Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Tributo, imposto e taxa: entenda a diferença

Por Camila SilveiraPublicado em

Mesmo que as palavras tributo, imposto e taxa sejam usadas frequentemente na televisão e em outros canais de comunicação, muitas pessoas ainda não entendem seus significados. Neste artigo, você vai entender a definição de cada uma dessas palavras para que elas sejam empregadas de maneira correta. Continue a leitura e aproveite.

Tributo, imposto e taxa: entenda a diferença

O que é tributo?

O tributo representa as cobranças obrigatórias pagas em dinheiro por meio de uma transação financeira, seja a compra de um veículo ou imóvel, venda de produtos ou serviços, entre outras.

Ele pode ser dividido em dois tipos: direto e indireto. O primeiro é aquele sob forma de contribuição pelo cidadão, como por exemplo, o Imposto de Renda. O segundo, por sua vez, são aqueles plicados no valor final de produtos e serviços.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

É importante ressaltar que os tributos podem aparecer na forma de impostos, taxas e contribuições de melhorias, porém, mesmo com a prerrogativa, vale enfatizar que nem todos os impostos são tributos.

O que é taxa?

As taxas são as cobranças que incidem em serviços prestados aos órgãos públicos das esferas municipal, estadual e federal.

Tais valores, que normalmente são fixos, precisam ser pagos em troca de um atendimento específico, como: emissão de documento de identidade, licenciamento do carro, registro de contrato, entre outros.

Elas também podem aparecer em outras ocasiões, sob a forma de mensalidade de condomínio, juros cobrados por instituições bancárias, entre outras.

O que é imposto?

Os impostos podem incidir sobre o patrimônio, consumo ou renda e têm como principal função financiar licitações públicas nas áreas da saúde, infraestrutura, segurança e educação. Confira alguns exemplos de impostos comuns:

Renda Patrimônio Consumo
Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA)  Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

Existem, também, as contribuições que podem ser de melhoria ou especiais. A primeira funciona como uma espécie de tributo cobrado em situações que favoreçam o contribuinte, como o dono de uma casa particular que teve seu bem valorizado em razão de uma obra pública. A segunda é um tributo cobrado para atender demandas de grupos específicos, como sindicatos laborais.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Instagram como ferramenta de negócios: guia completo

Como recarregar Bilhete Único pelo celular?

PicPay: como fazer cobranças pelo aplicativo?

Caixa abre 10 mil vagas de emprego para concursados, estagiários e aprendizes

Open Banking ou Open Finance: o que você precisa saber sobre esses sistemas

Não consegue guardar dinheiro? Conheça a “poupança por assinatura”

Golpe da revisão do INSS: veja como se proteger

Quer mudar de carreira? Confira essas dicas para trocar de profissão