores como está a solidez e a saúde financeira da entidade em questão. Contudo, essa classificação deve ser refeita regularmente para que fique justa ao seu momento no mercado.

Como funciona o rating de crédito?

São levados em conta vários fatores para definir o risco de inadimplência, como aspectos econômicos, sociais e políticos que são estudados para estabelecer o risco real daquela empresa, banco ou país.

Por isso, existem agências de classificação especializadas em avaliar o risco das instituições e títulos. Essas empresas costumam realizar pesquisas quantitativas e qualitativas para classificar os agentes econômicos. 

O que é usado para calcular o rating de crédito?

O cálculo do rating de crédito leva em consideração diferentes questões que influenciam de alguma forma na classificação, conheça os principais aspectos:

  • Taxa de juros: as agências analisam com atenção a taxa de juros que é oferecida por aquele banco ou país, levando em conta a inflação do momento;
  • Fluxo de caixa: neste ponto, é analisada a entrada e saída de dinheiro. Geralmente, quanto maior for o caixa, menores as chances de endividamento daquela instituição;
  • Nível de alavancagem: no mundo das finanças, a alavancagem é vista como um risco, pois são feitas "manobras" para multiplicar a rentabilidade, o que aumenta o endividamento. Por isso, quanto maior o nível de alavancagem, maiores são os riscos atribuídos são atribuídos a instituição;
  • Contexto político do país: os fatores externos também são importantes, principalmente o contexto político. Como toda empresa está subordinada ao país no qual ela opera, é preciso entender como o cenário atual pode afetar nos resultados;
  • Solidez do balanço patrimonial: a solidez do balanço patrimonial é essencial para uma boa classificação. Esta demonstração contábil mostra a situação financeira e fiscal da empresa;
  • Projeções de resultados futuros: assim como no momento atual, também é levado em consideração as projeções futuras. O objetivo é fornecer a situação alinhada às metas da instituição nos próximos meses ou anos.

Principais agências de classificação de risco de crédito

Existem diversas agências de classificação de risco de crédito, no entanto, há três nomes que são tradicionais e passam confiança. Conhecidas como Big Three (três grandes): Moody’s, Fitch e Standard & Poor’s.

  • Moody’s: a Moody’s Investors Service é uma agência de classificação de risco americana, suas notas para o rating vão de Aaa (mais alta) até C (mais baixa);
  • Fitch: a Fitch Ratings também é uma agência americana que atribui notas de AAA (mais alta) até D (mais baixa);
  • Standard & Poor’s: a Standard & Poor’s é uma agência de risco que fornece o rating de AAA (mais alto) até D (mais baixo).

Quais são os tipos de rating?

Depois de entender o que é usado para calcular o rating, é preciso conhecer quais são os tipos de rating que existem e o que significam.

Ratings por grau

Esse tipo de rating mostra a posição em uma escala de notas no qual o ativo está em relação ao risco de crédito. O investidor consegue analisar a relação de risco e retorno do ativo a partir de cada nota.

Nesta escala existe uma divisão entre o grau especulativo e o grau de investimento, sendo eles:

  • Grau especulativo: no grau especulativo estão aqueles que possuem mais risco de dar calote. O que significa que são títulos e ativos mais arriscados e podem ter um maior retorno financeiro. Países que estão em situações de dívidas geralmente estão nessa classificação, por exemplo.
  • Grau de investimento: no grau especulativo estão os títulos com menor risco de dar calote. Por conta disso, esses títulos e ativos remuneram menos o investidor, já que o risco é menor. Nesta classificação estão países desenvolvidos com mais estabilidade, por exemplo.

Ratings por nota

Os ratings por nota mostram para o investidor a posição do ativo e com uma nota dentro do grau especulativo e do grau de investimento. A nota em si demonstra o nível de risco do ativo dentro da classificação de rating por grau. 

Esta forma de análise pode ser feita com mais detalhes e profundidade pelas tabelas a seguir:

Grau de investimento

Moody’s Fitch Standard & Poor’s
Aaa AAA AAA
Aa1 AA+ AA+
Aa2 AA AA
Aa3 AA- AA-
A1 A+ A+
A2 A A
A3 A- A-
Baa1 BBB+ BBB+
Baa2 BBB BBB
Baa3 BBB- BBB-

Grau de especulação

Moody’s Fitch Standard & Poor’s
Ba1 BB+ BB+
Ba2 BB BB
Ba3 BB- BB-
B1 B+ B+
B2 B B
B3 B- B-
Caa1 CCC+ CCC
Caa2 CCC DDD
Caa3 CCC- *
Ca CC *
C C *

Os investidores devem usar o rating como critério de análise?

O rating deve sim ser um critério de análise para os investidores, principalmente para aqueles que escolhem aplicações de Renda Variável, como em operações de compra e venda de ações na bolsa de valores ou títulos emitidos por países ou empresas.

Mas fique atento, pois, mesmo que a empresa tenha um bom rating, não significa necessariamente que ela é sólida, por isso, analise bem todos fatores antes de tomar sua decisão.

Como a classificação de rating funciona?

O rating é uma nota que agências de classificação de risco de crédito atribuem a um emissor, visando a sua capacidade de honrar com dívidas.

O que é um rating?

Um rating indica o nível de risco de uma empresa, país ou banco.

Como consultar o rating?

O mais comum é procurar agências de confiança como: Moody’s, Fitch e Standard & Poor’s.

Descomplicamos?

Esperamos que tenha entendido como funciona o rating de crédito e sinta mais segurança nos seus investimentos. Caso tenha alguma sugestão, faça um comentário. Até breve!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

6 livros sobre empreendedores brasileiros de sucesso

O que é um aporte financeiro? Entenda seu funcionamento

O que é DeFi: o novo formato das finanças

Vai negociar suas dívidas? Entenda qual a importância do planejamento financeiro

Economia: expectativas para o Brasil em 2022 estão piorando

Estorno e cancelamento de compras: entenda a diferença

Qual a diferença entre economizar, poupar e investir?

Juros compostos: o que são e como afetam a sua vida financeira?