Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Testamento: qual a diferença entre meeiro e herdeiro?

Por Claudia BorgesPublicado em

Perder alguém que a gente ama é algo triste e sempre nos deixa abalado. Ter que lidar com as dores de cabeça de um inventário pode machucar ainda mais. Fazer um testamento pode ser a solução ideal. Se você não sabe nada sobre o assunto ou qual a diferença entre meeiro e herdeiro, fique tranquilo que vamos te trazer todas as informações, apenas continue lendo. 

Diferente do que muitas pessoas acham, não é necessário ter uma grande patrimônio ou estar em uma idade avançada para fazer um testamento, que pode ser feito de forma relativamente simples. 

Para que fazer um testamento?

O testamento é a ultima vontade de quem o realiza e deve ser cumprido com rigor. Muitos são os motivos para que alguém faça um testamento, um dos principais é diminuir a dor dos herdeiros em ter que lidar com toda a burocracia para entender os termos e até em alguns casos minimizar os atritos pela divisão de bens.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como fazer um testamento?

O primeiro passo é organizar todos os bens da pessoa. Extratos de contas em bancos, escrituras e todos os documentos comprobatórios que ela tenha. 

O próximo passo é listar quem serão os herdeiros. Aqui você tem que entender que existe uma diferença entre herdeiro e meeiro (que é uma expressão que pode aparecer quando fizer seu testamento)

  • Herdeiro: por definição é aquele que sucede na totalidade ou em parte de uma herança, ou seja é aquele que recebe parcialmente ou totalmente os bens de uma pessoa falecida;
  • Meeiro: é chamado de o cônjuge que, em uma separação ou por herança, passa a ter direito a metade dos bens adquiridos durante um casamento. O ato de dividir esse bens tem o nome de meação.

Os herdeiros podem ser ascendentes (pais, avós e bisavós) ou descendentes (filhos, netos e bisnetos), e têm direito a 50% do total do espólio. A outra parte pode ser dividida conforme vontade da pessoa dona dos bens. 

Uma coisa importante é escrever os desejos de forma clara, sem que haja margem de interpretação ou brechas de interpretação. Para que a execução das vontade seja feita de forma correta.

O ultimo passo é escolher o tipo de testamento que a pessoa deseja fazer.

Tipos de testamento

Existem três tipos de testamentos que podem ser feitos:

  • Testamento público: o tipo mais comum de testamento, deve ser feito em cartório, por um tabelião. O profissional irá escrever as vontades do interessado. Após escrito é lido em voz alta na presença de 2 testemunhas, e assinado pelo testador. Esse tipo tem caráter público e aberto;
  • Testamento cerrado: ele é escrito pelo próprio testador, e enviado em outro momento para o tabelião responsável, que reconhece o documento. O conteúdo desse testamento só é sabido após a morte do dono. Possui caráter particular.;
  • Testamento privado: nesse tipo o testador escreve sua vontade e deve ler em voz alta para 3 testemunhas, pelo menos. Elas devem assinar o documento, juntamente com o responsável. Esse documento deve ficar guardado em local seguro. 

Esse não é um assunto que gostamos de falar, não é mesmo? Mas o planejamento, mesmo em coisas difíceis, pode poupar muita dor. Ainda restou alguma dúvida? Converse conosco nos comentários. 

Até mais.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Claudia Borges

Estudante de Jornalismo e estagiária de Redação na Foregon. Alia seu conhecimento na área administrativa com sua paixão por escrever e sempre busca agregar conhecimento em seus textos.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Algar Telecom: conheça os diferentes planos de celular

Placa Mercosul: como é o emplacamento em outros países e quais as diferenças

Hotmart Pocket: dúvidas frequentes

Como colocar a nova placa Mercosul?

Placas Mercosul: conheça seu histórico e os preços em cada estado

Placa Mercosul: dúvidas frequentes

Saiba o que mudou no projeto das placas do Mercosul e tire suas dúvidas

Banco digital ou banco tradicional: qual o melhor?