melhor crédito para abrir meu negócio

Para você que procura ganhar dinheiro de forma autônoma, e se pergunta sobre “qual o melhor crédito para abrir meu negócio?”, nós vamos tentar te ajudar nesse começo. 

Algumas pessoas acabam perdidas nessa hora e não sabem qual caminho seguir. O cartão de crédito e o empréstimo são opções ao trabalhador autônomo. Mas, é preciso entender as diferenças de cada um para começar bem o seu negócio.

Antes de falar sobre os meios de crédito, veja como se manter na legalidade do trabalho e regularizar a sua situação antes de começar.

O que eu preciso para ser autônomo?

Para garantir que, além de não jogar dinheiro fora no começo de um novo negócio, é importante que o autônomo fique por dentro dos benefícios em regularizar a situação.

1 – Cadastre-se na prefeitura de seu município

O primeiro passo do autônomo é procurar a prefeitura de onde mora. Se informe no setor de tributação de sua cidade, quais os documentos necessários e as taxas cobradas pelo serviço.

Algumas prefeituras oferecem benefícios para quem se regularizar na função de autônomo, como descontos em Imposto Sobre Serviços (ISS) e demais tributos.

A legalização na prefeitura é importante para que o trabalhador tenha o direito de exercer a função livremente, caso contrário, o município pode impedir as atividades.

2 – Autônomo pode contribuir com o INSS

Quem trabalha de forma autônoma, pode contribuir com o INSS. Isso garante que, assim como qualquer trabalhador, desfrute dos benefícios, como aposentadoria, salário maternidade, entre outros.

Para contribuir, o trabalhador autônomo deve fazer um carnê pelo site da Receita Federal. O pagamento deve ser de 11% quando for sobre o salário mínimo vigente e 20% quando for sobre uma quantia maior, limitada ao teto – R$ 5.645.80 em 2018.

Por ter um rendimento menor, a aposentadoria para um autônomo pode ser menor do que o esperado. A solução para o autônomo é contribuir com uma previdência privada.

Essa forma de contribuição que, qualquer pessoa pode fazer, garante que uma renda extra, que pode ser paga em uma única vez ou em parcelas no futuro.

3 – Recolhimento de Imposto de Renda

Trabalhadores autônomos também devem contribuir com o Imposto de Renda (IR), quando os ganhos atingem o valor tributável. Existem duas formas de fazer a declaração.

  • Quando recebe de pessoa jurídica, o contribuinte deve receber um informe de rendimentos e cabe a ele somente informar os rendimentos, o nome e o CNPJ da empresa, o IR retido na fonte e o INSS recolhido na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de PJ.
  • Quando recebe de pessoa física, o trabalhador deve fazer a ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior. Neste caso, o autônomo é responsável por recolher o imposto de renda mensalmente por meio do programa Carnê-Leão.

4 – Livro-caixa

O livro-caixa é importante para o trabalhador autônomo. Além de servir como controle para o negócio, onde são registradas as entradas, também é possível deduzir as despesas e diminuir os impostos ou aumentar a restituição do IR.

Todos os custos indispensáveis à obtenção e manutenção do local que gera a renda do trabalhador autônomo, devem ser registradas. Assim como:

  • Aluguel do imóvel do escritório, consultório, etc.
  • Água
  • Luz
  • Telefone
  • Melhoramentos do ambiente de trabalho
  • Palestras
  • Congressos
  • Seminários
  • Propagandas
  • Pagamentos a terceiros quando essencial a geração de receita.

Além dessa lista, outras atividades que comprovem a manutenção da renda também podem ser deduzidas. Basta guardar todos os comprovantes e informar à Receita.

Agora que você já sabe os principais cuidados antes de abrir seu negócio, confira como conquistar o capital.

Crédito para abrir meu negócio: cartão ou empréstimo

Como um trabalhador autônomo não tem como comprovar que terá renda mensal suficiente para pagar as parcelas de um empréstimo, os juros e dificuldades podem ser maiores do que o normal.

Mas, existem financeiras e os bancos tradicionais que liberam o crédito. Para isso, basta levar seus extratos bancários. Leve tudo mesmo!

Assim, você mostra que tem movimentação em conta e pode arcar com um empréstimo. Facilitando a aceitação do crédito para autônomo.

E o cartão de crédito? Será que é o melhor crédito para abrir meu negócio?

Certamente não! O cartão de crédito tem um limite reduzido, ou seja, é bem provável que você não consiga uma margem para, além de abrir seu negócio pagando os tributos necessários, ainda possa alugar um espaço, reformar ou decorar.

Outro problema que deve ser levado em conta ao adotar o cartão como melhor crédito para abrir meu negócio, é o fato dos juros por atraso. Se caso o cliente deixar de pagar a fatura, os juros acabam não compensando em relação a um empréstimo.

Ainda assim, o empréstimo pessoal ou consignado pode valer a pena e cobrir os gastos com abertura e demais processos que sirvam para o início das atividades.

O importante é pesquisar em várias instituições financeiras, garantindo as menores taxas e as melhores condições para abrir seu negócio.

Concluindo: qual o melhor crédito para abrir meu negócio?

Algumas pessoas nos relatam que precisam de um cartão de crédito para abrir o próprio negócio. Mas, como você viu, ele pode não ser o melhor produto para este propósito.

