Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Por que os juros são altos no Brasil?

Por Guilherme GadelhaPublicado em

Todo brasileiro sabe como as taxas de juros relacionadas à empréstimos são altas, na verdade, o produto independente, já que o cheque especial e rotativo do cartão também se encaixam nesta questão.

A definição dos juros é feita pelo spread bancário. Esse termo é usado para diferenciar o valor cobrado pelo empréstimo e o custo que o banco tem para conseguir novos recursos, ou seja, os preços serão maiores de acordo com o tamanho do spread.

De acordo com o Banco Central, a média do spread brasileiro é de 13,9 percentuais (p.p.), o que coloca o Brasil em uma boa colocação no ranking de maiores juros do mundo. Para ter uma noção, a média do México gira em torno de 9,1 p.p., enquanto no Chile, 4,3 p.p.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Segundo a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) – principal entidade representativa do setor bancário do Brasil – o spread é alto por causa dos intermediários financeiros que são envolvidos nas atividades bancárias e não por conta do lucro dos bancos.

No entanto, o livro da federação aponta que cerca de 85% do spread no Brasil existe por devido aos custos de intermediação financeira, enquanto apenas o restante representam o lucro.

Quais indicadores contam mais no cálculo de juros?

Alguns indicadores possuem maior peso no cálculo de juros.

Taxa Selic

Essa taxa representa o quanto um banco gasta de juros para conseguir empréstimos de curto prazo com outras instituições. Por isso, se a taxa básica de juros da economia está alta, maior é a tendência dos juros bancários serem maiores.

Risco de inadimplência

Segundo alguns especialista, o risco de inadimplência é um dos fatores que mais encarece o crédito no Brasil. Para se ter ideia, cerca de 37% do spread bancário fica guardado em um fundo do banco para evitar essas situações.

Taxas administrativas

Os gastos com burocracias internas, funcionários e afins, representam fica em torno de 25% do spread.

Fundo Garantidor do Crédito (FGC), despesas regulatórias e impostos

Já estes itens retratam em média 23% do spread bancário. No entanto, em casos de falência, o FGC é uma base que busca ressarcir investidores em até 250 mil.

E qual é o lucro do banco?

Em relação aos lucros, uma média de 15% do spread vai para os bancos.

Mesmo que haja essas taxas, é importante desvendar alguns mitos sobre juros.

Você sabe quais são os juros cobrados do cartão de crédito? Clique aqui e saiba tudo sobre eles.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Guilherme Gadelha

Publicitário e Redator na Foregon. Gosta do universo financeiro e tem a escrita como hobby e profissão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Imposto de renda: saiba como sair da malha fina

Aumento da energia: saiba quais são os vilões da conta de luz

Aneel aciona bandeira vermelha em patamar 2 e impacta economia brasileira

Organizze: veja o passo a passo de como usar o aplicativo para controlar suas finanças

A melhor forma de utilizar o dinheiro da restituição do IR 2021

Cashback: guia completo

Dia dos namorados: como economizar?

5 dicas para você cuidar do seu dinheiro e gastar sem culpa