Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

BOVA11: como investir na bolsa de valores de forma simples

Por Camila SilveiraPublicado em

Se você deseja investir na bolsa de valores, porém não consegue acompanhar os negócios das empresas que emitem os papéis, saiba que há uma forma de aplicar o seu dinheiro em mais de 60 ações das maiores empresas do Brasil. As cotas do ETF BOVA11 são monitoradas diretamente por um profissional especialista em investimentos, podendo ser ideal para você.

Com a queda da Selic, os investidores mais conservadores passaram a considerar mais as aplicações de renda variável, afinal, elas são bem mais interessantes para quem busca maior rentabilidade na carteira.

Apesar disso, investir diretamente em ações demanda tempo e muito conhecimento de mercado. Por isso, os ETFs, ou Exchange Traded Funds, como é o caso do BOVA11, surgem como opções interessantes. Mas, afinal, o que é isso? 

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Saiba o que é BOVA11

O iShares Ibovespa Fundo de Índice (BOVA11) é um ETF de ações que procura uma perfomance igual ou melhor que a do Ibovespa, o principal índice da bolsa de valores. 

Para um melhor entendimento o ETF trata-se de um fundo que replica um determinado indicador do mercado financeiro.

Por exemplo, o ETF do Ibovespa reúne todos os papéis que o compõem, ou seja, a pessoa que investe nele aplica seus recursos financeiros em todas as ações do índice Bovespa automaticamente.

O indicador, portanto, reflete o desempenho das ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira (B3), a maioria de grandes empresas como Itaú, Ambev, Gerdau e Petrobras.

Entre os ETFs listados na B3, o BOVA11 é o que possui maior volume de negócios, proporcional a cerca de 80% do total dos ETFs. Em 2019, por exemplo, foram negociados R$ 125 bilhões em cotas do fundo. 

Isso significa também que ele é um produto financeiro com alta liquidez, já que a quantidade alta de operações aponta para uma procura maior de pessoas interessadas em aplicar nesse fundo.

Entenda como esse ETF funciona

Administrado por uma das maiores gestoras de investimentos do mundo, a BlackRock, o BOVA 11 funciona de forma semelhante aos fundos de investimentos indexados. A principal diferença é que os fundos de índice possuem cotas negociadas na bolsa de valores, enquanto os indexados não.

O fundo de índice cobra uma taxa de administração de 0,30% ao ano para o investidor, valor menor quando comparado a outros tipos de fundos.

Sabendo disso, antes de escolher um ETF, é essencial pesquisar todas as taxas e custos atrelados a ele, principalmente do que diz respeito à tributação, para não se surpreender negativamente.

A baixa taxa de administração da BOVA11 acontece pois esse ETF tem uma gestão passiva. Melhor dizendo, ele não procura rentabilidades muito acima do índice de referência.

Além disso, devido a um grande volume negociado de suas cotas, a liquidez desse ETF é alta, o que facilita a tarefa de revender a aplicação no mercado, caso o investidor precise do dinheiro que foi empregado.

Vale lembrar que em toda compra de ação, é necessário ter uma corretora, porém, algumas não cobram taxa de corretagem na compra de cotas do fundo.

Também é possível acompanhar as oscilações do valor da cota pelo sistema que monitora a ação, chamado de home broker.

No dia 24 de dezembro de 2019, por exemplo, as cotas do fundo custavam aproximadamente R$ 111. O lote mínimo para compra equivale a dez cotas, ou seja, cerca de R$ 1,1 mil.

Apesar disso, é importante ressaltar que quem quiser aplicar menos dinheiro pode optar pelo lote fracionário, inserindo a letra F após o código do fundo da corretora.

Por exemplo: se você quiser comprar apenas cinco cotas, digite o código BOVA11F e o número 5 na quantidade de cotas desejadas.

Saiba como a carteira do BOVA11 é composta

O BOVA11 é composto por ações que fazem parte da carteira do Ibovespa, em proporções similares às do índice. No entanto, a sua composição não é idêntica porque a finalidade do gestor do fundo é buscar o melhor desempenho em linha com o objetivo do fundo, que é seguir o índice.

O fundo investe, no mínimo, 95% do patrimônio em ações do Ibovespa e posições do índice no mercado futuro, e 5% de patrimônio em ativos que não estão relacionados ao índice.

Qual é a rentabilidade do BOVA11?

A rentabilidade do BOVA11 vai depender basicamente do desempenho das ações que o compõem. Desde o seu lançamento, o seu rendimento ultrapassa 180% e, até o final de 2019, o retorno acumulado no ano estava em 22,88%.

É fato que a rentabilidade é algo que deve ser observado pelo investidor antes de compor uma carteira. Ao mesmo tempo em que os investimentos de renda fixa possuem um retorno mais baixo, os de renda variável oferece um rendimento maior.

No entanto, junto às maiores oportunidades de ganho, vêm os riscos. Sendo assim, para garantir uma boa rentabilidade e reduzir os riscos de perdas, é essencial optar pela diversificação na carteira.

O que torna o ETF uma boa opção é que ele é gerido por um profissional qualificado no mercado de investimentos, que acompanha diariamente o mercado, comprando e vendendo ações de acordo com uma análise especializada da economia.

O objetivo desse profissional é aumentar o máximo possível a rentabilidade dos investimentos e, como resultado, garantir melhores retornos para quem está investindo no ETF.

BOVA11 × BRAX11: qual é a diferença?

Assim como o BOVA11, o BRAX11 também é um ETF de renda variável, porém, que segue o Índice Brasil 100 (IbrX-100), que é composto pelos 100 papeis mais negociados na bolsa de valores.

O fundo de índice também é gerido pela BlackRock e cobra uma taxa de administração 0,20% ao ano. No entanto, por ter sido criado mais recentemente, ainda possui uma liquidez menor do que a do BOVA11.

Vantagens do BOVA11

Uma das principais vantagens do fundo é a segurança. Pelo fato de existirem diversos papeis, o risco diminui. Além disso, comprar 60 ações que refletem o Ibovespa de forma independente teria um custo muito elevado, já que, na maioria das vezes, é cobrada uma taxa de corretagem em cada operação de compra e venda.

O fundo também reinveste os dividendos distribuídos pelas empresas emissoras dos papéis de forma automática. Melhor dizendo, quem investe não precisa se preocupar em aplicar esses valores, como teria que ser feito na compra direta de papéis.

Desvantagens do BOVA11

Sobre suas desvantagens, o BOVA11 não permite que o investidor escolha os papéis que compões sua carteira e nem saber ao certo qual é a composição do índice. Por isso, ele é mais recomendado para iniciantes que não possuem tempo para fazer uma análise aprofundada de cada papel.

Além disso, diferentemente da compra direta de ações, a aquisição de cotas de um ETF não tem a isenção de Imposto de Renda para operações de menos de R$  20 mil a cada mês. A alíquota que incide na aplicação é de 15% do lucro.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Investimentos prefixados: entenda se eles valem a pena

Investimento: saiba quanto da sua renda mensal deve ser investida

Melhores negócios para abrir com baixo investimento em 2021

Integrada, Caixa Fácil e Azul: conheça as modalidades de conta poupança da Caixa

Por que investir em fundos imobiliários?

Investimento: transforme R$ 100 em R$ 1.000 em 1 mês

Como se preparar para imprevistos financeiros?

O que a Selic em 3.5% ao ano influencia no seu dinheiro?