Foregon.comConteúdos

Pagamento por aproximação, conheça!

Leonardo JacominiPublicado em

Se você preza por sua segurança e procura por meios cada vez mais seguros de andar com dinheiro ou cartão, o pagamento por aproximação vem para evolucionar cada vez mais esse seguimento.

Você tem um ou mais cartões de crédito? O seu celular pode os substituir na hora de pagar uma compra. O que permite essa função, é a tecnologia chamada de Near Field Communication, ou NFC.

Se para você, ter que enfrentar filas em bancos, atendimento presencial, ir a uma agência já ficou para trás e, resolve tudo pelo celular, essa é mais uma novidade em meios tecnológicos para pagamentos que vem crescendo no país.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como funciona o pagamento por aproximação

Hoje existem dois meios para se utilizar o pagamento por aproximação. Pelo smartphone ou pulseira. Pelo celular, basta ter a tecnologia NFC presente no aparelho. Já a pulseira, é oferecida por alguns emissores de cartões de crédito.

Pagar com o celular

Primeiro, como dissemos, é importante checar se seu smartphone oferece à tecnologia de pagamento por aproximação. Essa informação deverá conter no manual ou menu do aparelho.

Feito isso, é preciso saber também, se o cartão de crédito que você utiliza está disponível para ser cadastrado no seu app de pagamento. Os apps são responsáveis por aceitar o seu cartão e fazer a transação.

Alguns desses aplicativos que validam o pagamento sem precisar do cartão são: Android Pay, Samsung Pay e Apple Pay. Basicamente funciona assim: Quando for usar o celular para pagamento, peça para o lojista que o pagamento vai ser por aproximação. Assim que o atendente digitar as informações na maquininha, basta aproximar o celular que ele faz o resto. Não precisa digitar nada.

O sistema faz uma troca de informações com a maquininha de cartão. Ou seja, o celular transfere as informações básicas para o pagamento ser aprovado. E nem a senha não precisa ser digitada.

Em alguns casos, para maior segurança, existe um valor mínimo sem precisar digitar a senha. Na maioria das vezes é de R$50. Após esse valor, o usuário precisa digitar a senha na maquininha. Mas em qualquer hipótese, não precisa levar o cartão de crédito na carteira, somente o celular.

Pagar com à pulseira

Como lembramos, a opção da pulseira depende do emissor do cartão. Alguns desses emissores são: Trigg, Santander Pass e pulseira Ourocard.

Normalmente, as emissoras cobram um preço pela solicitação da pulseira. O funcionamento dela se assemelha ao do celular. Suas informações são gravadas na pulseira, e na hora do pagamento, basta aproximá-la da maquininha.

Como saber se o estabelecimento aceita pagamento por aproximação, basta a maquininha ter um símbolo. Se ainda restar dúvidas, pergunte ao atendente se o estabelecimento oferece a opção de pagamento por aproximação.

Esse serviço promete ser ainda mais seguro, já que não precisa levar dinheiro ou mesmo o cartão de crédito no bolso. Além de que, as informações compartilhadas com a maquininha são apenas para o pagamento e não são compartilhadas.

E aí, gostou de saber mais sobre a tecnologia NFC? Aqui sempre tem assunto novo! Se tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe nos comentários. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe

Leonardo Jacomini

Jornalista e Produtor de Conteúdo Multimídia. Gosta de escrever sobre dicas úteis para o dia a dia, ainda mais quando o tema é economizar. Adora livros e assistir filmes e séries em seu tempo livre.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Como escolher o melhor cartão de crédito: guia completo

Conheça o Banco Modal e seus diferenciais

Bolsa Família: o décimo terceiro será pago em 2020?

OLX: plataforma oferece empréstimo em parceria com a EasyCrédito

O App Jeitto é confiável? Descubra agora mesmo

O que é um mutuário? Descubra agora mesmo

Saiba como identificar um boleto falso na Black Friday 2020

Holerite: entenda o que é e para o que serve

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras