como-funciona-o-tesouro-direto

Você sabia que um planejamento financeiro inclui investimentos? Fazer seu dinheiro render, é a forma mais inteligente de garantir um retorno maior daqui alguns anos. Que tal conhecer e ver como funciona o Tesouro Direto?

Se você ainda se pergunta se esse fundo rende mais que uma poupança, a resposta é sim!

Hoje, a taxa da conta poupança fica entre os 0,37% ao mês. Já o Tesouro direto, dependendo da forma que você escolhe investir, pode passar os 10% ao ano.

Ou seja, se você realmente procura um investimento que te de retorno, a melhor escolha é o Tesouro Direto. E como você vai ver, é fácil e não precisa de muito dinheiro para investir.

Fique por dentro:

como funciona o tesouro direto

O que é o Tesouro Direto

É um Programa do Tesouro Nacional, desenvolvido em parceria com a BM&FBovespa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet.

Traduzindo isso quer dizer que, você empresta dinheiro ao governo Brasileiro comprando títulos públicos. Os valores são investido em saúde, educação e outras atividades do estado. Enquanto isso, o seu dinheiro rende, voltando para você com juros.

Como funciona o Tesouro Direto

Quer investir, mas não dispõe de um alto valor? Não tem problema, a partir de R$30, você já pode começar! E existem diferentes títulos, escolha o que mais seja vantajoso para você. Confira:

Selic

Você ganha conforme a variação da taxa Selic. Atualmente, a taxa está em 6,50% ao ano. A Selic, é indicada para quem pretende usar o dinheiro do rendimento a curto prazo, ou simplesmente criar um fundo de emergência.

Prefixado

Você sabe exatamente qual o valor da rentabilidade no vencimento (dia do resgate), indicado para pessoas que querem ver seu dinheiro render e tem planos somente a médio ou longo prazo (acima de 3 anos).

IPCA

O seu rendimento acompanha a inflação mais uma taxa prefixada. Se a inflação sobe, seu dinheiro também. É indicado para pessoas que tem um bom valor para investimento e pretende rendimento a longo prazo.

Fique ligado: A única opção de título em que você pode resgatar a qualquer momento sem riscos é a Selic. As duas outras opções, se a pessoa decidir fazer uma retirada, o valor a receber dependerá do valor de venda atual, podendo perder dinheiro.

Como investir no Tesouro Direto

Agora que você começou a entender como funciona o Tesouro Direto, para começar a investir, você precisa de uma instituição financeira. Clicando aqui, você conhece as empresas habilitadas para o serviço.

Basta abrir uma conta em uma dessas instituições e transferir o dinheiro (Doc ou Ted) para ela. Para que seu rendimento comece, você deve escolher para onde seu dinheiro irá (Tesouro, Selic, IPCA, CDB, etc.).

Tesouro Direto rentabilidade

Para você ter uma ideia, se você investir R$100 por mês na Selic, ao final de 12 meses, você irá resgatar R$1.233,31. Enquanto na poupança, o valor renderia R$1.224,83. Você pode fazer mais simulações clicando aqui em baixo:

SIMULE AQUI

Quais são os riscos de investir no Tesouro Direto?

Existem dois riscos de investimento nessa modalidade, que você deve conhecer antes de começar a investir o seu dinheiro. O Risco de Mercado e o Risco de Crédito.

O Risco de Mercado, só depende de você. Isso porque, quando fizer um investimento, verá que há uma data de vencimento. Ou seja, tem uma data para retirar o dinheiro do investimento.

Caso você precise desse dinheiro antes dessa data, há risco de investir no Tesouro Direto, pois, poderá perder dinheiro. Pela razão de que, quando você fizer o resgate, estará sujeito ao valor de mercado daquele dia (taxa de juros da economia). Essa regra vale para os investimentos de médio e longo prazo.

Já o Risco de Crédito é a probabilidade de o emissor do título, no caso o governo, quebrar. Não conseguindo pagar suas dívidas. Mas este caso é tratado como risco baixíssimo.

Se o governo quebra, os bancos quebram, impressas, previdência e assim por diante. O governo mesmo na crise atual, preza por manter o tesouro seguro. Para ter uma ideia, os bancos têm muito mais chances de quebrarem do que o governo.

Aumento de juros e o risco de investir no Tesouro Direto

Há quem ainda tenha medo de investir no tesouro. Mas, esperamos que depois dessas explicações, fique mais fácil ter a visão desse mercado. Você tem dúvidas onde investir com juros altos ou baixos? Veja como funciona o Tesouro Direto em juros:

Se os juros estiverem altos, o melhor a se fazer é investir na Selic e no IPCA. Os dois rendimentos, variam conforme a inflação, rendem mais.

Agora, se os juros estiverem baixos, assim como hoje, (Selic: 6,50% a.a – IPCA: 4,48% a.a), o melhor é investir no Prefixado (6,72% a.a).

Lembre-se, o importante antes de investir, é conhecer o seu perfil como investidor. Avalie o mercado e se escolher investir o dinheiro em rendimentos a médio e longo prazo, respeite a data de vencimento.

Confira 10 mitos e verdades sobre investir no Tesouro Direto.

Resumindo o que vimos, separei dicas para você entender de uma maneira didática sobre como funciona o Tesouro Direto.

1Investir no Tesouro Direto custa caro

MITO. A partir de R$ 30, você já pode começar a investir. O Tesouro Direto permite que os investidores comprem frações de um título. Não precisa se preocupar em calcular as frações, o sistema faz isso automaticamente.

2Investir no Tesouro Direto tem baixo risco

VERDADE. Há dois baixos riscos ao investir. O de mercado e de crédito. O de mercado acontece somente se o investidor retirar o dinheiro antes do vencimento (títulos prefixados e IPCA). O risco de crédito aconteceria somente se o governo quebrasse, o que é muito difícil. Os bancos têm mais chances de quebrar do que o Tesouro Nacional.

3Bom para investir a curto, médio e longo prazo.

VERDADE. O Tesouro Direto é indicado para diferentes prazos. Quem deseja investir a curto prazo, os títulos pós-fixados, são a melhor opção, pois são corrigidos pela Selic. Já a médio e longo prazo, o investimento aconselhado são os prefixados e indexados à inflação.

4Investir no Tesouro é mais rentável do que a poupança

VERDADE. As taxas de juros do Tesouro são maiores do que a poupança, ou seja, rendem mais.

5Só vale investir no Tesouro Direto com taxas de juros alta

MITO. O melhor investimento com as taxas de juros altas é a Selic. Mas o rendimento em títulos prefixados e atrelados à inflação ainda garante bom retorno.

6Imposto de Renda não diminui com o tempo

MITO. Quanto mais o investidor permanece com o título, menor será o valor de Imposto de Renda. O valor cobrado incide sobre os rendimentos, não sobre o valor total aplicado, diminuindo com o tempo.

7Posso resgatar o valor do investimento quando quiser

VERDADE. Para títulos prefixados e atrelados à inflação, corre-se o risco de perder o investimento, pois a retirada depende do valor de negócio no mercado do dia. Se houver desvalorização, o saldo do investidor cai, se valorizar, sobe. O único título que não corre riscos é o investimento Selic, taxa sempre positiva.

8Preciso de uma Instituição Financeira para começar a investir

VERDADE. É necessária uma Instituição Financeira, que, por meio dela, seu dinheiro seja aplicado.

9Só vale a pena investir grandes valores

MITO. A taxa para quem investe mais ou menos é a mesma. Se você planeja algo para o futuro, estará ganhando em rendimentos, seja para uma viagem ou para comprar um carro. Você decide o quanto quer investir.

10É preciso pagar taxa para investir

MITO. A taxa para investir, cabe somente à Instituição Financeira cobrar. Mas, várias delas não cobram pela administração.

Pronto para investir?

Se você gostou de saber como funciona o Tesouro Direto, conta aqui nos comentários para nós. Qualquer dúvida, também mande aqui embaixo!

Navegue à vontade em nosso blog e fique por dentro do mundo financeiro! Te espero no próximo post!

Este conteúdo foi útil para voce? 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 voto(s), média: 4,25)
Loading...