Foregon.comConteúdos

Como se tornar um investidor qualificado

Por Guilherme GadelhaPublicado em
Compartilhe

Para ser um investidor qualificado é necessário ter um patrimônio investido igual ou maior que R$ 1 milhão. Essa denominação foi elaborada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que também atesta esse termo por escrito.

A instrução nº 539 da CVM também considera os perfis que seguem os seguintes parâmetros:

  • Aprovados no exame de qualificação técnicas;
  • Autônomos que possuem algum certificado pela CVM;
  • Clubes de investimento que possuem a carteira por cotistas enquadrados como investidores qualificados.

Quais são as certificações admitidas pela CVM?

  • Certificado da Ancord (agentes autônomos);
  • Certificado CNPI (analista de investimentos);
  • Certificado CEA (assessores de investimento);
  • Certificado CGA (gestores de recursos de terceiros);
  • Certificado CFP (planejadores financeiros).

Para conseguir classificar essas pessoas em grupos, a CVM decidiu criar esse tipo de investidor. A finalidade foi proteger os pequenos investidores de riscos. Outro ponto que vale falarmos é que quando comparamos com outras aplicações, os fundos exclusivos para este público possuir maior rentabilidade e taxas menores.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como se tornar um investidor qualificado?

O processo se torna mais simples para aqueles que já possuem R$1 milhão investido em patrimônios. Para fazer isso, é só solicitar o Termo de Investidor Qualificado à sua corretora ou banco.

Para você aplicar o seu dinheiro em algum investimento relacionado a esta categoria, é necessário contar com o documento assinado. Por meio dele é possível confirmar o seu conhecimento em relação aos ativos.

Além disso, é importante que o investidor seja qualificado ao ponto de entender os riscos financeiros relacionados às aplicações em valores imobiliários que são restritos à esse público.

Contudo, caso você ainda não tenha R$1 milhão em investimentos, o exame de qualificação técnica pode ser uma possibilidade. Você pode conseguir a sua certificação realizando uma prova para comprovar os seus conhecimentos sobre o mercado financeiro. Os testes disponíveis são:

  • Agente autônomo de investimentos da Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias;
  • Analista de Valores Mobiliários CNPI – Programa de Certificação Nacional;
  • Módulos I e II do programa de Certificação de Gestores da ANBIMA.

O objetivo da prova é confirmar as suas habilidades de investimento, já que os mesmos possuem uma complexidade maior quando comparamos com outras opções. Caso você esteja iniciando a sua vida como investidor, vale a pena estudar um pouco mais para atingir a experiência necessária.

Vantagens e riscos

Mesmo que a quantidade de investimentos disponíveis e taxa de rentabilidade sejam bem mais vastas, os riscos também são altos. Por conta disso, é necessário ter um bom conhecimento do mercado financeiro e ficar atento para notar os perigos relacionados à suas aplicações.

Tem como investir pouco e lucrar?

Também é possível investir sem precisar ter muito dinheiro. No entanto, é importante ter um bom planejamento e muita disciplina para garantir seu lucro. Aqui no nosso blog você confere algumas dicas de como começar sua vida de aplicador. Para iniciar os seus primeiros passos, é só clicar aqui.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Guilherme Gadelha

Publicitário e Redator na Foregon. Gosta do universo financeiro e tem a escrita como hobby e profissão.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Como funciona o limite do cheque especial?

  • Dicas financeiras

    Como fazer a Carteira de Trabalho?

  • Dicas financeiras

    Concurso público: o que é e como funciona?

  • Dicas financeiras

    25 receitas de Natal econômicas para uma ceia completa

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras