Foregon.comConteúdos

Vistoria cautelar: entenda sua importância na compra de veículos usados

Por Thais SouzaPublicado em
Compartilhe

Como diz o ditado, as aparências enganam – e elas podem confundir, e muito, o comprador de um carro usado. É por isso que a vistoria cautelar está cada vez mais presente no processo de compra e venda de veículos.

Mas, você sabe o que é o processo de vistoria cautelar e como usá-lo a seu favor na hora da compra? Fique com a gente que vamos explicar tudo.

O que é vistoria cautelar

Quando você vai comprar um carro usado ou seminovo, é preciso ter uma garantia da procedência do veículo. Ou seja, só a avaliação de um mecânico e a palavra do vendedor não são suficientes para garantir que você não terá problemas no futuro. 

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

E é aí que entra a vistoria cautelar, que é como um check-up geral do carro. Portanto, é ela que dirá se está tudo certo com o veículo e se vale a pena comprá-lo de acordo com suas condições.

O que é verificado na vistoria cautelar? 

A vistoria cautelar é dividida em dois momentos: a análise dos documentos do veículo, informações legais sobre o passado dele e originalidade dos pontos de identificação do automóvel. Nessa etapa são analisados: 

  • Chassi;
  • Motor;
  • Placa;
  • Câmbio;
  • Vidros;
  • Etiquetas de identificação;
  • Entre outros.

O segundo momento é a avaliação mecânica, aqui verifica-se a existência de reparos estruturais significativos, como indícios de sinistro, se o veículo possui restrições judiciais, se tem histórico de leilão, se possui débitos, entre outras informações. Confira: 

  • Indício de sinistro (aqui você descobre os acidentes pelos quais carro passou);
  • Leilão;
  • Longarinas dianteiras e traseiras;
  • Painel dash;
  • Painel dianteiro;
  • Painel traseiro;
  • Laterais;
  • Teto;
  • Demais peças.

Ao final da vistoria cautelar, a empresa responsável fornecerá um laudo que faz a classificação do automóvel como aprovado, aprovado com ressalvas ou reprovado.

  • Veículo aprovado: isso quer dizer que o veículo está nas condições adequadas para a compra;
  • Veículo aprovado com ressalvas: quando o veículo está e boas condições mas precisará passar por pequenas manutenções; 
  • Reprovado: quando o carro possui falhas graves.

Qual a importância da vistoria cautelar? 

Segurança para a proprietário

O laudo certifica que o automóvel está em condições adequadas na parte estrutural e também na sua documentação. Isso facilita a revenda do veículo e facilita o processo de solicitação de segura, já que muitas seguradoras exigem essa avaliação veicular.

Prevenção de acidentes

A vistoria cautelar avalia se o veículo passou por algum problema grave, como acidentes ou recall. Em alguns casos, a estrutura do automóvel pode ser abalada mesmo após o conserto, oferecendo riscos ao condutor. A avaliação detecta essas inconsistências e pode prevenir acidentes. 

Facilita a revenda

O laudo emitido na vistoria cautelar serve para comprovar o verdadeiro estado do veículo. Portanto, é um documento que pode facilitar a revenda, pois demonstra confiabilidade, transparência e segurança.

Descomplicamos?

Gostou do artigo? Conta para a gente se você já fez uma vistoria cautelar no seu carro. Ah, e se ficou com alguma dúvida, basta deixar seu comentário que a gente descomplica para você. 

Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Thais Souza

Estudante de Publicidade e Propaganda, é Redatora na Foregon. Gosta de escrever textos sobre dicas de viagens e destinos. Nas horas livres gosta de ler e cozinhar.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    O que é a Click Conta Bradesco?

  • Dicas financeiras

    Faturamento MEI 2020: descubra

  • Dicas financeiras

    Como pagar boleto com PayPal?

  • Dicas financeiras

    Sky pré-pago: conheça e veja se vale a pena

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras