Foregon.comConteúdos

Quanto custa morar na Argentina?

Por Janaína TavaresPublicado em
Compartilhe

Morar na Argentina pode ser a opção certa para você que quer explorar mais os países da América do Sul. Entretanto, é preciso se atentar algumas questões básicas que podem influenciar na sua permanência no país. Veja o conteúdo que preparamos para você:

O que avaliar para morar na Argentina?

A Argentina tem sido um destino de muitos brasileiros que querem morar em outros locais da América do Sul. Além disso, você estará perto do Brasil, o que facilita a visita de parentes e amigos.

Uma vantagem é que não é necessário tirar visto ou passaporte para visitar a Argentina. No entanto, devido a um acordo estabelecido pelo Mercosul, a estadia no país deve seguir o prazo de até 90 dias.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Custo de vida

Para ter uma base, a estimativa custo de vida para pessoa solteira gira em torno de R$ 1.800 a R$ 3.600. Se você estiver de mudança junto com a família, esse preço pode subir e ficar aproximadamente por R$ 4.500, sem muitas opções de lazer.

Entretanto, é interessante ter uma renda maior para poder aproveitar tudo que o país oferece. Além do famoso tango, a Argentina é conhecida por disponibilizar diversas opções culturais, boas instituições de ensino superior e um ótimo pólo gastronômico.

Transporte

Por outro lado, um dos aspectos econômicos que compensa para morar na Argentina é a tarifa do transporte público. Mesmo na capital Buenos Aires o preço é bem abaixo do que vemos nas capitais brasileiras, por exemplo.

Os táxis também são mais em conta e possuem um valor razoável: elas variam de 35.000 a 195.60 pesos argentinos, que convertido em reais ficam: R$ 3,35 reais a R$ 18,71 reais. Já um bilhete de ônibus pode custar 14,25 pesos argentinos ou (R$1,36 reais). Enquanto um passe mensal fica por 600,00 pesos ( R$ 57,19 reais).

Alimentação

Ao se mudar para a Argentina, leve em consideração também os custos da alimentação. No país, uma refeição para duas pessoas pode sair por 800,00 pesos argentinos ou R$ 76,25 reais. Se você optar pelas compras nos supermercados, vai notar que a lista com itens básicos fica em torno de 640 pesos argentinos, ou seja,  R$ 56,40 reais.

Saúde

Para morar na Argentina, preste atenção às opções de sáude que o Governo do país oferece. Atualmente, existem três subsistemas: o público, as obras sociais e o sistema privado.

O primeiro é universal, gratuito e de qualidade, sendo utilizado pela maior parte da população. Já o sistema privado de saúde é totalmente custeado pelo usuário e os valores são variáveis.

Porém, se você prefere um sistema misto, pode optar pelas obras sociais. Parte do gasto é custeado pelo usuário e a outra pelo Estado. As pessoas que trabalham regularmente no país têm descontado do seu salário um valor destinado à essa alternativa, que irá variar de acordo com a profissão.

Moradia

Já em relação à moradia na Argentina, você deve considerar alguns fatores antes como, por exemplo, o seu estilo de vida. Portanto, saiba que existe diferença de custos entre morar na capital Buenos Aires e no interior do país.

Sendo assim, se você prefere ter acesso a um comércio mais abrangente e meios de transporte mais eficazes no dia a dia, opte pela capital da Argentina. Caso contrário, escolha cidades menores que podem proporcionar tranquilidade e preços mais justos, por exemplo:

  • Rosario;
  • Córdoba;
  • Mendoza.

Ainda sobre a moradia é importante pensar no tipo de residência que pretende se estabelecer, além dos custos que envolvem esse investimento como: serviços básicos (água, luz, internet, gás, TV a cabo), aluguel, impostos, preço do condomínio, taxas, entre outros.

Outra alternativa viável é procurar um hostel ou até mesmo uma acomodação do Airbnb para ficar no primeiro mês de estadia na Argentina. Dessa forma, você utiliza esse momento para pesquisar imóveis, imobiliárias e encontrar a cidade que mais se encaixa com o seu estilo de vida.

Imigrando para a Argentina

Contudo, se mudar para a Argentina pode ser um processo bastante burocrático. Mesmo fazendo parte do Mercosul, o país fornece um documento provisório de até dois anos que permite trabalhar e viver na Argentina.

Entretanto, depois desse período será obrigatório solicitar o visto permanente e recomeçar o processo, chamado de DNI (Documento Nacional de Identidade). Além disso, a documentação emitida no Brasil deve ser validada no Ministério das Relações Exteriores.

Logo em seguida, será necessário levar o processo e a solicitação ao Consulado Geral da Argentina, onde os responsáveis farão uma entrevista e darão sequência ao pedido de visto. Nossa dica é verificar toda a documentação antes de entregar, visto que os documentos com mais de 10 anos da emissão não são aceitos.

Se sente mais preparado para dar esse passo? Acesse nosso blog e veja também quanto custa morar na Alemanha.

Espero ter ajudado. Até logo!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Janaína Tavares

Jornalista e produtora de conteúdo, é Redatora na Foregon. Apaixonada por cinema e pelo mundo asiático, seu foco está em entregar textos úteis e inspiradores.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Mibank: conheça

  • Dicas financeiras

    WhatsApp clonado: o que fazer?

  • Dicas financeiras

    Como calcular o valor de uma dívida?

  • Dicas financeiras

    O que é linha de crédito e como obter uma para sua empresa?

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras