Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

LCI: entenda o que é e como funciona esse investimento

Por Camila SilveiraPublicado em

No mercado de investimentos existem diversos títulos que não cobram Imposto de Renda (IR), podendo ser boas opções para quem está começando. Conheça tudo sobre a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e saiba como começar a investir de forma inteligente e segura!

LCI: entenda o que é e como funciona

O LCI nada mais é do que um título de Renda Fixa emitido por bancos com o objetivo de emprestar dinheiro para todo o setor imobiliário.

Ou seja, quando você investe no LCI, os bancos utilizam o seu dinheiro para investir no setor imobiliário e devolvem esse valor a você com acréscimo de juros.

homem de terno desenhando um gráfico ascendente

Esse tipo de investimento é assegurado pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que ressarce o investidor em até R$ 250 mil, caso o banco ou instituição financeira venha à falência.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

O ponto negativo, entretanto, é que se você investir um valor acima do estipulado pelo FGC e a empresa quebrar, você só receberá até R$ 250 mil.

Rentabilidade

Sobre a rentabilidade da Letra de Crédito Imobiliário (LCI), ela pode variar sendo prefixada, pós-fixada ou atrelada à inflação. Veja qual é a diferença entre as três opções:

  • LCI pós-fixada: nesta opção, o investidor conhece antecipadamente o indicador que servirá de referência para a rentabilidade. O mais comum é a taxa CDI, no entanto, o retorno do investimento poderá variar de acordo com as oscilações do indicador. Se ele subir ou cair com o passar do tempo, a sua rentabilidade também é afetada;
  • LCI prefixada: neste caso, o investidor recebe uma taxa de juros determinada no momento da aplicação, podendo ser de 5% a 7% ao ano. Dessa forma, torna-se possível calcular exatamente quanto você receberá em reais até o vencimento do papel;
  • LCI atrelada à inflação: por fim, nessa LCI, o retorno do investimento tem uma parcela prefixada e outra pós-fixada. Os casos mais comuns são aqueles em que o papel assegura uma taxa de juros, como 4% ou 5% ao ano, mais a variação da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) ou Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M).

Liquidez

A liquidez nada mais é do que a velocidade e a facilidade com as quais o seu dinheiro investido pode ser resgatado.

No caso da LCI, a liquidez é menor, quando comparada com outros títulos de Renda Fixa, já que é necessário esperar, no mínimo, 90 dias (três meses) para sacar o valor aplicado.

Essa regra é válida tanto para letras prefixadas quanto pós-fixadas, porém pode mudar quando o título for atrelado a um índice de preços. Neste último caso, o prazo pode ser de 12 meses (caso a atualização do título seja anual) ou de 36 meses (se for mensal).

Além do prazo de carência, os investidores devem levar em consideração a possibilidade de retirar o valor antes do prazo de vencimento.

Existem algumas LCIs com liquidez diária, que permitem o resgate do dinheiro após cumprido o período mínimo de aplicação. Por outro lado, outras letras de crédito só permitem a retirada na data de vencimento do papel, que costuma variar entre 1 e 3 anos.

Uma boa saída para quem precisa dos recursos antes do fim da aplicação é negociar os papéis no mercado secundário, ou seja, vender a LCI para outro investidor que esteja disposto a obtê-las até a data de vencimento.

Só não se esqueça: nem todas as LCIs têm um volume alto de operações no mercado secundário. Ou seja, pode ser um tanto quanto difícil vendê-las para outro investidor. Caso seja necessário, é possível oferecer um desconto para atrair interessados.

Riscos

Mas afinal, e os riscos que envolvem essa operação? Quais são?

Bom, apesar das letras de crédito serem seguras, quem compra esses títulos corre o risco da própria instituição financeira apresentar algum problema de liquidez.

A boa notícia, como você já sabe, é que essa aplicação é assegurada pelo FGC, que ressarce o investidor em até R$ 250 mil, caso aconteça algo com o banco ou financeira.

Como a garantia do FGC é contabilizada por CPF e por instituição, os especialistas recomendam a diversificação de investimentos em diferentes instituições.

Apesar disso, de acordo com a entidade, o limite global de garantia é de até R$ 1 milhão, renovado a cada ano. Ou seja, mesmo que você invista em 10 bancos diferentes, o limite de garantia que poderá ser usado ao longo de quatro anos é de R$ 1 milhão.

Tributos e taxas

A principal vantagem das LCIs é que elas são isentas de Imposto de Renda, ou seja, não é descontado nada da rentabilidade.

Sendo assim, mesmo que o retorno dessa aplicação seja baixo, ela pode acabar sendo muito mais vantajosa, já que a rentabilidade é completamente líquida.

Além disso, na maioria das vezes, a LCI não cobra taxa de administração. Em algumas corretoras, entretanto, pode haver a taxa de corretagem ou de custódia.

