Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Tesouro Direto: como funciona? (guia completo)

Sabrina VansellaPublicado em

Ultimamente o alerta de muitos educadores financeiros é sobre não colocar o dinheiro na poupança e o quanto isto é perda de rendimento, não é mesmo?

Por conta disso, o Tesouro Direto é uma das formas de investir escolhidas por aqueles que vão começar no mundo dos investimentos. Pois atrelado a um objetivo, às chances de sucesso são altas e seguras!

Iremos descomplicar o mundo do Tesouro Direto e o porquê é mais vantajoso investir nele seja como uma reserva emergencial e até mesmo pensando na sua aposentadoria. Confira:

Você encontra nesse artigo:

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é uma plataforma criada pelo Tesouro Nacional (basicamente o caixa do Brasil) em parceria com a B3 para negociação de títulos públicos e federais para Pessoas Físicas.

O programa foi lançado em 2002 e desde o início passou a oferecer opções de títulos públicos a partir de R$ 30.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Tipos de títulos públicos

Caso você queira investir em algum título, é necessário ter um objetivo bem definido para escolher a melhor opção. No momento, existem três grupos de títulos públicos à venda no Tesouro Direto, como: prefixados, pós-fixados e híbridos.

Os prefixados são aqueles que você já sabe quanto vai receber de retorno, se respeitar o vencimento do título. Nos papéis pós-fixados você só saberá o retorno total do investimento no momento do resgate, já nos híbridos parte da remuneração é definida no momento da compra e o restante atrelado à variação da inflação.

Tesouro Prefixado

Esta é a categoria de título público que fornece ao investidor, precisamente o valor que será recebido na data de vencimento. Com a rentabilidade fixa, o investimento garante um fluxo de pagamento simples, ou seja, o valor pago no dia estabelecido será total feito de uma só vez quando a aplicação for encerrada.

Uma categoria elencada como segura e recomendada quando a taxa básica de juros no Brasil, a Selic por exemplo, está menor do que a prefixada no momento da compra. Conheça:

Título Retorno Rendimento Remuneração
Tesouro Selic Pós-fixado Selic + Taxa contratada Apenas no vencimento
Tesouro Prefixado Prefixado Taxa contratada Apenas no vencimento
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais Prefixado Taxa contratada Semestral e no vencimento
Tesouro IPCA+ Híbrido IPCA + Taxa contratada Apenas no vencimento
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais Híbrido IPCA + Taxa contratada Semestral e no vencimento

Tesouro Selic

Este tipo de tesouro pós fixado, é procurado por aqueles que estão interessados na alta da taxa de juros. É o investimento para aqueles que não têm certeza da data a qual será resgatado, o lado positivo é que este título não sofre tanta variação, ou seja, as perdas são evitadas.

Tesouro Prefixado

Nesse título o retorno é informado no momento em que você investe, basta estar atento a data de vencimento. No entanto, é necessário ter atenção pois caso aconteça o resgate antes do prazo você poderá sacar um valor menor do que foi investido. Por isso, apenas invista nesse modelo se você não possui expectativas de resgatar a quantia até a data de vencimento.

Tesouro IPCA+

É um título híbrido, ou seja, o rendimento total pode ser visto somente no prazo de vencimento. Por conta de conter vencimentos mais longos, este é o mais indicado para aqueles que estão planejando uma aposentadoria ou desejam investir nos filhos futuramente.  Além de garantir uma rentabilidade final acima da inflação, conta com uma taxa contratada (%) acrescida.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

Este título também é híbrido e só é recomendado para aqueles que precisam do valor investido a cada 6 meses, mas cuidado, pois a todo momento que o valor foi retirado, será descontado o Imposto de Renda.

Lembre-se:  a tributação do IR sobre o ganho semestral será de 22,5% no primeiro pagamento e depois vai seguir a tabela regressiva até 15% para juros distribuídos após 720 dias.

