Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Quanto custa morar na Argentina?

Por Janaína TavaresPublicado em

Morar na Argentina pode ser a opção certa para você que quer explorar mais os países da América do Sul. Entretanto, é preciso se atentar algumas questões básicas que podem influenciar na sua permanência no país. Veja o conteúdo que preparamos para você:

O que avaliar para morar na Argentina?

A Argentina tem sido um destino de muitos brasileiros que querem morar em outros locais da América do Sul. Além disso, você estará perto do Brasil, o que facilita a visita de parentes e amigos.

Uma vantagem é que não é necessário tirar visto ou passaporte para visitar a Argentina. No entanto, devido a um acordo estabelecido pelo Mercosul, a estadia no país deve seguir o prazo de até 90 dias.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como é a qualidade de vida na Argentina?

Muitos brasileiros que vão morar na Argentina são atraídos pela qualidade de vida no país. O transporte público da argentina é bem mais eficiente do que no Brasil, existem cidades muito seguras e a saúde e educação também têm ótimos índices.

Quanto custa morar na Argentina?

Contudo, o país passa por constantes crises econômicas, principalmente durante a pandemia do Covid-19, o que é um prejudicial para a conquista e manutenção de empregos e renda.

Apesar de um aumento de 6,1% do PIB esperado para 2021, de acordo com uma projeção feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Argentina é o país do G20 que mais vai demorar para recuperar os níveis econômicos pré-pandemia, podendo levar mais de seis anos e meio.

Mesmo com os problemas com a crise, a Argentina ainda pessoas de todos os lugares e idades. O país tem um amplo leque de opções de cultura, lazer, entretenimento, restaurantes e casas noturnas.

Custo de vida

Para ter uma base, a estimativa custo de vida para pessoa solteira gira em torno de R$ 1.800 a R$ 3.600. Se você estiver de mudança junto com a família, esse preço pode subir e ficar aproximadamente por R$ 4.500, sem muitas opções de lazer.

Entretanto, é interessante ter uma renda maior para poder aproveitar tudo que o país oferece. Além do famoso tango, a Argentina é conhecida por disponibilizar diversas opções culturais, boas instituições de ensino superior e um ótimo pólo gastronômico.

Transporte

Por outro lado, um dos aspectos econômicos que compensa para morar na Argentina é a tarifa do transporte público. Mesmo na capital Buenos Aires o preço é bem abaixo do que vemos nas capitais brasileiras, por exemplo.

Os táxis também são mais em conta e possuem um valor razoável: elas variam de 35.000 a 195.60 pesos argentinos, que convertido em reais ficam: R$ 3,35 reais a R$ 18,71 reais. Já um bilhete de ônibus pode custar 14,25 pesos argentinos ou (R$1,36 reais). Enquanto um passe mensal fica por 600,00 pesos ( R$ 57,19 reais).

Alimentação

Ao se mudar para a Argentina, leve em consideração também os custos da alimentação. No país, uma refeição para duas pessoas pode sair por 800,00 pesos argentinos ou R$ 76,25 reais. Se você optar pelas compras nos supermercados, vai notar que a lista com itens básicos fica em torno de 640 pesos argentinos, ou seja,  R$ 56,40 reais.

Saúde

Para morar na Argentina, preste atenção às opções de sáude que o Governo do país oferece. Atualmente, existem três subsistemas: o público, as obras sociais e o sistema privado.

O primeiro é universal, gratuito e de qualidade, sendo utilizado pela maior parte da população. Já o sistema privado de saúde é totalmente custeado pelo usuário e os valores são variáveis.

Porém, se você prefere um sistema misto, pode optar pelas obras sociais. Parte do gasto é custeado pelo usuário e a outra pelo Estado. As pessoas que trabalham regularmente no país têm descontado do seu salário um valor destinado à essa alternativa, que irá variar de acordo com a profissão.

Qual o valor do aluguel na argentina?

Em relação à moradia na Argentina você deve considerar alguns fatores antes como, por exemplo, o seu estilo de vida. Portanto, saiba que existe diferença de custos entre morar na capital Buenos Aires e no interior do país.

Sendo assim, se você prefere ter acesso a um comércio mais abrangente e meios de transporte mais eficazes no dia a dia, opte pela capital da Argentina. Caso contrário, escolha cidades menores que podem proporcionar tranquilidade e preços mais justos, por exemplo:

  • Rosario;
  • Córdoba;
  • Mendoza.

Ainda sobre a moradia é importante pensar no tipo de residência que pretende se estabelecer, além dos custos que envolvem esse investimento como: serviços básicos (água, luz, internet, gás, TV a cabo), impostos, preço do condomínio, taxas, entre outros.

