Ir para o conteúdo principal
Foregon.com

Esquema de Pirâmide: o que é e como Identificar?

Escrito por 

Atualizado em 

Qualidade editorial: Nosso conteúdo é construído por uma equipe profissional que coloca a dúvida do leitor no centro da sua escrita. Cada autor traz o seu conhecimento para responder e solucionar sua busca, entregando valor por meio da verificação de dados, aprofundamento da pesquisa e reputação do nosso site.

Segurança e privacidade: Somos responsáveis por manter seus dados protegidos quando você acessa nosso site. Trabalhamos com total transparência e respeito ao seu consentimento, colocando você no controle de seus dados. Conheça nossa política de privacidade.

O "esquema de pirâmide" é um dos golpes mais conhecidos e antigos no universo financeiro. Suas vítimas são de diferentes perfis e classes sociais, mas possuem uma característica em comum: a crença em promessas de retorno expressivo com baixo esforço e em pouco tempo.

Neste artigo, vamos explorar o que é uma pirâmide financeira, como identificar e evitar esse tipo de golpe, e o que fazer se você descobrir que está envolvido em uma.

O que você procura?

O que é esquema de pirâmide financeira?

Pirâmides financeiras são esquemas fraudulentos onde as vítimas são atraídas por outras pessoas para investirem dinheiro em troca de ganhos altos. 

Normalmente, o esquema se disfarça como um negócio de compra e venda de determinado produto ou serviço, mas, na realidade, o retorno financeiro vem da adesão de novos membros. 

Como uma pirâmide, o objetivo é que a base de participantes seja cada vez maior para sustentar as pessoas que estão no topo. 

Dessa maneira, os investimentos dos recém-chegados no esquema são usados apenas para pagar as pessoas que estão no negócio há mais tempo. Apesar da lógica fazer sentido, a estrutura do esquema de pirâmide se torna insustentável ao longo do tempo. 

Prejuízos do esquema de pirâmide financeira

Se você caiu neste esquema, é importante sair quanto antes para evitar maiores prejuízos, como: 

  • Perda de dinheiro;
  • Problemas judiciais;
  • Danos nas relações com familiares e amigos por conta das indicações;
  • Desperdício de tempo; 
  • Roubo de dados e identidade.

Com uma abordagem mais acessível, um novo golpe usa o Pix para pirâmide financeira. Funciona da seguinte forma: os organizadores pedem que as pessoas façam um Pix de R$ 1 para participar de grupos no WhatsApp, prometendo lucros fáceis.

O processo é simples:

  1. Pague R$ 1 via PIX para entrar no grupo do WhatsApp ou Telegram;
  2. Torne-se administrador do grupo;
  3. Convide novas pessoas para pagar R$ 1 e entrar no grupo, criando um ciclo;
  4. O criador do grupo é o principal beneficiado, enquanto os últimos a entrar não ganham nada, pois há um limite de usuários por grupo no WhatsApp. Golpistas também incentivam doações maiores, prometendo acesso a grupos mais lucrativos.

Segundo o diretor do dfndr lab, Emilio Simoni, "Ao ingressar nesses grupos, os usuários expõem sua identidade e são enganados a pagar mais, além de espalharem o golpe".

Como funciona o esquema de pirâmide?

Para entender melhor, visualize uma pirâmide. A base é maior porque conta com um grande número de participantes, que são os que entraram no esquema recentemente. 

O topo da pirâmide é menor, indicando que neste nível existem poucas pessoas e essas são as que estão participando do esquema desde o início. 

Todo novo participante deve fazer um pagamento inicial ou comprar um produto. Além disso, a principal missão é recrutar novos integrantes para o esquema. O argumento utilizado é: "quanto mais pessoas entrarem, maiores serão os seus retornos"

O dinheiro que os novos participantes pagam para entrar na pirâmide é utilizado para pagar os membros mais antigos. Ou seja, o esquema trata-se apenas de uma redistribuição e não um investimento com retornos reais.  

E é aí que mora o problema. Com o passar do tempo, o recrutamento fica mais difícil e, com isso, a entrada de dinheiro diminui. Como consequência, os participantes deixam de ser remunerados. 

De acordo com Thiago Bueno, procurador da República no Amazonas e integrante do grupos de investigação de crimes cibernéticos do Ministério Público Federal: 

"Para que Paulo ganhe, Pedro tem que perder. Esse é um ditado triste, mas que define bem como funciona uma pirâmide financeira. É um sistema que não se sustenta por muito tempo, justamente por isso está sempre dependente do ingresso de novas vítimas".

Para entender como funciona um esquema de pirâmide, imagine o seguinte cenário: um amigo seu chega entusiasmado, dizendo que ganhou muito dinheiro vendendo cosméticos da marca "Beleza Rara".

