Foregon.comConteúdos

Necessidade e desejo: saiba a diferença no momento da compra

Por Camila SilveiraPublicado em
Compartilhe

Você conhece alguém que sempre troca de carro, de celular ou compra diversos produtos supérfluos? Pois bem, essas são atitudes de pessoas consumistas, que sempre priorizam seus desejos de consumo e não avaliam de forma correta a necessidade da compra.

Para muitas pessoas, diferenciar o desejo da necessidade de consumo pode ser difícil e, se esse for o seu caso, é melhor tomar cuidado. Afinal, boa parte das pessoas que estão no vermelho se encontram nessa situação por terem dívidas acumuladas em cartões de crédito, empréstimos, entre outros.

Se você está passando por situações parecidas e quer evitar contrair dívidas, saiba a diferença entre necessidade e desejo no momento da compra e conheça algumas dicas valiosas sobre como ter um hábito de consumo mais saudável.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Necessidade e desejo: saiba a diferença no momento da compra

O que é necessidade?

De acordo com o dicionário, necessidade é uma característica ou particularidade do que é essencial, ou seja, algo de grande utilidade.

Ao visualizar essa explicação, entendemos que a necessidade é tudo aquilo que realmente precisamos para viver, como uma casa para morar, roupas para vestir e alimentos e água para consumir.

Isso não quer dizer que todos os outros bens sejam descartáveis, apenas mostra o que é realmente essencial para a vida.

O que é desejo?

No sentido de consumo, o desejo representa uma vontade excessiva por bens e posses. Retrata aquele sentimento que temos quando queremos comprar algo supérfluo, apenas para satisfazer nossas vontades.

Para entender melhor, vamos imaginar um exemplo em que você é vegetariano e precisa ter em sua casa alimentos frescos, como frutas, legumes, verduras, grãos e sementes. Isso configura uma necessidade. O desejo estaria na sua vontade de comer todos os dias em um restaurante vegetariano. Percebeu a diferença?

Desejo: como controlar esse sentimento?

Apesar do desejo não ser algo ruim, ele deve ser controlado no momento da compra, se não poderá lhe trazer muitos prejuízos financeiros. Caso você não esteja conseguindo equilibrar os seus gastos e não tenha dinheiro para quitar suas dívidas, precisará determinar qual despesa é realmente necessária para que a sua vida não perca o controle.

Você tem total de liberdade de querer viajar o mundo inteiro, trocar de carro, de celular, entre outras coisas. Todos possuem sonhos de consumo! Porém, independentemente disso, é mais que importante manter os pés no chão, saber o que é necessário neste momento, e o que está de acordo com o seu orçamento.

Para controlar esse sentimento será necessário que você aprenda a diferenciar o que realmente precisa do que deseja. Dessa forma, evitará dívidas e terá um hábito de consumo mais saudável. Conheça algumas dicas que podem ajudar você neste aprendizado.

Como ter um hábito de consumo mais saudável?

Aprenda a simplificar a sua vida

Para viver bem, não precisamos comprar coisas o tempo todo. Essas ações apenas mostram que não estamos sendo responsáveis com o nosso dinheiro. Mas, calma: isso não significa que devemos abrir mão de tudo, o controle apenas impede que você ultrapasse o seu orçamento e garante que você possa viver um vida financeira mais tranquila.

Não deixe que as suas necessidades se transformem em desejo

As suas necessidades são básicas ou você acaba gastando mais do que deveria com elas? Para saber se você está fazendo isso, vamos citar alguns exemplos de necessidades básicas que podem se tornar coisas supérfluas.

  • Água: ela é extremamente essencial para a vida, no entanto, passa a ser algo supérfluo se você compra águas importadas ou com gás;
  • Alimentos: possuir alimentos em casa é necessário, no entanto, passa a ser algo supérfluo se você sai para comer frequentemente em restaurantes;
  • Moradia: ter uma casa para morar é fundamental, no entanto, passa a ser algo supérfluo se o local é extremamente caro e ultrapassa seu orçamento;
  • Vestuário: roupas são necessárias, no entanto, passa a ser algo supérfluo se você compra muitas peças por mês.