Quais são as vantagens de investir em LCI?

De modo geral, os pontos positivos das Letras de Crédito Imobiliário são:

  • Isenção do Imposto de Renda;
  • Cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC);
  • Possibilidade de diversificar a carteira.

E as desvantagens?

Apesar dos pontos positivos, a LCI apresenta algumas desvantagens, como:

  • Aplicação mínima alta;
  • Prazo de resgate do dinheiro alto.

Como investir em LCI?

1. Escolha o banco ou a corretora desejada

O primeiro passo para investir em uma LCI é escolher um banco ou uma corretora autorizada. É importante entender que normalmente os bancos vendem letras de crédito emitidas pela própria instituição, enquanto muitas corretoras distribuem LCIs de vários bancos, fazendo com que a chance de encontrar papéis mais rentáveis aumente.

2. Compare os títulos e escolha um

Feito isso, você deve comparar os títulos disponíveis no mercado e escolher um que melhor atenda às suas necessidades.

3. Verifique a aplicação mínima

Normalmente, esse investimento exige um valor mínimo de aplicação, que pode variar de acordo com o nível de risco e potencial de retorno. As LCIs com maior remuneração, por exemplo, só podem ser compradas por quem aplica, no mínimo, R$ 30 mil ou R$ 50 mil.

Ainda assim, saiba que algumas corretoras podem oferecer versões do produto com aplicações mínimas menores como, por exemplo, a partir de R$ 5 mil.

4. Invista até R$ 250 mil

Para não correr o risco de perder algum valor, invista até R$ 250 mil por instituição financeira. Caso esteja disposto a investir mais do que isso em LCI, opte por diversificar os bancos.

5. Fique atento ao prazo de vencimento

Por fim, avalie os prazos de vencimento, pois eles variam de acordo com as características e a rentabilidade de cada título. Quanto maior for o prazo, maior será o retorno.

Como escolher a melhor opção?

Para que seja um bom negócio, as letras imobiliárias devem ter características que estejam de acordo com o seu perfil de investidor. Sendo assim, analisar todos os fatores antes de tomar qualquer decisão é fundamental para garantir um bom investimento.

Avalie os prazos e veja se você vai precisar dos recursos antes do vencimento. Lembre-se que o seu dinheiro ficará preso enquanto o papel não se encerra.

Depois disso, avalie a sua tolerância ao risco e tente entender qual seria a sua reação caso o banco emissor das suas letras tivesse um problema de liquidez. O dinheiro aplicado é um extra ou pode fazer muita falta no seu orçamento?

Não se esqueça: o FGC ressarce em até R$ 250 mil. Caso você ultrapasse esse limite e a instituição quebre, você perderá o excedente. Sem contar que a garantia do FGC não costuma ser imediato, fazendo com que você fique bastante tempo sem receber o dinheiro de volta.

Por fim, avalie o nível de solidez financeira da empresa emissora, ou seja, o seu histórico de crescimento, e compare os prazos e as rentabilidades da LCI com investimentos semelhantes. Dessa forma, você consegue evitar qualquer tipo de surpresa e entende qual opção oferece o melhor custo-benefício.

Perguntas Frequentes

LCI paga Imposto de Renda (IR)?

Não. Para investir em LCI você não precisa pagar Imposto de Renda, nem taxa de administração. Apesar disso, em algumas corretoras, você pode pagar taxa de corretagem ou de custódia.

É arriscado investir em LCI?

A Letra de Crédito Imobiliário conta com a garantia do FGC, que ressarce o investidor em até R$ 250 mil, caso aconteça algum problema com a liquidez do banco. Sendo assim, podemos considerar que esse investimento não é arriscado.

Como funcionam os prazos?

Os prazos das LCIs podem variar de acordo com as características e a rentabilidade de cada título. Quanto maior for o prazo, maior será o retorno da letra de crédito.

Descomplicamos?

No Portal da Foregon, você pode consultar o seu score e receber as melhores ofertas de cartão, conta digital e empréstimo, de acordo com o seu perfil!

Consulte o seu CPF agora mesmo para aproveitar todas as vantagens.

Consulte seu CPF grátis e receba as melhores ofertas!

Mais de 300 opções entre cartões de crédito, contas e empréstimos.

Consultar CPF grátis
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

3 investimentos de renda fixa para ganhar dinheiro com a alta da Selic

O que são criptomoedas?

Quanto rende 1 milhão na poupança? É uma boa opção?

Previdência privada: como funciona e como investir?

Qual é o futuro das criptomoedas e do metaverso? Saiba mais

Taxa DI hoje: entenda como descobrir e fazer a consulta

Juros da Poupança: saiba qual o rendimento hoje!

Como investir em Fundos Imobiliários?