Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Recapagem de pneus: como esse procedimento é feito?

Por Camila SilveiraPublicado em

O pneu é um dos componentes mais importantes de um veículo, pois ele garante estabilidade, desempenho e, claro, segurança. Embora muitas pessoas prefiram investir em pneus novos, existe um sistema chamado recapagem de pneus, que pode ser uma opção mais barata. Entenda como isso funciona e veja se é uma boa opção para você.

Recapagem de pneus: o que é?

Esse procedimento representa um substituição da borracha desgastada da banda de rolagem em contato com o solo por uma nova. Ainda que todos os carros saiam da fábrica com estruturas necessárias para receber a recapagem, esse procedimento deve ser feito até três vezes, no máximo. 

Para saber qual é o momento ideal para fazer uma recapagem, o motorista deverá verificar o Tread Wear Indicator (TWI), que aponta o desgaste da banda de rolagem, que fica localizado na transversão do sulco do pneu. De acordo com o Contran, a medida do sulco do pneu deve ter, no mínimo, 1,6 milímetro.

Recapagem de pneus: como esse procedimento é feito?

1. Higienização e secagem

Nesta etapa inicial, os pneus devem ser higienizados e secos para retirar todas as impurezas que possam atrapalhar o processo de reforma. Essa limpeza é super importante para que a análise seja realizada de maneira correta. Ela pode ser feita a jato ou com uma escova na parte lateral para garantir que todas as impurezas sejam eliminadas.

2. Inspeção 

Após a higienização, os técnicos da recapadora devem analisar as condições das carcaças para garantir que elas estão prontas para serem reformadas. Nessa análise, é verificado a espessura, quantidade de borracha, a relação entre a altura e largura, partes da banda de rolagem e partes internas. 

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Se esses danos forem muito excessivos ou se não for possível realizar a reconstrução, o processo de reforma deve ser interrompido para evitar maiores prejuízos para o motorista. Por outro lado, se a carcaça estiver em um bom estado de conservação, a empresa deverá seguir com o processo da recapagem.

3. Raspagem

A partir de então, os desenhos originais do pneu devem ser removidos e ele terá de ser raspado de maneira uniforme e simétrica. A raspagem é realizada para que a carcaça seja preparada para receber a nova banda de rolagem. Além disso, ela precisará ter especificações de acordo com o pneu que está sendo preparado.

4. Análise da carcaça

Com o auxílio de equipamentos específicos, nesta etapa, é analisado se a carcaça possui algum dano estrutural. Portanto, é neste momento que há a retirada de partes oxidadas ou deterioradas para garantir a segurança, durabilidade do pneu e que ele estará livre das possíveis poluições de carcaça.

5. Conserto

Os defeitos menores podem ser resolvidos na etapa anterior, no entanto, caso haja alguma falha mais profunda, o pneu deve ser consertado para receber a nova banda. Caso esse conserto não seja feito, as alterações feitas no procedimento citado acima só vão camuflar um problema maior, que poderá trazer maiores prejuízos e riscos.

6. Aplicação das bandas

A ultima fase consiste na aplicação de uma nova banda de rodagem no pneu. Esse procedimento é realizado de acordo com cada tipo de pneu. Além disso, nessa etapa, é usado um identificador na banda para que se mantenha a segurança sobre a quantidade de recapagem já feitas. Como dissemos anteriormente, o ideal é de até, no máximo, três vezes.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com este artigo. Qualquer dúvida sobre o assunto, deixe um comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Plataforma de crédito em cloud: o que é e como funciona?

6 dicas para identificar se o boleto bancário é falso

Minhas Finanças: entenda como organizar a vida financeira no aplicativo

É possível pagar multas com cartão de crédito?

Banco BV financiamentos

Conheça 7 impostos que você paga e nem sabe

Samsung Rewards: saiba tudo sobre esse programa de recompensas

Semana do score de crédito: um evento online e gratuito da Foregon