Ou seja, entre o empréstimo e o cartão, o mais indicado é a primeira alternativa. Mas, não é o único meio de conseguir um capital. Veja outras situações na hora de conseguir o melhor crédito para abrir meu negócio:

  • Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES);
  • Investidor-anjo
  • Sócio
  • Financiamento Coletivo

O Sebrae, especialista em pequenas empresas explica cada um desses investimentos que você pode ter acesso. Veja aqui.

Dicas para gerir o seu negócio

Além de saber qual o melhor crédito para abrir meu negócio, você também leva dicas da Foregon para manter o seu trabalho no dia a dia. Confira:

Antes de tudo, faça um planejamento

Pessoas que planejam antes de abrir o negócio, têm mais chances de conseguir sucesso no trabalho. Isso envolve estudar o seu público e região, estimar os gastos e o possível lucro.

Elaborar um plano de negócio pode ser difícil no começo. O Sebrae também te ajuda nessa! Veja aqui como montar o seu planejamento e acertar nos serviços que você pode realizar.

Veja o que é preciso para você trabalhar

Você vai vender salgadinho, atender seus clientes em um escritório ou mesmo é médico e pretende ter um consultório? Inclua tudo aquilo que você necessita para trabalhar.

Isso envolve todos os utensílios, produtos e demais gastos necessários. Na hora de pedir um empréstimo ou qualquer outra forma de crédito para seu capital, não deixe de mensurar esses gastos.

Para a compra de alguns produtos, o cartão de crédito pode até servir. Mas, se as compras necessitarem de um investimento maior, pode não compensar para você. Porque além das compras para o negócio, é importante lembrar daquelas pessoais do dia a dia.

Esqueça a vergonha

Você que vai se tornar um autônomo, vai ter que se acostumar aos “calotes” ou pagamentos atrasados. Infelizmente é uma rotina para quem vende ou presta serviços.

Se você ainda tem vergonha de cobrar, é preciso exercitar isso e ter a iniciativa de reclamar os gastos, seja para pessoas físicas ou jurídicas.

Tenha em mente que você não está errado e precisa receber o dinheiro. Procure evitar as “desculpas” a quem não paga e cobre sem medo!

Organize-se

Para manter a saúde do seu negócio sempre melhor, procure deixar tudo organizado. Não deixe para o outro dia, procure organizar sempre no final do dia o que você recebeu, gastou, o que é preciso comprar e as ocorrências diárias.

Anote tudo! Tenha planilhas de controle, pastas separadas, com nome e data. Assim, fica fácil achar alguma coisa, entender algum erro ou comprovar algum dado.

Redes sociais

Pensar em tudo o que falamos antes, como a dúvida sobre qual o melhor crédito para abrir meu negócio, planejamento, etc. são necessárias e primordiais para que você possa trabalhar bem.

Depois que você estiver com tudo isso engatilhado e preparado para começar, é a hora de pensar no que você pode acrescentar. Uma das ferramentas mais importantes atualmente e que vai ajudar seus clientes a te encontrarem, são as redes sociais.

Facebook, WhatsApp, Instagram, todos esses meios são válidos para você. Claro, levando em conta que seu público esteja em alguma dessas redes. Não vale a pena gastar tempo ou dinheiro em algo que não vai te dar retorno ou público.

Mas, um Facebook ou WhatsApp, ajudam na comunicação com seus clientes, já que é possível oferecer telefones, contatos e localização, além de poder compartilhar um pouco do seu trabalho.

Infelizmente, as redes sociais só dão um bom retorno de público, como as curtidas e compartilhamento, quando um anúncio é patrocinado, ou seja, você paga uma quantia para que o seu conteúdo chegue para mais pessoas.

Mas, mesmo assim, procure deixar sua marca na internet e, quando o cliente pesquisar, ele vai achar seus contatos e ter uma ideia do serviço que você presta.

Avalie abrir a sua empresa

Que tal pensar em ter sua empresa e virar Pessoa Jurídica? A possibilidade de ser Microempreendedor Individual (MEI), pode ser uma alternativa para quem quer ter tudo regularizado e pagar menos impostos.

Para ser MEI, não pode faturar mais do que R$ 81 mil por ano e nem ter participação em outra empresa, nem como sócio, nem como titular. O Microempreendedor pode ainda, ter apenas um funcionário contratado, que receba o salário mínimo ou piso da categoria.

Benefícios em ser MEI:

  • Tem direito a CNPJ
  • Facilidade em abertura de conta
  • Facilidade em empréstimos
  • Emissão de nota fiscal
  • Livre de tributos federais
  • Tributo de R$ 47,70 (INSS), acrescido de R$5 para prestadores de serviço ou R$ 1 para comércio e indústria
  • Pode se cadastrar em uma ocupação principal e até duas secundárias
  • Acesso a benefícios, como aposentadoria, auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria, etc.

O que preciso para me tornar MEI?

Baixe o PDF do passo a passo para ser MEI

Quais atividades podem ser feitas por um MEI?

Baixe o PDF das ocupações permitidas no MEI

Para se tornar um MEI, você pode se cadastrar diretamente no site do portal do empreendedor.

Gostou do nosso conteúdo? Tirou sua dúvida sobre “qual o melhor crédito para abrir meu negócio?” Então conta aqui nos comentários para a gente! Te espero no próximo post!

Este conteúdo foi útil para voce? 1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 voto(s), média: 5,00)
Loading...