Entenda, não precisa deixar de ter desejos, apenas controlar este sentimento e saber identificar aquilo que é realmente necessário para a sua vida.

Por exemplo, você pode querer morar fora do país para estudar: embora esse desejo seja caro, ele trará benefícios para sua vida, como novas amizades, novas experiências e reconhecimento profissional.

Conseguiu compreender? Comprar coisas desnecessárias é extremamente diferente de investir em sua vida pessoal e profissional.

Não faça compras por impulso

Há diversos fatores que nos levam a fazer compras por impulso. Por exemplo, sair com dinheiro trocado na carteira, ir ao supermercado sem elaborar uma lista de itens necessários, cair na promoção do tipo "Leve dois, pague um" sem avaliar a necessidade dos itens, entre outros.

Para evitar comprar algo sem necessidade, o ideal é fazer uma análise de tudo o que é importante. Confira algumas dicas que podem ajudar você neste processo:

  • Veja se você já possui esses itens em sua casa;
  • Saiba se realmente precisa desses produtos para viver;
  • Compare os preços dos itens e opte pelo melhor custo-benefício;
  • Pergunte-se o porquê você precisa deste produto.

Ao seguir essas e outras dicas, você economizará mais dinheiro e evitará que o desejo fale mais alto no momento da compra.

Não sabe se deve comprar? Espere um pouco

Poderão surgir dúvidas sobre a necessidade de um item e, caso isso aconteça, espere pelo menos um dia para comprá-lo. Se a compra for um carro, por exemplo, pense sobre essa aquisição por, no mínimo, uma semana. Ao avaliar seus desejos com calma, perceberá que muitos produtos não são tão necessários.

Reveja os seus gastos

Por fim, reveja todas as suas despesas e determine aquelas que são realmente essenciais no seu dia a dia. Avalie a necessidade de uma TV por assinatura, academia, planos para celular, entre outros produtos e serviços.

Entenda, gastar com esses itens não é errado, apenas veja se eles são realmente necessários e se estão de acordo com a sua renda. Caso a resposta seja positiva, não há problemas!

Educação financeira: conheça sua importância

Para que a sua experiência seja mais eficaz, eduque-se financeiramente e aprenda como usar o dinheiro de forma correta. O blog da Foregon possui uma série de conteúdos que podem te ajudar nesse processo. Confira!

Ao adquirir conhecimento sobre o universo financeiro, você aprenderá a investir, de acordo com seu planejamento pessoal e, assim, acumulará riquezas!

Dúvidas frequentes

O que é ter um desejo?

No sentido de consumo, desejo é aquele sentimento que temos quando queremos comprar algo apenas para satisfazer nossas vontades.

Qual é a diferença entre vontade e desejo?

Vontade é a força interior que impulsiona alguém a realizar algo. Desejo é o interesse que alguém tem por algo que corresponda ao esperado.

Quais são as necessidades do consumidor?

O consumidor tem a necessidade de solucionar um problema comprando um determinado item. Por exemplo: se você possui dificuldades para chegar até o seu trabalho, provavelmente comprará um carro, uma moto ou uma bicicleta para resolver este problema.

Descomplicamos a necessidade e o desejo?

Esperamos ter ajudado você com este conteúdo. Qualquer dúvida, deixe um comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Camila Silveira

Estudante de Publicidade e Propaganda e Redatora na Foregon. É fascinada por músicas, livros, conversas e procura entender a real necessidade das pessoas para poder solucioná-la através de seu trabalho.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Saque sem cartão Next: veja como funciona

  • Dicas financeiras

    Venda pelo Uber Eats e crie seu site gratuitamente

  • Dicas financeiras

    Promoções Caixa e Elo: fique por dentro

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras