Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Como criar a sua própria empresa de pagamento em 5 passos

Por Camila SilveiraPublicado em

Se você já pensou em ter a sua própria empresa de pagamento, mas ainda acredita que realizar esse sonho é extremamente difícil, saiba que existem algumas estratégias que podem te ajudar muito. 

De maneira resumida, é necessário estudar o mercado no qual pretende atuar, conhecer bem o seu público-alvo, determinar quais meios de pagamento pretende oferecer, encontrar um diferencial para o seu negócio e escolher um bom parceiro de jornada.

Quer conferir todas essas estratégias detalhadamente? Continue a leitura e esclareça todas as suas dúvidas sobre como criar a sua própria empresa de pagamento.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

O que é uma empresa de pagamento?

A empresa de pagamento representa um modelo de negócio que faz intermediação entre quem paga, os bancos e quem recebe. 

Sendo assim, a empresa pode oferecer soluções de pagamento presencial e as famosas máquinas de cartão de crédito, bem como disponibilizar carteiras digitais e soluções de pagamento online, como o Payment Service Provider (PSP), que em português significa Provedor de Serviços de Pagamento.

Essas empresas trabalham com bancos adquirentes, que são os processadores de pagamento, e têm como principal objetivo gerenciar todo o processo de pagamento.

Melhor dizendo, uma empresa PSP é responsável pela transação desde o momento em que o cliente escolhe o meio de pagamento até quando o valor da venda entra na conta do comerciante, incluindo também técnicas relacionadas ao fluxo de informações..

Como criar a sua empresa de pagamento

1. Estude o mercado

A empresa Caparaó Pago tinha como propósito abrir uma loja física do ramo de pagamentos na cidade de Guaçuí, no Espírito Santo. O objetivo era atender os comerciantes locais oferecendo soluções para pagamentos presenciais.

Essa história apresenta uma das possibilidades que esse modelo de negócio oferece: você tem a opção de direcionar os seus serviços para um público específico ou começar atendendo uma determinada região.

Portanto, é necessário estudar o mercado que pretende atuar, analisar seus concorrentes, quais serviços relacionados aos meios de pagamentos estão sendo oferecidos e identificar o que você pode entregar de diferente para os seus consumidores.

2. Conheça o seu público-alvo

Para abrir uma empresa de qualquer segmento é essencial saber qual é o seu público-alvo e as suas principais dores.

Por exemplo, se você percebeu que o seu público tem a necessidade de ter soluções de pagamentos mais modernas, como por aproximação, QR Code, entre outros, pode começar a oferecer essas opções em sua empresa.

3. Defina quais meios de pagamentos pretende oferecer

Os meios de pagamento que podem ser oferecidos por uma empresa desse segmento são:

  • Cartões de crédito;
  • Cartão de débito;
  • Boleto bancário;
  • Gateway de pagamento;
  • Transferências eletrônicas, como o Pix;
  • Pagamentos recorrentes;
  • Pagamento por aproximação;
  • Pagamento via QR Code;
  • Carteira digital.

Entenda o seu modelo de negócio e, mais uma vez, as dores do seu público-alvo e escolha os meios de pagamento que melhor atenda às suas necessidades.

4. Encontre um diferencial para o seu negócio

O segredo para se destacar nesse mercado é oferecer algo que as demais empresas ainda não oferecem. Você pode proporcionar, por exemplo, taxas menores, soluções de pagamentos modernos, serviços adicionais, atendimento personalizado, entre outros.

5. Escolha um bom parceiro de jornada

Por fim, encontre o parceiro ideal, ou seja, escolha uma fintech que trabalhe com uma plataforma White Label de pagamentos para oferecer toda tecnologia necessária para estruturar o seu negócio. 

De forma resumida, o termo White Label significa que você vai usufruir de todo o conhecimento e tecnologia desse desenvolvedor para criar produtos financeiros que deseja. No momento de escolher a melhor plataforma, é fundamental considerar questões como

  • A tecnologia oferecida;
  • A capacidade de inovação
  • A rápida adequação às mudanças do mercado;
  • Os meios de pagamento disponíveis;
  • A segurança dos processos e das transações;
  • A facilidade de integração das soluções escolhidas;
  • O serviço de suporte disponibilizado.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Aprenda a economizar nas contas dentro da sua casa

CPF: para que serve e como fazer?

Confira o ranking das 100 melhores cidades para se viver no Brasil em 2021

Falta de planejamento financeiro pode afetar a sua saúde e qualidade de vida

Cartão Méliuz: ganhe dinheiro de volta em todas as compras

Banco Inter: saiba como ganhar cashback assistindo filmes

Reconhecimento de firma: o que é e como é feito?

Saiba como cadastrar o Google Pay no aplicativo Nubank