Outra alternativa viável é procurar um hostel ou até mesmo uma acomodação do Airbnb para ficar no primeiro mês de estadia na Argentina. Dessa forma, você utiliza esse momento para pesquisar imóveis, imobiliárias e encontrar a cidade que mais se encaixa com o seu estilo de vida.

O valor do aluguel na Argentina varia conforme o local escolhido. Para morar em uma área nobre de Buenos Aires, você terá que desembolsar uma média de R$ 2 mil por mês. Já em regiões mais comuns da capital o aluguel pode custar R$ 1.200. O custo de vida em Córdoba é bem menor. Lá você pode encontrar imóveis de R$ 700 ao mês em regiões de médio padrão.

Na argentina as kitnets são chamadas de monoambiente e existem várias opções de aluguel direto com o proprietário, mediante a pagamento de caução. Além disso, existe uma modalidade de aluguel temporário, em que o contrato dura seis meses e é uma ótima opção para estrangeiros e estudantes.

Qual é o valor do salário mínimo na Argentina?

O valor do salário mínimo na Argentina é de 29.160 pesos argentinos, equivalente a R$ 1.700 por mês, o que não corrige integralmente a inflação no país.

Qual é a melhor cidade para se viver na Argentina?

Córdoba

Córdoba, mais conhecida como a capital mediterrânea, é uma das melhores opções para se morar na Argentina. Essa cidade sempre se encontra nas primeiras posições dos rankings anuais de melhores cidades da Argentina por vários fatores: educação, infraestrutura, turismo e emprego.

Além disso, a cidade ainda conta com a Universidad Nacional de Córdoba, uma das mais antigas e renomadas da América Latina.

Mendonza

Mendonza é conhecida como a capital internacional do vinho. É uma cidade em ascensão e oferece ótimas oportunidades de emprego e universidades.

A cidade também possibilita fácil acesso a outras cidades do país e também ao Peru, Chile e Brasil, graças às conexões dos aeroportos.

Buenos Aires

A capital da Argentina é uma das principais opções para quem deseja mais oportunidades de emprego, mobilidade e turismo.

Apesar de ser uma capital, Buenos Aires é muito organizada, com fácil acesso aos metrôs e outros meios de transporte. Além disso, ela é reconhecida por seus atrativos turísticos. Outro ponto interessante é que ela é considerada uma das cidades mais baratas para se morar.

Além das três opções citadas acima, existem várias cidades maravilhosas e cheias de benefícios na Argentina, mas o melhor lugar para você vai depender do seu estilo de vida e objetivos. Vale avaliar quais são seus planos e pesquisar a cidade que mais atende seus requisitos.

Quanto custa morar em Buenos Aires?

Comparado com o custo de vida na capital São Paulo, viver em Buenos Aires sai 24% mais barato, o que pode representar uma grande economia.

Porém, se você pensa em mudar para a Argentina, saiba que o interior sempre terá um custo benefício melhor do que o de morar em uma capital. O custo de vida em Córdoba, por exemplo, é cerca de 20% menor que o de Buenos Aires.

A média do custo de vida em Buenos Aires, incluindo moradia, transporte, alimentação e lazer, é de cerca de 56.000 pesos, o que em janeiro de 2021 equivale a R$ 3.600 para uma pessoa solteira.

Imigrando para a Argentina

Contudo, para se mudar par ao país você precisará passar pelo processo da documentação. Mesmo fazendo parte do Mercosul, o país fornece um documento provisório de até três meses. Após este período, o brasileiro que quiser continuar morando na Argentina deverá solicitar o seu visto de residência permanente no país.

Para conseguir o visto de residência você terá que emitir o Documento Nacional de Identidade (DNI). Ele é como o nosso RG e também é indispensável para a emissão do CPF Argentino, que lá é chamado CUIL e garante a sua legalização como trabalhador. O DNI possui uma taxa de emissão.

O processo de solicitação de moradia na Argentina pode ser iniciado aqui no Brasil, nos consulados argentinos. Mas, se preferir você pode ir para o país como turista, pelo período de três meses e fazer essa solicitação por lá, através do ANSES, órgão responsável pela identificação dos emigrantes.

Se sente mais preparado para dar esse passo? Acesse nosso blog e veja também quanto custa morar na Alemanha.

Descomplicamos?

Espero ter ajudado. Até logo!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Pensando em operar na bolsa? Confira os melhores livros sobre Day Trade

Segurança: saiba como colocar senha no WhatsApp

Conheça o Anthor, aplicativo que conecta empresas a prestadores

WhatsApp Pay: confira 8 vantagens desse tipo de pagamento

Mercado Pago: guia completo

Tipos de carro: principais características e diferenças

5 livros que mudarão sua vida financeira

3 conselhos básicos para alcançar a liberdade financeira