Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Taxa Selic pode subir pela primeira vez após 6 anos: entenda os motivos

Por Thais SouzaPublicado em

O Copom mantém ou reduz há seis anos a Taxa Selic. No entanto, isso pode mudar no próximo dia 17 de março, em que haverá uma reunião que deve elevar a taxa básica da economia em 30 pontos. Veja todos os detalhes sobre essa possível alta.

O que você procura?

Taxa Selic pode subir nesta semana 

A cada 45 dias acontece uma reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), colegiado do Banco Central, para definir os rumos da taxa básica de juro da economia. Desde agosto de 2020 a Taxa Selic está em 2% ao ano

Porém, a última ata da reunião do Copom, publicada em janeiro, aumentou a expectativa do mercado em relação a uma possível alta na Selic na próxima reunião do dia 17 de março.

O que tem gerado essas especulações foi a retirada do forward guidance, um trecho no qual o colegiado se comprometia a manter a Selic baixa por muito tempo, além de outros aspectos econômicos. 

Embora o comitê ainda tenha dúvidas sobre quando será o início do ciclo de alta da Selic, a maioria das apostas do mercado se referem a uma alta de 0,25 a 0,75 ponto percentual. Esse possível aumento na Selic busca conter os impactos do dólar sobre a inflação.

Em entrevista para a Valor Invest, o sócio da 4E consultoria, Juan Jensen, afirmou que vê a taxa básica de juros em torno de 4,5% no fim do ano que vem.

"Quando tivermos uma normalização (na inflação), a Selic também deve voltar. Não vamos ver a Selic em 2% por anos", diz Jensen. 

O que pode causar a alta na Selic?

O mercado considera o aumento da Selic inevitável, sobretudo pelo fato de que as expectativas para a inflação estarem acima do centra da meta para o índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 3,75%. De acordo com o boletim Focus, pesquisa do BC realizada semanalmente, o mercado acredita que a variação de preços alcançará 3,98% até dezembro.

Outro fator que pode influenciar a Selic é o dólar, que já ultrapassa 7% somente em 2021, o que vem pressionando ainda mais os preços – como por exemplo: a alta no preços dos combustíveis. Além disso, também podemos citar a desconfiança do mercado com a capacidade do governo de conter o aumento dos gastos também tem papel importante nesse processo.

Dica Foregon

Se você investe dinheiro no mercado financeiro, é fundamental acompanhar a macroeconomia para alocar bem os seus recursos destinados a Renda Fixa.

Até porque, aplicar nessa modalidade de investimento não é só comprar um título e deixar ele lá parado, independentemente do que aconteça. É importante entender o que se passa no mercado para não perder rentabilidade. 

Aproveite e leia também: 

Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Foregon participa da 9ª edição da Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo

Foregon Marca Presença na 6ª Edição do CX Summit

Foregon está no TOP 10 Fintech – Distrito Awards 2022

Foregon está entre as Melhores Empresas para Trabalhar GPTW – Tecnologia da Informação 2022.

Nubank Ultravioleta: nova Regra para Isenção de Anuidade

Consignado do Auxílio Brasil: Caixa já liberou R$ 1,8 bilhão

Nucoin: conheça a moeda digital que será lançada em 2023

Feirão Serasa Limpa Nome: até 99% de Desconto nas Dívidas