Tesouro Direto: como funciona?

Se você deseja entender como funciona o Tesouro Direto saiba que na plataforma são emitidos títulos governo federal, atrelados à Renda Fixa. O dinheiro investido é recebido acrescido de juros na data de vencimento, definida no momento da compra.

Simplificando, é como se você fosse um emissor de um empréstimo para o governo investir em obras públicas, na saúde, educação, entre outros investimentos e, depois recebesse o valor emprestado acrescido de juros.

No Tesouro Direto você pode oferecer títulos com diferentes tipos de rentabilidade, diferentes prazos de vencimentos e diferentes fluxos de remuneração. Basta definir o seu objetivo e escolher o título mais indicado!

Taxas e valor mínimo

A quantidade mínima por investimento no Tesouro Direto é a fração de 0,01 de cada título emitido pelo governo e o valor mínimo definido é de R$ 30. Ou seja, títulos de R$ 7 mil podem ser comprados em frações de R$ 70 cada.

Qual é a rentabilidade do Tesouro Direto?

A rentabilidade dos títulos prefixados e híbridos podem gerar prejuízo, caso sejam resgatados antes do prazo definido no momento da aplicação. Normalmente, existem oscilações na B3, o que pode impactar diretamente os contratos.

Liquidez do Tesouro Direto

A liquidez nos investimentos é a relação entre rendimentos e aplicações. Ou seja, quanto maior a velocidade para resgatar o dinheiro investido, maior a liquidez.

Todos os títulos no Tesouro Direto podem ser retirados quando quiser, mas apenas o Tesouro Selic não impõe perdas nos valores resgatados antes do prazo definido. Afinal, esse título segue diariamente a variação do juro básico da economia.

Custos para investir no Tesouro Direto

Para investir no Tesouro Direto é necessário abrir uma conta em uma corretora de investimento e, algumas podem cobrar taxas de administração, mas existem opções que isentam a cobrança.

Além disso, saiba que ao investir no Tesouro Direto você precisa estar atento a taxa de custódia que equivale a 0,25% ao ano sobre o valor investido, mas ela não é cobrada aos investidores com até R$ 10 mil no Tesouro Selic. Por isso, fique atento se os seus investimentos ultrapassam esse valor pois a taxa será cobrada do valor excedente a R$ 10 mil.

Não esqueça do Imposto de Renda, esta taxa acontece de forma regressiva nos títulos, ou seja, quanto maior o tempo de investimento, menor ela será. Confira na tabela:

Prazo Alíquota (%)
Até 180 dias  22,5
De 181 a 360 dias  20,0
De 361 a 720 dias 17,5
Acima de 720 dias 15,0

Tabela da alíquota regressiva do Imposto de Renda – Fonte: B3

Esta porcentagem é cobrada apenas nos rendimentos. O valor investido não sofre perdas. Esta alíquota é descontada na data do vencimento ou na venda antecipada dos ativos.

Atente-se, nos primeiros 30 dias de investimento, há o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Se o ativo for solicitado para resgate neste período, haverá a cobrança.

Horários de funcionamento para investir no Tesouro Direto

Os investidores podem fazer compras ou resgates de investimento no Tesouro Direto todos os dias úteis entre 9h30 às 18h. É válido dizer que os preços e taxas exibidos das 18h às 5h e nos fim de semana ou feriados são apenas referências, visto que os investimentos e resgates só podem ser realizados em dias úteis. Entenda:

  • Dias úteis das 9h30 às 18h: mercado aberto com preço vigente no momento da operação;
  • Dias úteis das 18h às 5h: mercado aberto com taxa indicativa e preço de abertura do próximo dia útil;
  • Dias úteis das 5h às 9h30: mercado fechado, apenas disponível para consulta;
  • Fins de semana e feriados das 00h às 23:59: mercado aberto com taxa indicativa e preço de abertura do próximo dia útil.

Posso perder dinheiro com o Tesouro Direto?

A resposta correta é sim, mas fique calmo, afinal, para que isso ocorra seria necessário a quebra do governo. Ou seja, apenas se o país entrasse em uma crise caótica.

Além disso, outro fator que assegura o investimento, é que se por acaso o governo estivesse quebrado, antes mesmo disso acontecer outras instituições financeiras e bancos já estariam rompidos ou falidos. Mas claro, nunca deixe de acompanhar a economia do país e informe-se.

O dinheiro pode ser resgatado a qualquer momento no Tesouro Direto?

Para os que querem atrelar o investimento a um fundo de emergência, esta é uma dúvida muito frequente. Na teoria, o dinheiro investido pode ser retirado independentemente do valor de vencimento do título. Mas na prática existem alguns fatores que merecem atenção antes do resgate.

O Tesouro prefixado e o IPCA, tirando antes do prazo, aumenta o risco de perder dinheiro, pois são interferidos pela marcação a mercado. Portanto, o melhor título para ser usado com o intuito de resgate é o Selic, pois rende mais do que a poupança.

O erro mais comum ao investir no Tesouro Direto

Um dos erros mais comuns é a falta de informação, afinal, você não deve colocar o seu dinheiro em algo que não conhece. Além disso, a ansiedade nos investimentos também está atrelada a um despreparo do investidor, por isso, apenas inicie se tiver confiança e conhecimento para isso.

Outro caso, são as pessoas que acham que perdeu o dinheiro quando vão checar o investimento prefixado. Como citado anteriormente, a marcação a mercado interfere no valor atual do que foi inserido, mas confie no valor que foi estabelecido no momento que a compra do título foi feita e será resgatado com garantia na data de vencimento.

É melhor investir no Tesouro Direto ou na poupança?

Esta decisão depende dos seus objetivos como investidor. Mas a principal semelhança entre a Poupança e o Tesouro Direto é que os dois possuem baixo risco. Mas a poupança apesar de simples acaba entregando um baixo rendimento.

Outro ponto que merece destaque entre as diferenças, é entregue pela segurança. O Tesouro Selic é assegurado pelo Tesouro Nacional, ou seja, considera o investimento de menor risco da economia brasileira, já a Poupança é assegurada pelo Fundo Garantidor de Crédito que garante até R$ 250 mil por CPF e conta bancária.

Entenda a tabela do Tesouro Direto

A tabela online do Tesouro Direto é composta por cinco colunas, são elas: "Título", "Rentabilidade anual", "Investimento mínimo", "Preço unitário" e "Vencimento". Logo acima já explicamos os significados de cada título, entenda o significado dos outros termos:

Rentabilidade anual

A rentabilidade anual é a porcentagem dos juros que vai ser pago no prazo de vencimento para aquele que compra o título. Os que apresentam a SELIC + X juros, deve ser somado o valor da taxa Selic no momento que o título foi adquirido aos juros em porcentagem.

Nos títulos escritos IPCA + X juros, acontece de forma semelhante ao da taxa Selic, mas no caso, o valor do IPCA é acrescido dos últimos 12 meses.

Investimento mínimo

Na terceira coluna da tabela, é composto pelo investimento mínimo de cada título do Tesouro Direto, ou seja, o valor necessário para comprar o título, que pode ser a quantia definida ou a partir dela.

Além disso, existe um limite financeiro máximo estabelecido por investidor, que é de R$1 milhão por mês por CPF.

Preço unitário

O preço unitário na quarta coluna corresponde ao valor bruto recebido pelo investidor caso ocorra a venda do seu título ao Tesouro Nacional antes da data de vencimento. Este valor é específico para a unidade do título e em caso de venda antecipada, o Tesouro Nacional recompra o título com base no valor de mercado.

Vencimento

Referente a data que o título vence e o investidor recebe o aporte caso não houve a venda do título antes deste período.

Dicas para começar a investir no Tesouro Direto

No início é essencial atrelar o investimento a algum objetivo, assim será ainda mais fácil escolher o título adequado. Além disso, o simulador  que o próprio site do Tesouro Direto oferece e consegue entregar uma estimativa do valor que será recebido na data de vencimento. Pensando elencamos alguns passos essenciais no início:

Abra uma conta em uma corretora de investimentos

Antes de tudo, para investir no Tesouro Direto é importante abrir uma conta em uma corretora de investimento. Essa necessidade está ligada ao simples fato de a corretora ter como função ser a mediadora entra a compra e a venda dos ativos.

Hoje existem corretoras que não cobram por estes serviços e ganham uma pequena porcentagem da taxa anual paga por você ao B3, referente ao título investido.

Lembre-se de escolher uma correta com um bom suporte, pois no primeiro investimento é comum apresentar dúvidas.

Faça o cadastro na plataforma do Tesouro Direto

Para acessar a área restrita da plataforma do Tesouro Direto é necessário abrir uma conta e trocar a senha provisória que será enviado por e-mail.

Conheça seu perfil de investidor

O autoconhecimento pode ser um ótimo guia para o início, afinal, é necessário avaliar a sua situação financeira, conhecimento de mercado, objetivos e idade. Pensando desta forma, existem três perfis mais conhecidos no mundo do investimento, que são:

  • Conservador: aquele que tem evita ao máximo o risco e prefere opções seguras para aplicar o dinheiro. Mesmo exista forte possibilidade de ganhos com algum risco, não está disposto a perder. Atrelado a títulos do Tesouro Direto prefixados;
  • Moderado: seria um meio termo. Um investidor que opta por arriscar mais que o conversador e busca de maior retorno, porém não está disposto a assumir grandes riscos. Geralmente aquele que varia na carteira;
  • Agressivo: aquele que está sempre em busca de maiores rendimentos e obviamente está aberto a correr altos riscos para que isso ocorra. Geralmente está atrelado a investimento de renda variável.

Escolha o títulos ideal para o seu objetivo

Assim como citamos anteriormente, existem três grupos de títulos públicos disponíveis para ser investidor no Tesouro Direto, são eles: os prefixados, pós-fixados e indexados à inflação. Escolha um que se adeque ao seu objetivo.

Dê o primeiro passo

Os passos anteriores são essenciais se o seu maior objetivo for investir, mas este é o mais importante. Não tome esta decisão com pressa e ansiedade, reserve um tempo para pensar, aprenda o máximo possível para sentir a confiança necessária de começar a investir.

Se conseguiu encontrar o título ideal, apenas siga os passos e pronto. Você se tornou um investidor do Tesouro Direto!

Afinal, como escolher o melhor título?

Não existe o melhor título e sim aquele que mais se assemelha com o seu objetivo. Caso você queira substituir a famosa poupança, basta fazer uma reserva investindo no Tesouro Selic.

Para projetos de longo prazo, como compra de casa ou até mesmo aposentadoria, indicamos papéis indexados ou prefixados adequados com vencimentos longos.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com este conteúdo. Também gostaríamos de te ajudar a entender o seu score de crédito, consulte agora mesmo gratuitamente:

Consulte seu CPF grátis e receba as melhores ofertas!

Mais de 300 opções entre cartões de crédito, contas e empréstimos.

Consultar CPF grátis
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Corretoras de Criptomoeda: Como evitar ciladas? Veja algumas dicas

Descubra como se proteger de cobranças indevidas nas suas contas de telefone

O que é pró-rata e como calculá-lo?

5 dicas para viver com um salário mínimo

5 dicas de como ganhar dinheiro sendo estudante

Cheque: entenda o que é e conheça suas variações

Lei do Superendividamento: saiba como renegociar suas dívidas sem extrapolar seu orçamento

Como se organizar para comprar sua casa própria em 2022