Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Tesouro Direto: títulos fecham em fevereiro no vermelho

Por Thais SouzaPublicado em

Fevereiro não foi um bom mês para os investidores do Tesouro Direto no país. Dos  26 títulos, somente cinco resistiram à instabilidade causada pela desconfiança fiscal e a ingerência do governo na Petrobras, e apenas três renderam mais que o CDI no mês. 

Títulos do Tesouro Direto fecham fevereiro em vermelho

O aumento das preocupações de investidores no Brasil, além de refletir nos preços do mercado de títulos do governo, com quedas que se aproximaram dos 4% no período, também levou a Bolsa de Valores a fechar fevereiro no campo negativo.

Os resultados negativos foram causados por conta das incertezas e discussões sobre a volta do pagamento do Auxílio Emergencial sem uma compensação de gastos, e a ingerência federal no comando da presidência da Petrobras.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Consequentemente, o risco de investir nesses títulos aumentou e as taxas subiram, prejudicando, principalmente, os títulos mais longos, que têm maior sensibilidade às taxas. 

Os mais afetados foram os títulos prefixados e os atrelados à inflação, como o Tesouro IPCA 2045, por exemplo, que é o papel atrelado à variação de preços de duração mais longa do mercado, afundou mais de 10% no último mês. 

Já o Tesouro Selic foi o único papel que não sofreu tantas quedas em fevereiro, tendo em vista que seu retorno segue a variação da Selic, portanto, sem grandes oscilações diárias.

Confira abaixo como se comportaram os títulos públicos disponíveis para novos investimentos em fevereiro, assim como no bimestre e em 12 meses:

Título Últimos 30 dias No ano
Tesouro Prefixado 2022  0,01 -0,33
Tesouro Prefixado 2023 -0,26 -1,83
Tesouro Prefixado 2025 -1,43 -4,94
Tesouro Prefixado 2026 -1,87 -6,03
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2023 -0,29 -1,64
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2025 -1,82 -4,68
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2027 -2,03 -6,01
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2029 -2,78 -7,54
Tesouro Prefixado com juros semestrais 2031 -3,23 -8,7
Tesouro Selic 2021 0,16 0,3
Tesouro Selic 2023 0,06 0,22
Tesouro Selic 2025 -0,03 0,15
Tesouro IGPM+ com juros semestrais 2021 3,2 5,9
Tesouro IGPM+ com juros semestrais 2031 1,37 6,67
Tesouro IPCA+ 2024 -0,39 -1,4
Tesouro IPCA+ 2026 -0,93 -2,72
Tesouro IPCA+ 2035 -1,93 -5,31
Tesouro IPCA+ 2045 -3,8 -9,93
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2024 -0,29 -1,14
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2026 -0,75 -2,19
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2030 -1,53 -3,96
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035 -1,48 -4,12
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2040 -1,47 -4,25
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2045 -1,38 -4,14
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2050 -2,34 -5,31

Enquanto as incertezas econômicas perdurarem no país, o ideal é buscar outros tipos de investimentos para compor a sua carteira. 

Leia também

Até a próxima. 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida de pessoas que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

IVVB11: guia completo

Como investir no fundo IVVB11?

O que é Bova11?

IVVB11: o que é e como funciona esse fundo?

Nubank ensina como criar conta na plataforma de investimentos Easynvest

Nubank: quanto rende R$ 1 mil na Nuconta?

Selic a 2,75%: investir em Renda Fixa ou Variável?

Aumento da taxa Selic: como ficam os investimentos de renda fixa?