Logo, você percebe algumas peculiaridades. Um creme similar, de outra marca, custa R$ 50, mas os da Beleza Rara são vendidos por R$ 300. Além disso, para comprar os produtos, você precisa se associar ao clube da empresa, pagando uma taxa de entrada de R$ 100.

No clube, você pode comprar e revender os produtos, acreditando que a alta demanda vai aumentar os preços e gerar grandes lucros. Também é incentivado a recrutar novos membros para ganhar comissões e subir na hierarquia da empresa.

A questão é que o negócio não se sustenta na venda dos cosméticos, mas na entrada de novos participantes. Quando não há mais pessoas para entrar, o esquema colapsa.

Logo, o organizador desaparece, e você percebe que caiu em um esquema de pirâmide. O dinheiro que investiu e incentivou outros a investirem simplesmente sumiu, deixando todos no prejuízo.

Esquema de pirâmide é crime?

Sim. A pirâmide financeira é uma prática fraudulenta proibida no Brasil e configura crime contra a economia popular, de acordo com a Lei nº 1.521/1951.

Além disso, quem for pego aplicando o golpe pode ser preso por estelionato. A pena pode variar de seis a dois anos de reclusão.

Como identificar um esquema de pirâmide? 

Muitas vezes, o esquema de pirâmide aparenta ser um negócio legítimo. Por isso, é importante se atentar a alguns pontos para identificá-lo: 

  • Foco em trazer mais pessoas: desconfie quando a principal atividade do negócio é trazer novos integrantes ao invés de vender; 
  • Lucros exorbitantes: para atrair mais pessoas, são feitas promessas de lucros muito acima da média; 
  • Falta de produtos/serviços reais: se houver um produto ou serviço, ele será utilizado como fachada. Portanto, normalmente o produto/serviço tem pouco valor;
  • Investimento inicial: para entrar no negócio é preciso pagar uma taxa de inscrição, fazer um investimento inicial ou comprar um produto;
  • Hierarquia: existência de uma a estrutura hierárquica para recebimento dos valores, onde os lucros dos novos participantes são usados para pagar os antigos;
  • Falta de transparência: a empresa em questão não fornece documentos contratos e informações sobre a distribuição dos lucros e sobre as operações;
  • Histórico questionável: a empresa normalmente tem um histórico de problemas legais ou é um negócio de fachada.

Como evitar este tipo de golpe? 

O passo mais importante para evitar cair em qualquer golpe é se manter sempre alerta. Antes de fechar um negócio, siga alguns passos de segurança: 

  • Cheque se a empresa possui um CNPJ e se a atividade registrada está relacionada à atividade ou serviço oferecido; 
  • Busque informações dos responsáveis; 
  • Verifique se a empresa tem permissão para realizar o negócio que oferece;
  • Confira se há reclamações contra a empresa no Reclame Aqui e Consumidor.gov. 

Crime já prejudicou milhões de brasileiros

De acordo com o deputado Aureo Ribeiro, que presidiu a Comissão das Pirâmides Financeiras, milhares de brasileiros de todas as classes sociais são vítimas desses esquemas. Segundo ele, os crimes investigados pela CPI somam cerca de R$ 100 bilhões e prejudicaram aproximadamente quatro milhões de brasileiros.

O que fazer ao cair em uma pirâmide financeira? 

Ao identificar que você caiu em um esquema de pirâmide sem querer, o primeiro passo é fazer uma denúncia para: 

  • Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que fiscaliza o mercado de valores mobiliários no Brasil;
  • Ministério Público Federal; 
  • Ministérios Públicos Estaduais ou
  • Polícia Civil.

Perguntas frequentes 

O que é o crime de pirâmide?

É um golpe onde investidores são atraídos por promessas de altos ganhos. A pirâmide financeira é uma prática fraudulenta proibida no Brasil e configura crime contra a economia popular.

O que é uma empresa pirâmide?

Trata-se de uma empresa que vende um produto ou serviço como forma de fachada, mas, na verdade, os lucros são obtidos com recrutamento de novos participantes.

O que acontece com quem participa de pirâmide financeira?

Além de perder o seu dinheiro investido e não ter lucros reais, se você participa de um esquema de pirâmide poderá ter problemas na justiça.

Quais são as pirâmides financeiras no Brasil?

Já existiram diversos esquemas de pirâmide descobertos pela polícia. Atualmente, existem vários deles em operação, como o Golpe do Pix.

Compartilhe

Escrito por:

Thais Souza
Analista de Comunicação e Conteúdo

Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE), a Thaís escreve desde 2019 com foco na experiência e resolução das dúvidas de seus leitores.Desde 2021, atua como Analista de Comunicação e Conteúdo na Foregon, onde trabalha na produção e melhoria de conteúdos relacionados a CPF, score de crédito, golpes e fraudes, e vazamento de dados.Além da produção de artigos, também já trabalhou com projetos para Guest Posts, notícias, posts para redes sociais, e-books e roteiros para vídeos.