Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Coronavírus: medidas globais para salvar a economia

Por Camila SilveiraPublicado em

Após a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado pandemia mundial no dia 11 de março, a situação econômica atual, que já apresenta contratempos, pode piorar cada vez mais. O novo coronavírus provocou um enorme colapso no sistema de saúde que, consequentemente, abalou as maiores economias do mundo.

Com esses impactos causados pelo Covid-19, os governos estão buscando maneiras para salvar a economia e para evitar o surgimento de maiores efeitos negativos. Embora o epicentro da crise esteja na Europa, outros continentes declaram estado de emergência e, por isso, precisam aplicar medidas e restrições com o intuito de conter a situação econômica. 

Medidas para salvar a economia no Brasil

O Ministério da Saúde anunciou na segunda-feira (16) uma série de medidas para ajudar a economia brasileira enfrentar a pandemia do novo coronavírus. São providências que devem ser tomadas com o propósito de estimular o consumo e ajudar setores específicos. Confira:

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Para a população mais vulnerável (R$ 83,4 bi)

  • Antecipação de duas parcelas do 13º de aposentados e pensionistas, pagas em abril e maio de 2020;
  • Redução do teto de juros para empréstimos consignados para aposentados e aumento da margem e do prazo de pagamento; 
  • Antecipação do abono salarial para o mês de junho;
  • Transferência de valores não sacados do PIS/Pasep para o FGTS;
  • Reforço ao programa Bolsa Família, com inclusão de mais de 1 milhão de beneficiários.

Manutenção de empregos (R$ 59,4 bi)

  • Adiantamento do prazo de pagamento do FGTS por 3 meses;
  • Adiantamento da parte da União no Simples Nacional por 3 meses;
  • Crédito do PROGER / FAT para Micro e Pequenas Empresas;
  • Redução de 50% nas contribuições do Sistema S por 3 meses;
  • Simplificação das exigências para contratação de crédito;
  • Dispensa da Certidão Negativa de Débitos (CND) para renegociação de crédito;
  • Facilitação do desembaraço de insumos e matérias-primas industriais importadas antes do desembarque;
  • O BNDES também irá injetar R$ 55 bilhões na economia – serão R$ 5 bilhões para micro, pequenas e médias empresas. 

Combate a pandemia 

  • Cessar a prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias;
  • Dar preferência tarifária de produtos de uso médico-hospitalar;
  • Priorizar desembaraço aduaneiro de produtos médito-hospitalar;
  • Destinação do saldo do fundo do DPVAT para o SUS;
  • Quitar alíquotas de importação, até o final do ano, para produtos de uso médico-hospitalar;
  • Desoneração temporária de IPI para bens importados que sejam necessários ao combate do coronavírus;
  • Desoneração temporária de IPI para bens produzidos internamente listados que sejam necessários para o combate do coronavírus.

Estados Unidos

O presidente Donald Trump anunciou novas iniciativas emergenciais, que intensificam o plano proposto pela Casa Branca de injetar mais de US$ 1 trilhão na economia. O projeto tem a finalidade de enviar cheques de US$ 1.000 aos cidadãos mais vulneráveis para estimular o consumo. 

O banco central dos Estados Unidos (Federal Reserve) reduziu as taxas de juros e injetou um valor de US$ 700 milhões no mercado com compra de títulos do tesouro e hipotecários, como uma forma de assegurar dinheiro. Além disso, anunciou que retomará o programa de compra de dívida corporativa, implementada pela primeira vez em 2008.

Reino Unido

O Reino Unido tem como medida garantir até US$ 400 bilhões em empréstimos pelo governo para as empresas afetadas pelo novo coronavírus. Essa providência representa cerca de 15% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. 

Além disso, o governo irá bloquear os pagamentos de hipotecas por três meses para pessoas que possuem dificuldades financeiras e liberará bilhões em ajuda direta e subsídios a pequenas empresas.

Espanha

A Espanha se mobilizou com contribuições públicas e privadas para combater as sequelas econômicas do coronavírus. Portanto, o governo irá oferecer uma linha de garantias disponíveis para as empresas mais afetadas.

Com o foco voltado para as pessoas físicas, o Estado espanhol estabeleceu a suspensão dos pagamentos de hipotecas, ajuda financeira para trabalhadores independentes e empresas com grandes perdas, dispensa de pagamentos à Previdência Social e suspensão do corte de água e internet para quem não tem condições de pagá-los.

França

A França tem como plano incluir a entrega de recursos a trabalhadores e empresas, implementar garantias fiscais para empréstimos e medidas específicas para proteger as instituições mais ameaçadas. O governo oferecerá benefícios para os trabalhadores autônomos e pagará por dois meses a remuneração dos funcionários relativamente desempregados. 

O governo francês também oferecerá um fundo de solidariedade para as pequenas empresas que tiveram o seu faturamento afetado.

Itália

O governo tem como plano suspender o pagamento de hipotecas, ajudar financeiramente as empresas mais afetadas e liberar dinheiro aos trabalhadores independentes e desempregados. Além disso, a Itália irá cancelar temporariamente as obrigações fiscais para empresas e população, proibirá a demissão de funcionários por dois meses e garantirá subsídios para os pais, que precisam trabalhar, poderem pagar pelo cuidado dos filhos. 

Alemanha

Com o avanço da pandemia do Covid-19, a Alemanha tem como medida incluir a concessão de crédito para as empresas, por meio de garantias bancárias públicas aos empresários, para evitar a falência. Além disso, os proprietários possuem financiamento público para reduzir o número de horas de trabalho dos funcionários, devido à queda de produção. 

O governo alemão esclareceu que todos os tipos de empresas poderão ter acesso à contribuição. Na medida também está incluso o adiantamento do pagamento de impostos. 

Argentina

Foi anunciado o aumento da concessão de dinheiro do governo para a população mais vulnerável, aposentados, mulheres desempregadas e grávidas em situações de delicadeza. Além disso, estabeleceu um investimento de US$ 1,5 bilhão em obras públicas, habitação e turismo para enfrentar os efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus. 

O plano de medida também contemplam a prestação de ajuda financeira e crédito para pequenas e médias empresas

México

O país não fechou os aeroportos para o controle da pandemia por medo de uma possível quebra completa da economia. No entanto, o México deve regular o orçamento do governo e expandir os programas sociais, como a prestação de subsídios para os idosos. 

Como proceder diante dessa situação?

O mais importante é não entrar em desespero e ter em mente que essa é uma fase turbulenta que vai passar. As medidas tomadas pelas grandes economias mundiais foram pensadas para o bem do mundo como um todo. Para os empresários: a recuperação da economia deve ser rápida, portanto, não percam as esperanças.

Esperamos ter ajudado. Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Trabalhador que recusar tomar vacina pode ser demitido por justa causa

PF deflagra operações contra fraudes no Auxílio Emergencial

Fase emergencial da quarentena no estado de SP: o que muda?

3 coisas que as empresas estão fazendo para superar a crise do Covid-19

5 princípios que devemos aprender em momentos de crise

O Auxílio Emergencial vai voltar em 2021?

Conheça o ‘Auxílio Emergencial’ para moradores da cidade de Belém

O que é necessário para receber a vacina contra o coronavírus?