Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Seguro auto: os erros mais comuns na hora de contratar

Por Janaína TavaresPublicado em

O seguro auto é um tipo de serviço que serve exclusivamente para proteger o seu veículo e, assim, evitar perdas quando ele é roubado, furtado, dentre outras situações.

Por isso, ele pode ser essencial para você que deseja ter uma proteção a mais. No entanto, ao contratá-lo, é preciso ter muita cautela para não cometer erros que possam prejudicar a sua experiência utilizando esse serviço.

Portanto, acompanhe a leitura do nosso artigo e veja quais são os erros mais comuns na hora de contratar um seguro auto.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Não escolher direito as coberturas do seguro auto

Ao tomar a decisão de contratar um seguro auto, a primeira coisa que você deve ter em mente é buscar por um que atenda as suas necessidades específicas. 

Isso porque nem todos os condutores procuram pelas mesmas condições e coberturas. Dito isto, é importante pesquisar bastante e até pedir a opinião de amigos e familiares que usam um seguro auto.

Outra dica que você pode seguir para evitar frustrações é acessar o site do Reclame Aqui, para conferir o que as pessoas estão dizendo sobre a empresa que oferece o serviço. Por lá, você vai conseguir ver as notas, reclamações e muito mais.

Não ler com atenção o contrato do seguro auto

Outro erro bem comum é não ler com atenção todos os detalhes e informações que estão no contrato do seguro auto. Sendo assim, ao ter contato com esse documento, é interessante checar os seguintes pontos:

  • Valor da franquia;
  • Possíveis coberturas complementares;
  • Deveres e obrigações das duas partes envolvidas, dentre outras.

Todos esses e demais itens devem ser analisados antes de você assinar o contrato, já que eles  impactam no custo do seguro auto.

Não informar quem usa o carro do seguro auto

Na apólice, é fundamental deixar claro quem são os condutores que utilizam o automóvel com frequência.

Mesmo que ele esteja em seu nome, compensa informar isso, justamente porque se acontecer algum sinistro enquanto o veículo estiver com outro condutor, a seguradora pode não cobrir o valor contratado.

Além disso, o condutor também precisa informar para a empresa quais são os locais de circulação do carro.

Como o cálculo do seguro é realizado com base em levantamentos que mostram o potencial de risco das regiões onde o carro circula, essa informação deve ser disponibilizada na apólice.

Conteúdos que você precisa conhecer

Antes de ir, aproveite esse momento e fique por dentro de outros artigos que preparamos para sua jornada aqui na Foregon:

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com as nossas dicas. Lembre-se que em casos de dúvidas ou sugestões, pode enviar o seu comentário que vamos responder. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Seguro de vida: vale a pena mesmo ter um?

Sinistro no seguro auto: o que é como proceder nesse caso?

PagBank: conheça o seguro para celular com planos a partir de R$ 19,20

Porto Seguro dá 10% de desconto para vacinados contra Covid-19

C6 Bank deve lançar seguro auto a partir de R$ 5 ao mês; saiba mais

Bradesco lança seguro de vida com serviços personalizáveis

Confira os valores dos seguros dos 10 carros mais vendidos no país

Diferenças entre Azul Seguros e Porto Seguro