Ir para o conteúdo principal
Foregon.com

Conta Poupança: O Guia Completo para Entender e Investir

Nara LimaPublicado em

A conta poupança é um dos tipos de investimento mais tradicionais no Brasil. Ela é conhecida por sua simplicidade e baixo risco, tornando-se muitas vezes o primeiro contato das pessoas com o mundo das finanças. Neste guia completo, exploraremos todos os aspectos relacionados à conta poupança, desde o seu funcionamento básico até detalhes sobre rendimento, vantagens e desvantagens.

Você encontra nesse artigo:

O que é uma Conta Poupança?

Uma conta poupança é uma forma de investimento em renda fixa disponível para todos. Até mesmo menores de idade podem ter uma conta em seu nome, desde que sejam representados ou assistidos por um responsável legal. Ela oferece uma maneira simples de guardar dinheiro, sem a necessidade de realizar movimentações complexas.

Como Funciona a Poupança?

A poupança é regulamentada pelo Banco Central, e seu funcionamento é padronizado em todos os bancos, o que significa que a rentabilidade é a mesma, independentemente da instituição escolhida. Não há custos de abertura ou manutenção, e ela é isenta de tributos, como Imposto de Renda. Isso a torna uma opção descomplicada para a maioria dos investidores.

Taxas e Custos

Um dos pontos favoráveis da conta poupança é a isenção de custos. Diferentemente de muitos outros investimentos, a poupança não cobra tarifas de abertura, manutenção, taxas de administração ou de performance. Além disso, os rendimentos da poupança são isentos de Imposto de Renda.

No entanto, é importante mencionar que, para quem está obrigado a fazer a declaração anual do Imposto de Renda, é necessário incluir os recursos mantidos na poupança acima de R$ 140 na declaração.

Liquidez da Poupança

A poupança é conhecida por sua alta liquidez. Isso significa que os resgates podem ser realizados a qualquer momento, e os recursos são transferidos para a conta corrente no mesmo dia do pedido. É uma característica que a torna uma opção conveniente para quem precisa de fácil acesso ao dinheiro.

Data de Aniversário da Poupança

A rentabilização da poupança funciona de forma diferente de outros investimentos de renda fixa. Os rendimentos da poupança são creditados mensalmente apenas na data de "aniversário" da conta, que é o dia do mês em que o depósito foi feito. Isso significa que, se você retirar o dinheiro antes do aniversário, perderá a rentabilidade do mês.

Garantias da Poupança

A poupança conta com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que assegura que, em caso de falência do banco, os investidores receberão de volta até R$ 250.000 por instituição financeira. No entanto, é importante observar que a garantia do FGC é por CPF e por instituição financeira. Portanto, se um investidor tiver uma poupança e também aplicações em CDBs de um banco com problemas, a garantia de R$ 250.000 valerá para todas essas aplicações somadas.

Rendimento da Poupança

A rentabilidade da poupança sofreu alterações em 2012. Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês mais a variação da TR. Se a Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, a poupança renderá 70% da Selic mais a variação da TR. No entanto, para poupanças abertas antes de maio de 2012, as regras antigas ainda se aplicam, com rendimento de 0,5% ao mês mais a TR.

Inflação e Rendimento da Poupança

Nos últimos anos, a rentabilidade da poupança tem ficado aquém da inflação, o que resulta em um rendimento real próximo de zero ou negativo. Isso significa que o dinheiro aplicado na poupança pode perder poder de compra ao longo do tempo, uma vez que seus rendimentos não conseguem acompanhar o aumento dos preços.

Alternativas à Poupança

Para quem busca rendimentos mais atrativos e deseja preservar o poder de compra, existem diversas alternativas à poupança, como CDBs, LCIs, LCAs, títulos públicos e fundos de renda fixa. Esses investimentos podem oferecer rendimentos superiores, embora envolvam diferentes níveis de risco e custos.

CDBs (Certificados de Depósito Bancário)

Os CDBs são títulos emitidos pelos bancos para captar recursos e financiar suas atividades de crédito. Eles funcionam de forma semelhante à poupança, mas com a diferença de que a rentabilidade é creditada diariamente, não apenas mensalmente.

A maioria dos CDBs é pós-fixada e oferece uma remuneração baseada em um índice de referência de renda fixa, como a Selic ou o CDI. Alguns bancos podem oferecer CDBs com rendimentos competitivos, superiores à poupança.

Diferentemente da poupança, os CDBs não são isentos de Imposto de Renda. A tributação varia de 15% a 22,5%, dependendo do prazo de investimento.

LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio)

As LCIs e LCAs são títulos que funcionam de maneira semelhante aos CDBs, mas com uma importante vantagem: são isentas de Imposto de Renda para pessoas físicas. Isso permite que as instituições financeiras ofereçam rendimentos competitivos, mesmo que ligeiramente menores do que os CDBs.

Esses títulos são lastreados em operações imobiliárias (LCIs) ou agrícolas (LCAs), o que contribui para o financiamento desses setores.

Títulos Públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo governo federal por meio do Tesouro Direto. São considerados investimentos de baixo risco, uma vez que o governo é o emissor. Existem diferentes tipos de títulos, incluindo os pós-fixados, que acompanham a taxa Selic.

Os títulos públicos são uma opção segura e oferecem boa liquidez, mas envolvem taxas de custódia e podem ter rendimentos tributados.

Fundos de Renda Fixa

Os fundos de renda fixa são carteiras de investimento que aplicam em diversos tipos de ativos de renda fixa, como títulos públicos, CDBs e outros. Sua rentabilidade é variável e depende da gestão do fundo.

Diferentemente da poupança, os fundos de renda fixa não contam com a garantia do FGC, envolvem custos, como taxas de administração, e estão sujeitos à tributação de Imposto de Renda.

Conclusão

A conta poupança é um investimento tradicional, simples e acessível, mas seus rendimentos têm sido impactados nos últimos anos, o que pode resultar em perda de poder de compra.

É fundamental que os investidores considerem alternativas de investimento, como CDBs, LCIs, LCAs, títulos públicos e fundos de renda fixa, que podem oferecer rendimentos mais atrativos e uma melhor preservação do capital no longo prazo.

A escolha entre essas opções depende dos objetivos financeiros de cada investidor, bem como de seu perfil de risco e prazo de investimento. Portanto, é importante avaliar com cuidado as alternativas disponíveis e buscar orientação financeira, se necessário, para tomar decisões informadas em relação aos investimentos.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Nara Lima

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, gosta de escrever sobre educação financeira. Preza pela facilidade da leitura e pela checagem das informações, buscando produzir um conteúdo de leitura simplificada e que sane as dúvidas do leitor.

Ver todos os posts

Leia também

Conta Digital PinPag: Benefícios e Como Abrir a Sua

Conta Poupança: O Guia Completo para Entender e Investir

Conta-Corrente ou Poupança: Qual a Melhor Escolha Para Você?

O que é Conta Digital: Um Guia Completo

Conta Corrente: Guia Completo para Entender, Escolher e Gerenciar

Conta Poupança Social Digital: Tudo o que Você Precisa Saber

Caixa Econômica Federal Traz Novidades para Sua Conta Poupança

Conta Superdigital do Santander apresenta instabilidades hoje (5)